sexta-feira, 27 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 702

Arte de capa por Carlos Pacheco
 - Steve Rogers: Super-Soldier  n° 3 (Novembro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 3", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Steve Rogers ainda se lembra que, em sua infância, sua principal companhia era... o medo. Medo de apenas ir da escola para casa, quando outras crianças, simplesmente por sua natureza cruel, insistiam em agredi-lo. Medo e a impotência diante de tal situação quando, na verdade, tudo que ele queria era saber lutar.

Com a mesma impotência, Steve está agora preso em uma mesa de laboratório do vilão Mecanus, com seu corpo sem o efeito do soro do supersoldado. A intenção do vilão é estudar o sangue de Steve para descobrir o que tornará o soro ativo sem destruir o corpo de suas cobaias. Mecanus demonstra ser frio e sádico, pois não tem como objetivo usar os benefícios do soro em si mesmo. Afinal, já faz muito tempo que seu corpo foi destruído e seus robôs criaram uma nova forma onde sua mente pudesse ser armazenada e transferida.

Mecanus conta que usou Jacob Erskine, inclusive convencendo-o a adotar o sobrenome de seu avô para atrair Steve Rogers. O vilão teve a sorte de encontrar uma foto antiga, onde o Capitão América aparece com quem aparenta ser seu primeiro amor: Cynthia Glass. Com essa nova informação, Mecanus criou um simulacro com as feições da moça para desconcertar ainda mais Steve. Com os detalhes de seu plano revelado, o vilão faz com que seus capangas, com corpos alterados pelo soro, desacordem Steve mais uma vez.

A cela em que Steve é colocado parece ser a prova de contato exterior. Ele não consegue chamar por Sharon. Como soldado experiente, ele tenta passar o tempo da forma com a qual foi condicionado: treinando. Só lhe resta esperar. Quando Mecanus reaparece, anuncia que os testes foram positivos... e que não irá mais precisar de Steve. Seus capangas entram na cela. No entanto, Mecanus cometeu um grande erro. Ao contrário do que se imagina, Steve não se tornou o homem, pelo qual é conhecido, na guerra ou em um laboratório. O verdadeiro herói nasceu nas surras que suportava, em sua infância, quando ainda era um magricela impotente. Além do que, os anos o fizeram se tornar o homem mais bem treinado do mundo. Quando o vilão o tornou franzino novamente, não conseguiu tirar seu condicionamento tático no processo. E não são tamanho e força que importam, mas sim a habilidade. Graças a isso, Steve, mesmo em seu estado atual, consegue derrotar os capangas.

Steve chega até o laboratório e reativa o androide que simula Cynthia. Através dela, ele descobre que estão embaixo da casa na praia. Aparentemente, Anita Erskine demonstra certa emoção e raiva por descobrir que não é humana. No momento, Steve a convence (ou reativa sua memória) de que ela deve mostrar onde Mecanus está fazendo suas experiências com o soro e como reverter o processo que o enfraqueceu.

Chegando a outro laboratório, Anita se lembra de que Jacob criou um processo que serve como segurança caso os experimentos com o soro dessem errado. Isso significava que o soro ainda estava nas veias de Steve, mas o que sumiu foi o efeito dos raios vita. Ela se lembra da programação e reativa a máquina, que bombardeia Steve com raios. O processo funcionou. Quando os capangas chegam até o laboratório, Steve já recuperou sua forma física e ativa seu escudo energético contra os disparos desferidos contra ele. O herói não se contém ao atacar os capangas, mesmo com eles tendo força sobre-humana.

Anita parece chocada com a selvageria de Steve. Na verdade, foi para agir dessa forma que ele foi criado. Levando em conta as memórias de Cynthia, a androide deveria se lembrar. Agora eles correm para encontrar o vilão, que está prestes a negociar a venda do soro para terroristas.

Continua...

2 comentários:

Anônimo disse...

Negociar o soro? Esse cara tem uma máquina q reverte o soro do supersoldado do Capitão América!! Isso sim é valioso, e ninguém tá se importando??!!! O Caveira Vermelha pagaria fortunas para ter isso (na verdade, ele mataria todo mundo e pegaria a máquina pra si, mas vc entendeu....)


Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

A máquina é uma espécie de anti-raios vita. O soro, na verdade, continua no corpo, mas sem os efeitos do raio (que fazem toda a química funcionar corretamente).

Replicar o soro, seria multiplicar seus efeitos para um potencial exército. A máquina, na verdade, só funcionaria anulando quem tivesse os efeitos do soro em seu corpo. Nesse caso, apenas Steve tem isso de forma correta.