segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 741

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de Capa alternativa por John Romita Sr.


Arte de capa por Olivier Coipel

Arte de capa alternativa por Neal Adams

Arte de capa alternativa por Dale Eaglesham

Arte de capa alternativa por Harvey Montecillo
 - Captain America n° 1 (Setembro de 2011)

* "American Dreamers Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven, artefinalizada por Mark Moraels, colorizada por Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 16 ("Sonhos Americanos - Parte 1"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Paris, França. 1944.

A França pode ter sido libertada, mas a batalha ainda não acabou. Há informações de que o Barão Zemo se encontra em uma base secreta de um grupo chamado Hidra. Rumores dizem que a Hidra é sucessora da S.S. nazista. O fato de Zemo ter se unido a eles é uma forte indicação de que isso seja verdade. Porém, o que se sabe sobre a Hidra se resume apenas a isso: rumores. Isso e o fato de que eles tem acesso a armas super avançadas. O tipo de arma que pode ser uma grande vantagem caso um soldado nazista comum a carregue no campo de batalha.

O sargento Fury designa a agente Carter e Capitão América para conduzir um ataque a fortaleza de Zemo fora da cidade. Bucky já está por lá, fazendo o reconhecimento. Ao mesmo tempo, Dum Dum e Codinome: Bravo levam um grupo até a base da Hidra. O problema é que eles têm um esquema que "parece" ser a base. É por isso que Peggy e o Capitão irão atacar o esconderijo de Zemo. Já o fato de se atacar um local que nem se sabe onde se encontra, tem a ver com a mais nova arma secreta dos aliados: o garoto Jimmy Jankovics, também conhecido como Jimmy Júpiter, que será o passaporte do grupo para dentro da base secreta.

Mais tarde, Capitão América recebe Peggy com um beijo. Bravo observa do alto do edifício. O supersoldado  roubou sua garota. Ou assim ele imagina.

Cemitério Père Lachaise, Paris, França. Hoje.

Às vezes, Steve se esquece de que é um homem fora de seu tempo. Ele sabe que sua infância foi durante a Grande Depressão... e que atingiu a maioridade na Guerra. Em seus cinco primeiros anos como Capitão América, a Guerra era praticamente tudo o que conhecia. Ainda assim, às vezes, ele se esquece que deveria ser um idoso agora. Não que ele tivesse muito tempo ocioso ou que seu deveres fossem mais fáceis. Mas então, algo triste acontece. Alguém morre. Algum velho amigo. Ou, neste caso, um velho amor. São nesses momentos que aqueles dias distantes parecem tão próximos.

Peggy se foi.

Sharon também está triste. Ela era a última de sua família. Steve se lembra de quando conheceu Sharon... pensando que ela fosse Peggy. Ambos superaram aquilo. O trabalho de Peggy com a Resistência Francesa nunca foi esquecido. Por isso, eles ficaram honrados em atender seu último pedido e enterrá-la em Paris. Peggy amava Paris. Mesmo correndo contra os nazistas, ela ainda dizia que era a cidade mais bela do mundo.

Os sorrisos entre o luto nos funerais sempre impressionaram Steve. Peggy teria gostado. Então... Steve vê a mira a laser no peito de Dum Dum. Ele só tem tempo para tirar o amigo do caminho. O disparo atinge um túmulo logo atrás deles. Logo em seguida, Steve parte velozmente em direção ao atirador, que aparenta ser tão rápido quanto ele. Ao saltar o muro do cemitério, Steve cai em uma via onde transitam automóveis. O atirador parece conhecer bem o caminho. Tinha uma rota de fuga traçada. Antes que Steve o alcance ele salta na garupa de uma moto, que parecia estar esperando. Antes, o atirador dispara uma espécie de bomba. Steve o vê... e não acredita.

Sharon, Fury e Dum Dum chegam quando a bomba detona um carro atrás de Steve, que consegue escapar do pior. Steve sabe que tem que voltar aos Estados Unidos imediatamente. Ele acaba de ver alguém que não via desde 1944. Codinome: Bravo. Isso significa que Jimmy Jankovicz acordou.

Virginia.

Após décadas de coma, Jimmy acordou há seis meses. Porém, ele ainda continua catatônico. Os outros também podem ter voltado. Dum Dum está escaneando mensagens de satélites para encontrar Bravo. Steve acredita que Bravo não entrou em contato antes... porque o odeia. Bravo era um americano vivendo no exterior antes de lhe darem um tratamento experimental.

Ao saírem do asilo, Steve, Sharon e Fury são atacados por agentes da Hidra. Steve recebe o impacto das armas, mas o escudo em suas costas o salva. Fury também é atingido por uma explosão, mas consegue se levantar. Apesar de parecerem agentes da Hidra, aqueles são uniformes diferentes. Sharon quase é atropelada por um carro em fuga... um carro que está levando Jimmy. Fury acredita que eles, sem intenção, acabaram levando os terroristas até Jimmy. E, o pior, Bravo parece estar trabalhando com eles.

Um aliado superespião da Segunda Guerra trabalhando com um grupo renegado da Hidra. Sharon realmente quer saber o que deu errado em 44.

Continua...

4 comentários:

Anônimo disse...

A Peggy morreu mesmo? Isso é muito triste!
*um minuto de silêncio*

Mas agora com uma série só dela, eles vão ressuscitá-la nas hqs, né?
NÉ?????????


Lisbeth

Marcos Dark disse...

Bem... É Marvel... Então...
Mas a personagem teve um fim peculiar, praticamente morrendo de forma natural e devido ao tempo. Algo que, convenhamos, é algo raro em se tratando de histórias de super-heróis, até mesmo para seus coadjuvantes.

Anônimo disse...

Oiê!!!!
Isso É RARÍSSIMO! É quase como se a Morte tirasse férias (e na 4ª temporada de Torchwood isso de NINGUÉM morrer foi um problemão). Eu só lembro do namorado do Michael ter ficado morto, o resto....às vezes eles voltam *cofStephenKingcof*

A Golden Girl nunca reapareceu também, e isso é vergonhoso para a Marvel.


beijos
Lisbeth

Marcos Dark disse...

A Marvel tem um vasto universo de personagens, que acabam ressurgindo uma hora ou outra. Por mais obscuros que sejam. Jimmy Júpiter que o diga...