sábado, 28 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 703

Arte de capa por Carlos Pacheco
- Steve Rogers: Super-Soldier  n° 4 (Dezembro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 4", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Em um galpão de aeroporto, Smith organiza um leilão com representantes de vários países para vender a fórmula do super-soldado. Mesmo a caminho do local, Steve Rogers ainda não tem um plano de como deter o vilão. Pode até interferir o leilão, mas nada impedirá Mecanus de "saltar" para qualquer dispositivo eletrônico que esteja nas proximidades. Se ele fugir, a ameaça de se produzir mais do soro não será detida.

Steve contata Hank McCoy (o Fera), seu "gênio científico" de plantão, para tentar encontrar uma solução para o problema Mecanus. Hank, no entanto, assume que não será fácil atacar o vilão diretamente. Porém, a amiga robótica que acompanha Steve pode ser o trunfo que precisavam. Atendendo pelo nome de Anita Erskine, sua programação não permite que ataque seu criador, mas Hank, através de uma conexão com o sistema do androide, passa uma nova programação que pode direcioná-la de forma diferente.

O automóvel chega até o local do leilão e Anita usa o fato de ser a presidente interina da farmacêutica para conseguir passar pelo segurança. Após receber autorização de entrada, ela abre o porta malas onde Steve ficou escondido. Ele lamenta que as coisas tenham que acontecer daquela forma. Mas Anita sabe que é apenas um ser de linhas de código programadas para fazê-lo lembrar de uma pessoa de seu passado. Ainda assim é estranho o fato dela estar ajudando. Não há uma explicação, a não ser que tenha sido programada para sentir raiva.

Smith recebe a informação de que o leilão será interrompido e avisa seus potenciais compradores para procurarem um abrigo. Por outro lado, verão, de forma prática, o que o supersoro é capaz de produzir. Para surpresa de todos, o corpo de Smith se abre, revelando ser apenas um invólucro para o vilão Mecanus. Logo em seguida, Steve Rogers o ataca. Utilizando seu escudo energético, ele decapita Mecanus. Obviamente, por tratar-se apenas de um corpo mecânico por onde o vilão se movimenta, isso não tem efeito em eliminá-lo. No mesmo instante, Mecanus começa a se transferir e atacar através de outros dispositivos e armas, na velocidade de uma batida de coração. Nenhum ataque de Rogers surte efeito. Mas, em dado momento, Mecanus percebe que suas transferências foram bloqueadas. Cada recepção de satélite, cada torre de celular... graças à interferência de Anita, que esteve ocupada em destruir o sistema eletrônico da base. Rogers estava apenas ganhando tempo. Ainda assim, resta um sistema eletrônico que não está bloqueado... a própria Anita. Imediatamente, Mecanus transfere sua consciência para a androide. O que ele não esperava era que o sistema operacional dela foi reajustado, permitindo que fizesse um último sacrifício. Antes que o vilão possa tentar fugir... Anita se autodestrói. Rogers desliga o que sobra dela, com o vilão ainda dentro de seus circuitos, e recupera a maleta com as amostras do supersoro.

No dia seguinte, no QG móvel dos Vingadores Secretos, Steve ainda pensa sobre os velhos tempos (como até mesmo Sharon pode perceber). O relatório de Hank mostra que o soro contido na maleta sequer pode curar gripe. Muito menos ser um soro do supersoldado. Aparentemente, essa missão não fez o menor sentido.

Em Detroit, o professor Erskine ainda está vivo e comemora o sucesso de seu plano: usar Mecanus para que Steve Rogers acredite que não há ameaça da recriação do supersoro, além de simular sua própria morte. Ele negocia com um integrante do chamado Conselho das Sombras e já encontraram um jovem que será perfeito para a experiência. Dezessete anos, sua mãe faleceu anos atrás e a economia atual arrasou sua vida. Praticamente a mesma história de Rogers. A ideia é justamente essa. Se o soro funcionou apenas em Steve Rogers, mais do que recriar o soro... eles irão criar novos Steve Rogers. Há outros para serem checados... para que, um dia, o Conselho das Sombras tenha seu próprio exército de supersoldados.

A+:

* A tenente Cynthia Glass apareceu, anteriormente, apenas na minissérie As Aventuras do Capitão América, como vimos em O Diário de Steve Rogers - Parte 409.

ENQUANTO ISSO:

* A revista holandesa Veronica revelava algumas fotos sobre a produção de Capitão América: O Primeiro Vingador, além de uma curiosidade a respeito dos escudos utilizados. Sim, DOS ESCUDOS, no plural. Não que a história mostrasse vários tipos de escudo, mas a quantidade era em relação dos tipos de escudos utilizados nas filmagens. Foi um total de 25 escudos de diferentes materiais, desde os mais leves até um modelo todo feito em bronze, impossível de se manejar (exceto se você tivesse o soro do supersoldado em suas veias). Dos menos difíceis de se manejar, havia até mesmo um que se assemelhava a um grande freesbee, que seria substituído quando aplicado o CGI.

UIA!
* Para comemorar a 700ª postagem do Diário de Steve Rogers, contratamos até um palhaço, daqueles que faz figuras com balões e... bem... ele é um excelente profissional, como podem ver...

GALERIA:
* Capitão América, por Joe Bennett

SEM FILA:
* O escudo do Capitão: notório... e muito útil:

ÂMAGO CLASSIC:

( O Diário de Steve Rogers - Parte 1 ) O Professor Erskine, curiosamente, surgiu nos quadrinhos com o nome de Josef Reinstein, em uma alusão a Albert Einstein. Décadas depois, seu nome seria alterado para o atual Erskine, com o qual o personagem se popularizou como criador do soro do supersoldado.

ÂmagoNews:
* Como surgiram (aos trancos e barrancos) os atuais (e disfuncionais) Guardiões da Galáxia: A Turma de Peter Quill

Nenhum comentário: