sábado, 20 de setembro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 762

Arte de capa por John Romita Jr.

Arte de capa alternativa por Alex Maleev
 - Captain America n° 3 (Março de 2013)

* "Castaway In Dimension Z - Part 3", história escrita por Rick Remender, desenhada por John Romita Jr., artefinalizada por Klaus Janson, colorizada por Dean V. White, Lee Loughridge e Dan Brown, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Gavião Arqueiro n° 3 ("Náufrago na Dimensão Z - Parte 3"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Fernando Lopes e Jotapê Martins e editado por Paulo França

Manhattan, 1930.

Steve esconde seu caderno, sentando em cima dele, quando a garota que observava se aproxima. Ela notou que ele o escondeu... e pede para ver. Timidamente, ele lhe mostra o desenho que fez dela. Ela gostou. Seu avô, Ian, foi quem lhe ensinou a desenhar. A garota, Deidre Doyle, reconhece Steve da mesma turma que frequentava a escola com ela. Mas ele parou de ir às aulas depois que seu pai morreu. Desde então, Steve tenta ajudar sua mãe, que não ganha o bastante, vendendo jornais e fazendo uns bicos. A conversa é interrompida quando Steve presencia seu amigo, Arnie Roth, correndo da gangue de Hutch. Os garotos alcançam Arnie e começam a espancá-lo. Apesar de Deidre tentar afastar Steve daquela confusão, ele se incomoda... e desafia o valentão. A gangue parece conhecer Deidre. A pequena estatura de Steve lhe dá a vantagem de golpear o líder da gangue primeiro. Mas uma vantagem momentânea, uma vez que ele é preso pelos demais integrantes para que o delinquente revide. Por fim, Arnie e Steve estão no chão e Hutch revela... que Deidre é sua irmã. Ela confessa que acabou de conhecer Steve... nem sequer são amigos.

Com as roupas sujas e rasgadas, Arnie e Steve voltam para casa. Hutch atacou Arnie porque o viu com dinheiro, comprando cartões de baseball. O amigo de Steve está cansado de apanhar. Decide que irá começar a revidar. Steve até acha que as garotas gostariam mais dele se revidasse... Mas o garoto entende tanto de garotas quanto de alienígenas. Arnie vai pra casa e agradece o amigo. Agora é hora de ele explicar isso pra sua mãe e ouvir seu pai chamá-lo de frouxo... um problema que Steve não tem.

Hoje.

Steve vê o escudo ser levantado sobre a cabeça de Ian. Ele sabe o que acontecerá em seguida. É algo que não pode acontecer. Os grilhões prendem suas mãos, mas elas estão envoltas em suas luvas. Para salvar Ian, ele quebra a própria mão e a retira da luva. Antes que o garoto seja decapitado, ele consegue empurrá-lo. Em seguida, acerta o soldado alienígena mais próximo, aproveitando a falha em sua armadura. Mas está muito debilitado e, logo, está sob a espada de energia dele. Para sua surpresa, outro alienígena impede que ele seja morto. Eles discutem em uma língua alienígena. É hora de rezar para o tradutor universal de Hank Pym funcionar. Sua vida e a de Ian dependem disso. O tradutor funciona perfeitamente. O alienígena que o defende diz que eles não são servos de Zola. Inclusive, ajudou a combater os mutantes do vilão. O argumento de Ksul, o alienígena que o ajudou, funcionou por enquanto. A mão de Steve está quebrada e Ksul é gentil ao ajudar a levantar-se.

Mais tarde, Steve pratica seu dom com a arte, pintando um quadro. Ele imagina que as pessoas que o conheciam, fora da Dimensão Z, devem ter desistido dele por lá. Presumindo o pior. Menos Sharon. Sem um corpo, ela deve estar sofrendo indefinidamente. Magoada e furiosa consigo mesma, por ter lhe colocado nessa missão. Seu lar está impossivelmente distante. Mas também há coisas para ser grato. Ksul e sua esposa deram abrigo para ele e Ian. O garoto agora tem comida. Pintar afasta maus pensamentos da mente de Steve. Exceto... quando chega a dor. Ksul percebe a agonia de Steve e o chama para pegar água cristalina para aliviar essa dor.

A dor está piorando e Steve precisa voltar para casa logo. Infelizmente, não há outras tribos, como a de Ksul, por perto. As bestas de Zola desfazem a cadeira alimentar, deixando-os famintos. Ksul e seu povo só têm sobrevivido graças aos peixes escondidos embaixo do templo caverna. Os alienígenas acreditam que estão sendo protegidos pelo tirano Zofjor, mas Steve nota é que eles que se protegem. Um homem não é um exército. O povo deu poder a ele... e tem o necessário para pegá-lo de volta. Apesar de o medo tomar conta dos corações daquele povo... só é preciso que um se levante para que os outros possam segui-lo.

De repente, a dupla é surpreendida pelo próprio Zofjor, que ouve a conversa e não gosta nem um pouco do tom. Zofjor acusa Ksul de usar o estranho para minar a segurança do clã. Ksul, enraivecido por Zofjor golpear Steve e segurar seu peixe recém-pescado, concorda que ele é um tirano. Zofjor responde com algo que, segundo ele, um tirano não daria: misericórdia... de um disparo diretamente no rosto de Ksul, matando-o. Steve se culpa pela morte de Ksul e reage, antes que Zofjor dispare novamente. Ele tenta superar a enxaqueca e golpeá-lo com seu escudo. Mas nem toda a sua força tem efeito contra o alienígena. A espada luminosa de Zofjor corta o peito de Steve e ele cai... ao lado de um dos enormes cristais do lago. Sabendo que não é só sua vida que está em jogo, uma vez que Ian acabará sozinho e abandonado pra sempre, Steve supera a dor e golpeia Zofjor com o cristal. Golpeando incessantemente, ele consegue derrubar o tirano. Apesar da vitória, a dor em seu peito é causticante. Zofjor o rasgou e ele sente a carne escorregando dos ossos. Steve sente por ter mentido para Ian. Mentido desde que o jogou nesse pesadelo. Mentiu todas as vezes que prometeu pra ele que iam conseguir. Todas as vezes que prometeu levá-lo pra casa. Fugindo para um local isolado, ele ainda sente muito sangue sair pela ferida. É então que... ela começa a falar! Ao rasgar sua camisa, ele finalmente vê o que Zola fez com ele um ano antes. O rosto do vilão está incrustado em seu tórax... e agora faz parte de seu corpo.

Continua...

2 comentários:

Anônimo disse...

"O rosto do vilão está incrustado em seu tórax... e agora faz parte de seu corpo."
Isso deveria ser trágico, mas é tosco demais, e eu não consigo parar de rir.

beijos
Lisbeth

Marcos Dark disse...

... e assim é Arnim Zola... desde a década de 70...