quinta-feira, 24 de julho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 722

Arte de capa por Marko Djurdjevic

Arte de capa alternativa por Gerald Parel
 - Captain America n° 619 (Agosto de 2011)

* "Gulag - Part 4 - Super-Soldier", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Chris Samnee, colorizada por Bettie Breitweiser, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América e os Vingadores Secrets n° 15 ("Gulag - Parte 4 - Super-Soldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

Steve Rogers não está muito contente com os últimos relatórios. Ele presta esclarecimentos para o presidente e seus conselheiros sobre sua missão, juntamente com Nick Fury, para desmantelar um grupo de agentes russos, até então adormecidos, para construir armaduras bélicas. No entanto, mesmo o sucesso dessa missão não pode esconder o fato da fuga de Bucky. O presidente sabe que Bucky não poderá mais ser o Capitão América... no entanto, os Estados Unidos precisam, neste momento, do Capitão América.

Na Torre dos Vingadores, Nick Fury visita Steve para confirmar que o presidente está certo. E que Steve nunca foi de virar as costas para um pedido desses. Steve não queria que as coisas terminassem dessa forma mas, ainda assim, não tem ideia do que ainda terá que enfrentar.

A+:

* Nas primeiras histórias do Capitão América, durante a década de 40, os nazistas eram os vilões da vez. Nem sempre eram os inimigos diretos, mas estavam envolvidos ou mancomunados com outras ameaças, de uma forma ou de outra. 

De certa forma, na década de 60, durante as primeiras histórias do Universo Marvel, um fenômeno parecido aconteceu dentro do teor das histórias só que, desta vez, os inimigos eram os comunistas. Eram quase onipresentes, estando sempre, sempre, sempre envolvidos em qualquer tipo de ameaça, tanto no ramo da espionagem indo até mesmo se envolver com alienígenas. Supervilões que ficariam famosos foram financiados ou eram experiências de comunistas. Outros, até mesmo americanos, eram supervilões que se simpatizavam com os comunistas (afinal, gostar de comunistas era o mesmo que "ser do mal"). Dessa safra, alguns vilões se tornaram notórios e foram revistos décadas depois ( a "ameaça vermelha" e a Guerra Fria não duraram para sempre). Já outros, de tão estereotipados, ficaram fadados ao passado. Por vezes, isolados pela chamada Cortina de Ferro.

Um dos pontos interessantes desse último arco da revista mensal do Capitão América, foi que o escritor Ed Brubaker (já tão acostumado em "cavar" detalhes do passado do Universo Marvel), desenterrou muitos desses refugos da Guerra Fria. Eram personagens tão obscuros e "sumidos", que a história se autoexplicava ao mostrar que eles não evaporaram... apenas estavam isolados em alguma prisão ou gulag de sua amada Rússia. Ursa Maior, o primeiro Unicórnio, o primeiro Homem de Titânio, o primeiro Dínamo Escarlate... todos eles foram substituídos por novos agentes, mas ficaram no passado como seguidores de um regime que parece não fazer mais sentido. 

Esse arco também marca a comemoração dos 70 anos da criação do Capitão América... cancelando o título da forma que conhecemos. A partir da edição 620, a revista passaria a se chamar Captain America e Bucky. Posteriormente, essa "dobradinha" com o Capitão mudaria a cada arco (uma espécie de Marvel Team Up, título que mostrava histórias do Homem-Aranha com outro personagem Marvel, só que com o Capitão). Essa fase não foi publicada no Brasil. De qualquer forma, era apenas para se ganhar tempo até que a nova revista do Capitão América recomeçasse do n° 1, com a volta do personagem original. Isso também era reflexo da estreia de seu primeiro filme. Afinal, o grande público, não leitor de quadrinho, poderia ficar confuso em ver, no cinema, o herói sob a identidade de Steve Rogers e nos quadrinhos em outra.

Âmago Classic:
( O Diário de Steve Rogers - Parte 66 ) - O Capitão América reencontra seu antigo amigo de batalha da Segunda Guerra (no Universo Marvel, os heróis haviam se encontrado na décima terceira edição da revista do Comando Selvagem, porém, mostrando uma aventura do passado). Tão surpreendente quanto um Steve Rogers que não envelheceu (graças ao fato de que foi acidentalmente congelado) é que Nick Fury também mantém basicamente a mesma aparência, graças ao uso da Fórmula do Infinito. Desde então, os dois sempre fizeram parcerias para enfrentar ameaças. Foi graças ao contato com Nick Fury e a SHIELD que Steve Rogers conheceu Sharon Carter.

ÂmagoNews:
Uma das mais notórias fases de histórias do Capitão América foi escrita por Roger Stern e desenhada por aquele que redefiniu o estilo visual das histórias do personagem: o desenhista John Byrne. Participei do Argcast especialíssimo sobre a carreira desse grande artista. Ouça e saiba porque a desenhista dado não se olham os dentes! : ArgCast # 145

2 comentários:

Anônimo disse...

"De qualquer forma, era apenas para se ganhar tempo até que a nova revista do Capitão América recomeçasse do n° 1"
OUTRA vez?? Eu já perdi a conta de quantas vezes eles fizeram isso.
Q tristeza, o unicórnio é só o nome do vilão =/


Podcast novo \o/
Já tô ouvindo :)


Lisbeth

Marcos Dark disse...

Pois é...
E não vai ser a última vez que reiniciará.
Bom divertimento com o podcast!