domingo, 18 de maio de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 670

 - Captain America n° 49 (Junho de 2009)

* "The Daughter Of Time", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Luke Ross, artefinalizada por Rick Magyar, colorizada por Frank D'Armata, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Os Novos Vingadores n° 74 ("A Filha do Tempo"), letreirizada por Valéria Calipo, traduzido por Fernando Lopes e Jotapê Martins e editada por Paulo França

Sharon Carter ainda sonha com aquele dia. Sonha com o primeiro vislumbre de Steve morrendo. Afinal, ela o matou. Já fazem nove meses desde que Steve morreu. Meio ano desde que ela se libertou do Doutor Faustus e do controle mental do Caveira Vermelha. Desde que se demitiu da SHIELD. Muita coisa mudou desde então. A SHIELD não existe mais. Não desde que a invasão skrull fez Tony Stark parecer um idiota. Bucky Barnes anda com os Vingadores em seu próprio uniforme de Capitão América. Enquanto isso, ela se isolou na Virgínia, no lar da família Carter. Sam Wilson, o Falcão, um dos poucos amigos que ela tem, a visita de vez em quando. Ainda assim ela sente parte de suas memórias faltando.

Ela sempre visita sua tia, Peggy Carter. Há dias em que Peggy relembra seus dias ao lado do Capitão América na Segunda Guerra. Mas, em questão de momentos, sua memória se vai e ela mal sabe quem é sua sobrinha. Apenas se lembra de que Sharon trabalha para Nick Fury. Tia Peggy sempre foi uma inspiração para Sharon. Até mesmo mais do que seus próprios pais. Isso foi algo que eles nunca a perdoaram. Infelizmente, eles morreram acreditando que Sharon havia sido morta em ação. Tia Peggy foi tudo que lhe restou, mesmo com sua memória indo e vindo.

Sam continua atrás de alguma pista sobre o... como é chamado mesmo... "Capitão dos anos 50" ou "Cap Perverso" ou "Cap do Mal". Sharon prefere acreditar que ele a salvou das mãos do Caveira e de Arnim Zola. 

Sharon está cansada. Mas dormir não lhe parece uma ideia agradável. Não com os pesadelos que a esperam. Ela decide caminhar pela propriedade e encontra com um amigo que não vê há quase uma década: Dave Cox. Ela aceita o convite para jantar. Julie e Dave se separaram há um tempo. O filho dele vem visitá-lo todos os fins de semana. Em parte, seu ativismo contra a guerra era grande demais diante de seu casamento. Dave confessa que estava ansioso para ver Sharon. Ele ainda nutre sentimentos por ela. Ainda assim, mesmo fazendo quatro meses que ela voltou a morar na propriedade, ele não teve coragem de procurá-la. Sharon o beija. Confessa que se sente sozinha. Mas ambos sabem que não é uma boa ideia e colocam a culpa no vinho. Hoje ela ficará. Dave lhe trará um cobertor para que possa descansar na sala.

Na manhã seguinte, Dave explica ao filho que Sharon é uma amiga que havia se oferecido para fazer o café da manhã. Sharon está inquieta e se tranca no banheiro. Desconfiada, ela vê, pela primeira vez, a cicatriz em sua barriga.

Sam faz suas costumeiras visitas e encontra Sharon arrasada. Ela sabe. Sabe que estava grávida. Ele lhe conta tudo. Sobre o controle de Faustus. Sobre esconder sua gravidez. Perder o bebê. Sua luta contra Pecado. Aos poucos, ela se lembrou de tudo.

Naquela noite, seus pesadelos a levam a outro tipo de lembrança. O Caveira Vermelha e Arnim Zola abrindo uma espécie de portal onde ela se horrorizou ao vislumbrar algo. Ou alguém. Ela se pergunta o que a assustou tanto. Seria... Steve?

Continua...

ENQUANTO ISSO...

* Apesar de assumir que os fãs do novo Capitão América estavam gostando da atuação de Bucky como o herói, o editor Tom Brevoort confessou: Steve Rogers iria retornar. Muito provavelmente, parte da comemoração do n° 600 da revista ou mesmo da minissérie Reborn com o personagem.

2 comentários:

Anônimo disse...

...a Sharon também precisa de terapia. Tipo, pra ontem.



Jovie

Marcos Dark disse...

E pensar que o Falcão, que reclamava de TUDO, é o mais centrado. Vai ver, reclamar foi uma ótima terapia.