terça-feira, 22 de abril de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 647

 - Punisher War Journal n° 7 (Julho de 2007)

* "Blood and Sand", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Ariel Olivetti, editada originalmente por Axel Alonso

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Marvel Action n° 18 ("Sangue e Areia"), letreirizada por Gisele Emann Tavares e editada por Paulo França

Tatiana Arocha, a fotógrafa que registrou o ataque do Monge do Ódio, investiga sobre como toda a polícia foi desviada graças a uma ligação que os levou pra outro local e que dizia que a Al-Qaeda estava prestes a cruzar a fronteira. Graças a essa informação, todos os operativos se dirigiram para um local distante o bastante a ponto de não ser possível ajudar o assentamento mexicano que foi devastado. Agora, Tatiana quer mais detalhes com quem recebeu a denúncia.

Frank planeja que Stuart deve encontrar fotógrafa do jornal que tirou a foto do vilão que decidiu "homenagear" o Capitão América. Já ele ficará responsável por encontrar as milícias controladas pelo mesmo vilão. Para isso, Frank se apresenta em um suspeito bar como alguém interessado em encontrar "trabalho" por aquelas bandas. Logo, consegue fazer amizade com um dos contatos da milícia conhecido como Tank.

Para entrar para a Força Nacional, Frank tem seus olhos vendados e passa por uma espécie de iniciação. Ele não se preocupa em ser ferido pelos integrantes do grupo. Afinal, pelo que pôde ver, daria conta perfeitamente. O problema é que não enfrentaria nenhum deles... mas um touro enfurecido. Para surpresa dos presentes, Frank consegue arrancar um pedaço do cercado da arena e arrebentar na cabeça do animal, desacordando-o. Enquanto os integrantes da Força Nacional ficam boquiabertos, seu líder, o Monge do Ódio, está satisfeitíssimo por encontrar Frank.

Enquanto isso, Stuart se encontra com Tatiana, que está desesperada por descobrir que a atendente da polícia que recebeu a chamada falsa... está morta.

O novo Monge do Ódio, o líder terrorista que tem dizimado pequenas comunidades mexicanas, capturou Frank Castle. Pretende matá-lo e dar seu corpo para alimentar seus cães. Mas, antes, o vilão gostaria que Frank estivesse vestindo o novo uniforme que lembra o Capitão América. O Monge acusa Frank, e os que se dizem patriotas, como sendo um traidor da raça branca, cristã e de direita. Frank retruca que o grupo de neonazistas com lavagem cerebral do vilão é pouco para dar cabo dele. Para dar cabo do novo Capitão América.

Continua...

GALERIA
Cabessandro é resultado das vivências reais de Alessandro Souza, com o devido toque de ficção e humor. A ideia surgiu quando esse jovem guerreiro empunhava sua fiel raquete elétrica à caça de pernilongos e, coincidência do destino, com o photoshop aberto, resolveu criar o personagem título, para transmitir situações do cotidiano.

O nome surgiu de um apelido particular, surgido na escola fundamental, sendo a junção de seu nome com a alcunha "cabeça".

O mascote do personagem título é ninguém menos que uma muriçoca (ou pernilongo), provavelmente uma homenagem ou mesmo um dissidente dos invasores enfrentados pelo nosso herói.

Alessandro nos presenteou, vestindo o conhecido uniforme do Sentinela da Liberdade em sua criação... devidamente acompanhada por seu parceiro de batalha.

Para conhecer mais sobre seu simpático personagem, visite sua página: Cabessandro

Nenhum comentário: