terça-feira, 29 de julho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 726

 - Captain America : Man Out of Time n° 4 (Abril de 2011)

* "Man Out Of Time - Part 4", história escrita por Mark Waid, desenhada por Jorge Molina, artefinalizada por Karl Kesel, colorizada por Frank D'Armata, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Avante, Vingadores n° 53 ("Um Homem Fora do Seu Tempo - Parte 4"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Em uma noite chuvosa, Thor encontra o Capitão América vagando pelo Cemitério Nacional de Arlington. O herói está indignado que não há nenhum túmulo em homenagem a Bucky. Ele ainda deseja salvar seu amigo no passado. Diante do deus do trovão, ele espera encontrar alguém que compreenda suas intenções. Thor, no entanto, está decepcionado. Afinal, como asgardiano, o que ele entende é que Bucky lutou como um bravo guerreiro até o fim, perdendo a vida em um ato de sacrifício pelo que acreditava. Tal ato o fez digno de estar festejando no Valhalla, o paraíso no qual os deuses nórdicos acreditam que os guerreiros dignos merecem no pós-vida. Thor simplesmente não aceita que o Capitão queira trocar tal honra por uma curta vida mortal. Afinal, não é assim que se tratam os amigos.

Steve continua sua busca por Bucky... mas sequer encontra registros sobre ele. O mesmo acontece em relação à Peggy Carter, Nick Fury ou mesmo Namor (esse último, inclusive, não se parece mais com o amigável aliado de outrora). Amigos, família... não se encontra mais ninguém de seu passado. Durante esse período, o Capitão América age ao lado dos Vingadores contra os Homens de Lava e os Mestres do Terror. Enfim, Steve tem notícias de terem encontrado alguém. Seu comandante durante a Segunda Guerra, General Jacob Simon.

O general já está idoso (como Steve deveria estar) e vive confinado em uma cama. Ainda assim, quando se encontram, conversam como bons amigos. Com o tempo, no entanto, o general compartilha sua amargura por tudo de ruim que surgiu desde a Guerra. A disseminação das drogas, atentados em solo americano, tráfico humano, militares americanos financiando rebeldes, um presidente que renunciou para evitar um processo criminal, a Guerra do Vietnã. E ele também fica sabendo o que aconteceu com Martin Luther King... Era mais fácil lutar no passado, pois no passado eles estavam ganhando.

Chega o fatídico dia em que o general vem a falecer. Steve recebe uma foto autografada que ele lhe deu no passado e se despede da garota que ajudava a cuidar dele. Steve tem certeza de que alguém tão competente será empregada por aquela instituição. A garota informa que ela é enfermeira particular. Foi contratada pelo general e agora foi dispensada. Não há vagas para ela ali. Ela espera encontrar outro emprego logo ou terá que voltar para seu país. Não se trata nem mesmo de uma questão financeira, mas da lei de imigração. Diante das perspectivas pouco animadoras dela, Steve pergunta se o país de onde veio é tão ruim assim. A família dela não tem muito dinheiro, mas ela confirma que seu país, na verdade, é lindo. E é lá que ela é amada de verdade. Chega até mesmo a sentir saudade. Ainda assim ele não entende porque ela prefere ficar e esfregar vasos sanitários. A resposta dela é chocante: é por que ali... são os Estados Unidos.

Na Mansão dos Vingadores, Stark distribui os novos identicartões que ele mesmo projetou. Todos os vingadores (e até Rick Jones) ganham um. O cartão ao mesmo tempo é a chave da Mansão, um comunicador e um alarme de alerta vermelho. Completamente programável em todos os aspectos, com um teclado finíssimo e uma bateria permanente. 

O Homem de Ferro convoca os vingadores para uma nova missão. Chama, inclusive, as "listras e estrelas" de Steve para a sala de reuniões. A ameaça se chama Kang. O Capitão olha as imagens e percebe que o vilão se porta como um comandante, não um simples guerreiro. Kang age como se não estivesse acostumado a ser desafiado. De fato, os Vingadores, um a um, são ludibriados pelos extensos recursos de Kang, que se diz um viajante do tempo, vindo de dois mil anos no futuro. O vilão decide prender os vingadores em celas individuais para escravizá-los em seu novo reino. O Capitão América resiste e o enfrenta pessoalmente. Kang consegue sentir que o herói veio do passado, chega até mesmo a identificar a perda de Bucky. O Capitão, que já estava enfurecido, o ataca com mais raiva. Kang se enfurece e prefere se livrar-se do Capitão. Usando seu controle sobre o tempo, Kang envia o herói... de volta para a década de 40.

Continua...

4 comentários:

Anônimo disse...

"Todos os vingadores (e até Rick Jones) ganham um"
Quando a mansão estiver ardendo em chamas não adianta culpar os vilões, a gente já sabe de quem é a culpa......

"Usando seu controle sobre o tempo, Kang envia o herói... de volta para a década de 40."....só q agora o Steve não fica né? Imagina q ele vai abandonar os Vingadores nas mãos do Kang.


Lisbeth

Marcos Dark disse...

... e você vai se surpreender o quanto Rick tem utilidade no final dessa mini...

Anônimo disse...

....é o RJ até foi útil, mas não se acostuma não Sir; décadas se passaram mas aquele ali continua sendo o Rick Jones. (a não ser q alguém faça por ele o q o Ed Brubaker fez pelo Bucky)


beijos
Lisbeth

Marcos Dark disse...

Hehehe.
Rick Jones... eterno...