sábado, 15 de dezembro de 2018

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 4

- Captain America Comics 1 (Março de 1941)

Histórias:

"The Chess Board of Death" - Ilustrada por Jack Kirby e Joe Simon

No Brasil, foi publicada na edição Capitão América - As Primeiras Histórias, pela Editora Abril, em Julho de 1992, sob o título de "O Tabuleiro de Xadrez"


Hora da palestra... e figuras militares se reúnem para a sessão. Bucky está incomodado. Ele nunca gostou dessas reuniões. Preferia mesmo era sair e caçar bandidos. Steve, no entanto, o incentiva. Nota que um dos palestrantes, almirante Perkins, é um dos maiores líderes do exército americano e que aprenderão muito com ele. Porém, quando as cortinas se abrem, o almirante parece esquisito. Algo terrível aconteceu. No palco, de fato, está o almirante... morto! Em poucos momentos, o auditório é tomado por um caos de homens furiosos, sedentos para colocarem as mãos no assassino.

Disparando em meio à multidão, Steve e Bucky saem do local, pois o criminoso não iria esperar por lá. De fato, avistam um homem pulando o alto muro como se em fuga. Com uma troca relâmpago, o recruta Rogers torna-se o terror dos espiões e bandidos... o Capitão América! Jocosamente, o Capitão questiona a Bucky se ele pode dar conta do recado, ao que seu parceiro lhe recorda... de que ele não é um bebê!

A dupla começa a perseguição. Enquanto o Capitão América segue pelos telhados, Bucky faz o reconhecimento por vielas. Mas o Capitão volta rapidamente ao solo quando seu parceiro é ameaçado pelo assassino, que o observava. O herói dá uma surra no criminoso e tenta fazer com que ele dê detalhes sobre seus planos e mandantes, mas o vilão parece fiel a sua macabra causa. Quando o Capitão aperta o pescoço do assassino, no entanto, este parece repentinamente propenso a falar. Mas o rugido de uma pistola corta o ar silencioso da noite e o agente nazista cai morto, enquanto o Capitão América repele outras balas com seu escudo. A dupla de heróis até tenta alcançar o autor dos disparos, mas este sai em um automóvel e não é possível alcança-lo a pé. Resta ao Capitão América e Bucky retornarem ao campo.

Como de costume, o superior do recruta Rogers, Sargento Duffy, pega no seu pé e ordena que ele monte guarda na tenda do general Ellsworth. Steve estranha o fato de que apenas por Ellsworth aparecer ocasionalmente para inspeção do campo colocam uma sentinela na entrada de sua tenda. Bucky acha que o general deva ser sonâmbulo.

Ao chegarem na tenda, a silhueta do general caído sobre a mesa dá a impressão de que ele tenha adormecido após um dia duro. Mas os dois amigos ficam paralisados ante a visão que os espera. O corpo do general espelha sua última agonia nos olhos. Ele está morto! No dia seguinte, os jornais anunciam outro assassinato brutal nas fileiras do comando militar da nação.

Na noite seguinte, quando o recruta Rogers volta à sua tenda, encontra um bilhete de Bucky que diz "Desculpe roubar sua diversão, amigo... mas estou indo à casa deserta da rua Peek buscar um assassino". O local é um típico esconderijo de assassinos. Urgentemente, Steve veste seu uniforme de Capitão América.

Mais tarde, o Capitão chega à Rua Peek, esconderijo perfeito para agentes estrangeiros. Assim que adentra o local, é atacado por um gigantesco homem. Mas os reflexos do Capitão o permitem reagir e atacar o furioso vilão, colocando-o a nocaute. No entanto, é surpreendido por outro homem, ainda que menor e apoiado em uma bengala, mas armado. Seu captor o leva até uma sala onde se pode ver a suástica na parede e uma cadeira em um dos cantos, onde Bucky está amarrado e indefeso. O criminoso convida o Capitão a assistir uma partida de xadrez, seu passatempo preferido. O macabro tabuleiro traz peças que são miniaturas do Capitão e Bucky. A ideia do vilão é livrar-se de todas as peças (pessoas), conforme o jogo avança, e tirar todos que possam impedir que ele faça a maior blitzkrieg que o mundo já viu. Como já encurralou a dupla de heróis, chegou a hora de eliminá-los.

Porém, rápido como um raio, o pé do Capitão América se levanta e derruba o tabuleiro. Com um único soco, o herói consegue desacordar o vilão. Bucky sabe que outros podem estar vindo pois há um microfone no candelabro por onde toda a gangue recebe as ordens. De fato, o Capitão América encontra o transmissor. Os capangas avançam contra os heróis. O Capitão América arranca o candelabro e o usa como arma contra os criminosos. Bucky, apesar de resistir, acaba cercado e precisa de ajuda. O Capitão atravessa a sala cheia de criminosos e chega até seu parceiro, fazendo com que um deles largue a faca. E com um soco final, desacorda os restantes.

O jogador de xadrez acorda e foge da sala, mas o Capitão dispara em seu encalço. Mas o vilão pega uma cadeira e golpeia o herói com ela. Ainda assim, não é suficiente para derrubar o Capitão, que reage com um novo soco, desacordando-o novamente.

Bucky encontra planos de ataque dos criminosos, com localizações dos centros industriais e militares das Américas do Norte e do Sul. O nome do líder, o jogador de xadrez, é Rathcone. Antes de saírem, informam a localização do covil ao FBI e dizem que todos estão... dormindo. Com o dever cumprido, os heróis desaparecem na escuridão.

No dia seguinte, os jornais noticiam sobre os sabotadores presos pelo misterioso Capitão América e seu companheiro adolescente. No quartel general, o major Fields está satisfeito com as notícias, apesar de querer saber mais sobre o Capitão América. Ainda assim é o suficiente para inspirá-lo. Por isso, para o terror de Bucky, Steve diz para ele vestir seu uniforme de gala... pois o major quer que vejam sua palestra.

A+:

* O vilão Rathcone se mantinha separado dos demais capangas, em sua sala de xadrez, sendo um mistério para seus próprios comparsas. Sua estatura atarracada provavelmente não impunha tanta temeridade quanto apenas sua voz em um alto falante, narrando suas partidas de xadrez que eram interpretadas como ordens para eliminar vítimas.


Quer ajudar com este projeto? Visite a Sala de Perigo: www.saladeperigo.com.br

Nenhum comentário: