segunda-feira, 28 de abril de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 653


 - Captain America: The Chosen 2 (Novembro de 2007)

* "The Shape of Nightmares", história escrita por David Morrell, desenhada por Mitch Breitweiser, colorizada por Brian Reber, editada originalmente por Andy Schmidt e Alejandro Arbona

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América - A Escolha ("A Forma dos Pesadelos"), letreirizada por Júlio Nogueira, traduzido por Fernando Bertacchini e editada por Fernando Lopes; e pela Editora Salvat na Coleção Graphic Novel Marvel, editada por Luciana Barrella

Poucas pessoas seriam capazes de dizer que o homem naquela maca, enfraquecido, era o Capitão América. Por ironia, aquele é o mesmo lugar onde o herói foi criado, décadas atrás. E ele está piorando. Não está respondendo ao tratamento que estão lhe dando. Nesse ritmo, ele não irá durar muito. Se o caso se agravar, os agentes tem ordem de avisar o próprio presidente, que tem interesse no estado do herói. De certa forma, quem está próximo ao Capitão América, também está próximo ao presidente. A determinação dele é incrível.

No Afeganistão, o cabo James Newman parece estar tendo outra alucinação com o Capitão América. Ele está em uma situação delicada. Seu regimento foi destacado para destruir armas de inimigos dentro de uma caverna que já havia sido bombardeada. Ele odeia cavernas, odeia se sentir confinado. O problema é que ainda havia guerrilheiros escondidos e, sabendo que o local já estava abalado, eles utilizaram explosivos para matar a todos. Praticamente todo o regimento foi soterrado. O cabo Newman consegue escapar dos escombros, mas está cercado por seu colegas, todos gravemente feridos. Alguns, agonizantes, imploram por sua ajuda.

Esse Capitão América parece não estar dizendo coisa com coisa. Ele confirma que Newman o viu ontem. Mas nega que ajudou a resgatar alguém. Na verdade, o herói afirma que Newman os salvou sozinho. Quanto à presença do Capitão naquela ocasião, que parece tão real como agora... aconteceu (e acontece) apenas na mente do cabo, que teme estar ficando louco. 

O Capitão América lembra o cabo Newman da ocasião em que ele ficou preso em um porta-malas, em sua infância (mesmo estranhando o fato do Capitão saber dessa particularidade de sua vida). Era um abrasador dia de verão. O porta-malas mais parecia um forno. Newman quase morreu. Porém, mesmo prestes a perder os sentidos, ele não se rendeu. Continuou tentando. Mesmo exausto, recusou-se a desistir. Mal podia respirar, mas nunca deixou de lutar. Jamais perdeu as esperanças. Nunca se rendeu. O Capitão lembra que o cabo Newman é mais forte e bem mais valente do que jamais sonhou. 

Os amigos soterrados de Newman estão ficando com medo. Afinal, o único capaz de salvá-los está falando sozinho. O Capitão América ainda insiste que Newman é capaz, sim, de salvar a todos. Newman exige saber o que está acontecendo afinal, já que o próprio Capitão concorda que não está lá. É então que o herói explica.

"Estou morrendo."

Continua...

Nenhum comentário: