domingo, 13 de julho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 711

- Captain America n° 616 (Maio de 2011)

* "Operation: Tooth Fairy", história escrita por Mike Benson, desenhada por Paul Grist, colorizada por Lee Loughridge, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Avante, Vingadores n° 53 ("Operação: Fada do Dente"), letreirizada por Gisele Tavares, editada por Paulo França

Romênia.

Durante a Segunda Guerra, o Capitão América decide atacar o vilão nazista conhecido como Barão Sangue, ignorando a força do chamado "vampiro". Uma bomba acaba separando-os antes da luta terminar, deixando o herói inconsciente e dando a Sangue tempo suficiente para morder a jugular de seu oponente, infectando-o com seu veneno.

Mesmo sabendo das más notícias, o Capitão América decide seguir o Barão Sangue antes que seu rastro desapareça. Depois que foi infectado, uma estranha conexão se estabeleceu entre eles. Acompanhado de Bucky, ele localiza o castelo do vampiro. Temendo se transformar, entrega uma arma para seu parceiro e ordena que a use caso perceba que está mudando. 

O Tocha Humana original e Namor capturam o Capitão Oberheuser, um dos responsáveis por experimentos para os nazistas, e o interrogam em busca de uma cura para seu colega. Oberheuser acaba revelando o nome do doutor Jacobson, um cientista judeu especialista em sangue, que mantinham prisioneiro em um bunker subterrâneo. Os heróis partem em busca do cientista, deixando Oberheuser preso no alto de uma torre.

Ao encontrarem o doutor Jacobsen, este explica que ainda não encontrou a cura para o veneno do vampiro. A única vez em que chegou próximo a uma cura, foi quando injetou o próprio sangue do vilão em uma das vítimas. Ainda assim, o resultado nem sempre era positivo. Quando não funcionava, o resultado era uma morte lenta e agonizante.

Apesar de sentir a cabeça girando e os enjoos, o herói foi capaz de superar o pequeno exército que ali estava. O veneno já agia em seu corpo para a alegria do Barão Sangue, que a tudo observava como espectador e cantando vitória sobre o Capitão América. Mas seu estado debilitado permitiu que o vilão o derrotasse, empunhando uma estaca para encerrar sua vida de bravo soldado. Porém, o Capitão América, já exibindo seus caninos afiados, utilizou sua nova força juntamente com as manobras de combate que aprendeu e ludibriou o Barão Sangue, imobilizando-o e mordendo sua jugular. Bucky percebe que o Capitão já não controla seus próprios atos e decide matá-lo. Quando aponta a arma... é impedido pelo Tocha Humana, que voltou acompanhado de Namor. Eles explicam que não há antídoto, mas, ao ingerir o sangue do vampiro, parece estar havendo um efeito benéfico, provavelmente auxiliado pelo soro do supersoldado.

O Barão Sangue consegue fugir. Os relatórios da época falam de um agente nazista, chamado Barão Sangue, cuja fama foi espalhada de tal forma que as tropas inimigas acreditassem que fosse uma criatura sobrenatural. Apenas propaganda para causar medo entre soldados supersticiosos. A missão foi chamada de Operação: Fada do Dente em uma alusão de que vampiros, fantasmas e outras criaturas da noite apenas existiam em contos de fadas infantis.

2 comentários:

Anônimo disse...

É sério q é o Barão Sangue? Pela imagem eu achei q fosse o Wolverine com outra roupa hahahahhahahahaah


Lisbeth

Marcos Dark disse...

Até tentei avisar o Barão Sangue pra não passar vexame... mas você foi mais rápida.