domingo, 20 de abril de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 645

 - Wolverine Origins n° 20 (Fevereiro de 2008)

* "Our War: Part 5", história escrita por Daniel Way, desenhada por Steve Dillon, colorizada por Matt Milla, editada originalmente por Axel Alonso

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Wolverine n° 51 ("Nossa Guerra - Parte 5"), letreirizada por Marcos Valério e editada por Rogério Saladino

Logan precisava fazer algo em relação às suas ordens de matar o Capitão América. Além disso, teria que garantir salvo conduto para o Barão Von Strucker. É então que ele arma um plano. Volta até o local onde deixou o desacordado Bucky, que ainda está no chão. Porém, Logan sabe que ele está fingindo e manda-o se levantar... e lhe explica o que está para acontecer.

O Capitão América está começando a evacuação do local quando Logan e Bucky trazem Strucker, que parece ter sido espancado antes. O piloto dos americanos está morto. Logan se oferece como copiloto, enquanto o Capitão, que já havia treinado, assume como piloto. O herói tem pressa em sair dali. No caminho, o Capitão agradece a Logan, mas este que diz que sua ajuda foi pouca. Afinal, ali estava o Capitão América, alguém que lutava como se tivesse nascido pra isso. Ao contrário do que Logan imaginava, o herói não é exatamente alguém talhado para a guerra.

"Sempre sinto que não estou pronto pra comandar esses homens... e muito menos ser o Capitão América. Quando me alistei, me classificaram como ICD. Incapaz de Cumprir o Dever. Mas... sofri um tratamento. Tinha outros provavelmente mais qualificados para o projeto, mas... eu queria tanto participar. Lutar pelo sonho. Lutar pela liberdade. Proteger os indefesos, fracos e oprimidos."

O relato só faz Logan se sentir ainda pior perto do que estava prestes a fazer. Ali ele percebeu que Steve Rogers não havia nascido para a guerra, afinal. O que ele fez foi uma escolha. Algo que Logan nunca pôde fazer.

Quando estão sobrevoando o leste da Argélia, Logan alerta que eles têm pouco combustível. O máximo que dá para chegar é no sul da França. Bucky tem algo para falar. Logan desconfia que o garoto tenha escutado mais do que imaginava. Antes que Bucky fale... aviões inimigos os interceptam. O Capitão faz o possível para manter o avião no ar. Mas eles são fustigados pelos disparos inimigos, que perfuram a fuselagem e matam vários soldados. Bucky é ferido no ombro por um desses disparos. Enquanto o Capitão América vê, horrorizado, seu pelotão ser morto, Logan, que ficou no comando, diz que o manche não responde. O avião faz um pouso desastroso e forçado.

No chão, o Capitão percebe que Logan desapareceu. Bucky diz que Strucker também fugiu. Lá fora, uma desagradável surpresa. Logan acompanha o Barão Zemo, vilão nazista que diz ser fã do herói, uma vez que acompanha suas aventuras nas revistas em quadrinhos. Zemo ordena que Logan leve o prisioneiro sob custódia. Logan planejou levar o Capitão até Zemo, pois seria muito mais fácil de escapar do que enfrentar os outros agentes que esperavam por Strucker. É claro que o herói não aceitou essa traição.

Quando o Capitão América começa a esmurrar Logan, Zemo pede que seus homens não interfiram. Ele quer confirmar se o herói americano é realmente tudo que os quadrinhos contam. Foi uma das maiores surras que Logan já levou, principalmente quando o herói utilizava o escudo. Logan ainda tinha a desvantagem de não se sentir tão determinado quanto ao herói. Quando o canadense está prestes a revelar o que contou sobre ele para o inimigo... ele é alvejado. 

Bucky. Logan não havia lhes contado sobre a presença de Bucky.Os vilões conseguem fugir. Além de ferido, Bucky precisou recarregar. Logan até sente-se melhor por apagar no meio do deserto. 

Hoje, após a morte do Capitão América, ele sabe que teria recebido o conselho do herói... do amigo... para esquecer o passado. Mas Logan sabe que isso não é possível. Porém, em respeito pelo Capitão, hoje ele o irá fazer.

ÂmagoNews:

* Escrevendo sobre os alienígenas mais tradicionais da Marvel: Caras de Sapo

Nenhum comentário: