sábado, 18 de agosto de 2018

GIBITECA ÂMAGO Parte 03: DETECTIVE COMICS ( Junho a Outubro de 1937 )

Personagens asiáticos nos pulps e nos quadrinhos dos anos 1930 eram sempre vilões estereotipados. Simples assim. E olha que sequer o mundo tinha passado pela Segunda Guerra Mundial (onde os japoneses seriam os inimigos da vez) ou mesmo nos primórdios da Guerra Fria (onde os chineses seriam o alvo). Claro que os quadrinhos também os mostravam como vilões, já que muito de suas histórias iniciais viriam inspiradas pelos pulps. Porém, há exceções...

O personagem Mr. Chang teve vida curta, mas destacava-se dentro da revista Detective Comics, voltada para histórias protagonizadas por detetives americanos. Chang, ao contrário de mostrar-se devoto da violência e/ou do terrorismo, trazia aquele tipo de personagem oriental calmo, pacífico, filosófico, longe de ser o tipo que, por exemplo, resolveria tudo com golpes de artes marciais (apesar do ar de mistério trazer aquele clima de que o personagem iria explodir em piruetas a qualquer momento).

Foi criado por Ed Winiarski para a revista Detective Comics n° 6, em Agosto de 1937, edição em que o desenhista assinava como Win (curiosidade: entre os nomes que Winiarski assinava, em algumas ocasiões, estava o nome de Fran Miller - sim, sem o "k").

Nessa primeira aventura, o complacente Mr. Chang (já tratado como uma personalidade respeitadíssima no ramo da investigação), é convidado a desvendar o mistério de acidentes onde as vítimas sumiam por um tempo e seus corpos eram encontrados  depois sem sangue.

Confiante e corajoso, Mr. Chang, seguido por um ajudante conhecido por Wu, se coloca como voluntário para sofrer o acidente no lugar misterioso. De fato, ao chegar à fantasmagórica estrada, outro carro, idêntico ao deles, vem em alta velocidade no sentido contrário. Mas tudo não passa de um enorme espelho que reflete o seu próprio automóvel. Quando o motorista tenta desviar ou mesmo para o carro, é abordado por homens que os levam até um cientista louco conhecido como Dr. Hugo Von Grantz, que pretende retirar o sangue das pessoas que captura e injetar uma fórmula que triplicará o tamanho de seus corpos, tornando-os gigantes que lhe servirão fielmente. Bem... como os corpos são encontrados depois, é provável que a loucura deva falhar constantemente. O único suposto sucesso de sua experiência está nos dois homens altos e fortes que o auxiliam capturando as pessoas na estrada.

Mr. Chang e Wu, capturados, resolvem tudo de forma simples: apagam as luzes no esconderijo do vilão e o atacam. Em seguida, trancados em um cômodo do local, conseguem acender um sinalizador, que mostra para os policiais que o auxiliam onde está o vilão. Fim. Tudo resolvido de forma calma, (quase) pacífica e de forma tão organizada que daria tempo até mesmo para se filosofar a respeito.

O personagem traz as características de outro famoso personagem oriental na mesma linha (só que mais conhecido): Charlie Chan. Assim como esse, era um personagem que tentava sair do estereótipo de personagem oriental mas, com isso, acabava saindo ainda mais estereotipado (ou tanto caricatural quanto). Tão estereótipo que era apenas um entre outros tantos nessa mesma linha. ESSE Mr. Chang, inclusive, teve vida curta, com apenas três histórias publicadas na época... e nunca mais foi visto nos quadrinhos. Quem sabe um dia aparece nas páginas das histórias da DC, apesar de tanto tempo sumido. Calma para aguardar, ele tinha de sobra...

DETECTIVE COMICS 06
Publicada pela DC Comics
Agosto de 1937

* "The Mad Scientist"
ROTEIRO e ARTE: Ed Winiarski
HISTÓRIA CONTÉM: 6 páginas
EDITOR ORIGINAL: Malcolm Wheeler-Nicholson

Publicada no Brasil na revista:
MIRIM 260
Dezembro de 1939
Pelo Grande Consórcio Suplementos Nacionais
Título nacional: * "O Cientista"
APRESENTAÇÃO DA EDIÇÃO: 32 páginas

Nenhum comentário: