quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 729

Arte de capa por Ron Garney
 - Ultimate Captain America n° 2 (Abril de 2011)

* "Ultimate Captain America - Part 2", história escrita por Jason Aaron, desenhada por Ron Garney, colorizada por Jason Keith, editada originalmente por Mark Paniccia

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Ultimate Marvel - Capitão América n° 2 ("Ultimate Capitão América - Parte 2"), letreirizada por Marcos Valério, traduzida por Mario Luiz C. Barroso, editada por Rogerio Saladino

Steve Rogers acorda de um pesadelo no qual ele vê as centenas de vítimas de guerra feitas por Frank Simpson. Quando desperta em uma enfermaria, ele está ao lado de Carol Danvers. A última coisa de que se lembra é de ter levado uma surra de um homem com uma bandeira tatuada no rosto. A missão na Coréia do Norte foi um desastre. Tiveram que realizar uma queima de arquivo e sair o mais rápido possível. Steve permaneceu desacordado por dois dias... sendo levado para Paris.

A situação só não vira um incidente internacional porque os norte coreanos não sabem quem os invadiu. A única testemunha que poderia identificá-los... é Frank Simpson. Carol conta que Frank era um homem que, assim como Steve, amava seu país e queria fazer sua parte. Nos anos em que Steve sumiu, ficando congelado, o governo procurou alguém para substituí-lo. Encontraram Frank Simpson. Com Steve e o Doutor Erskine mortos, o Projeto Renascimento teve que recomeçar do zero. Foram anos de fracasso antes de desenvolverem um soro com potencial. Simpson foi seu maior sucesso. Mesmo assim, não conseguiram reproduzir todos os resultados que obtiveram com Steve. Foram obrigados a complementar o processo com implantes cibernéticos e anabolizantes... em um procedimento doloroso atrás do outro. Não é à toa que Frank endoidou.

Nunca deviam ter colocado Simpson em combate. Ele não estava pronto, mas o país se meteu em uma guerra e começou a perder... o que não agradou ninguém no Pentágono. Então, o enviaram para o Vietnã. Frank se empolgou, achando que seria como Steve Rogers na Normandia... metralhando nazistas. Em vez disso, se descobriu em lugares como Dak To, Khe Sanh e o Vale Shau. Simplesmente o jogaram no meio da guerra e o deixaram ali por cinco anos. A contagem de corpos foi enorme, o alto escalão adorou. Eles ignoraram os sinais de problemas nos relatórios psicológicos. Não falaram nada quando Frank tatuou a cabeça. Acreditavam que o "novo Capitão América" ia virar a maré da guerra. 

Então, em um dia de 1972, Frank entrou na selva... e sumiu. Alguns relatos diziam que ele não havia desistido... mas mudado de lado. Após o fim da guerra, Frank continuou desaparecido por décadas... até reaparecer e dar uma surra em Steve. O soro do supersoldado que encontraram nas veias do voluntário morto... o mesmo que Frank começou a incinerar... foi desenvolvido a partir do sangue do próprio Frank. Durante vários anos, ele aplicou engenharia reversa do soro e agora está vendendo o resultado. Graças a isso, há uma proliferação de supersoldados. Irã e China têm programas em andamento. Talvez até mesmo a Al Qaeda tenha obtido o soro. 

Apesar de Steve querer perseguir Frank, Carol ordena que ele esqueça. Ela irá entregar o problema para a equipe de Nick Fury. Para Steve, ela aconselha que ele aproveite Paris. Steve sabe que Carol não faz a menor ideia de onde esteja Frank... sabe também que ela quer que ele aja por conta própria. Afinal, ela o trouxe para Paris e pede para ele não agir, sabendo plenamente que ele irá desobedecer. Carol admite que esse seria um bom plano e que gostaria de ter pensado nele. Mas não pensou. Por outro lado, ela trouxe o escudo e o uniforme do Capitão América... caso ele pretenda passear pelo Museu do Louvre com eles. Steve apenas pergunta o quanto precisa ser real. Ele diz que precisa ser muito real. É então que ele lhe acerta um soco... e foge da enfermaria. (Ela não esperava que fosse tão real...). Oficialmente, ela relata apenas que o Capitão América desobedeceu a uma ordem.

Uma semana depois, Steve está investigando no Camboja. Foi o último lugar onde viram Frank. Ninguém responde as suas perguntas. Mas, com o tempo, ele percebe que está sendo seguido. Homens armados começam a se organizar. Ele frustra o plano de seus inimigos, utilizando seu escudo. Ele consegue capturar um dos seus agressores. A única pista que ele consegue é... Saloth.

Saloth é um vilarejo que não aparece em mapa algum. De certa forma, Steve entende que Frank tenha enlouquecido. Ele mesmo já havia passado por isso durante a Segunda Guerra. Muitos foram os soldados que viu terminar com a própria vida "engolindo" balas de suas próprias armas. Mas o que Frank estava fazendo era traindo seu país. E isso era inadmissível.

Steve chega a Saloth. Não há supersoldados, como ele esperava. Apenas mulheres, idosos e crianças. Chegando entre os moradores, ele pergunta por Frank. Um idoso diz que todos ali são "supersoldados" e que outros já vieram procurar por Frank. Quando Steve pergunta o que aconteceu a eles, o idoso mostra um porco grande e gordo... e lhe pergunta se imagina como ele engordou tanto. O idoso diz que houve um tempo em que temia a bandeira americana. Esse temor não existe mais. Segurando o braço de Steve... ele volta a dizer que todos são "supersoldados" ali. Logo, ele está cercado por mulheres, idosos e crianças... todos com força ampliada. Todos receberam o soro do supersoldado. Quando está caído e cercado pelos habitantes... Frank consegue rendê-lo.

Continua...

Nenhum comentário: