quinta-feira, 17 de abril de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 642

 - Wolverine Origins n° 17 (Novembro de 2007)

* "Our War: Part 2", história escrita por Daniel Way, desenhada por Steve Dillon, colorizada por Matt Milla, editada originalmente por Axel Alonso

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Wolverine n° 48 ("Nossa Guerra - Parte 2"), letreirizada por Marcos Valério e editada por Rogério Saladino

Os Estados Unidos entraram oficialmente na Segunda Guerra em Dezembro de 1941. Mas, extra-oficialmente, eles já haviam se envolvido desde Novembro, auxiliando os ingleses e franceses no que foi chamada de Operação Garoto Azul. Não por acaso essa operação ganhou esse nome devido à presença de um inexperiente Capitão América.

No caminho para a missão, outros soldados se divertiam com uma publicação que era colocada, propositalmente, em suas mochilas: uma revista em quadrinhos do agora popular Capitão América enfrentando nazistas. Achavam engraçado porque o próprio personagem estava ali com eles. Então, a dúvida era se o verdadeiro Capitão América deveria ser uma encarnação do personagem dos quadrinhos... ou o personagem dos quadrinhos foi criado com base no verdadeiro Capitão América. 

Na verdade, a Operação Garoto Azul, primeiro ataque aéreo dos Estados Unidos, foi um fiasco desde o começo. O plano era voar direto da Inglaterra para a Argélia, passando por cima da Espanha. Não era impossível de se realizar, mas era complexo e arriscado. O problema era que não tinham informações decentes sobre navegação ou mesmo boa comunicação com as tropas francesas em terra. Para se ter uma ideia da inexperiência nessa operação, os aviões chegavam a cair não devido a serem abatidos... mas simplesmente, por um erro grosseiro de cálculo, ficarem sem combustível. E foi assim que o avião com o Capitão América caiu.

No local da queda, os americanos sobreviventes ainda resistiam contra tropas alemãs que chegaram até eles. Um grupo pequeno, porém, bem distribuído a ponto de parecer que estava em um número dez vezes maior do que realmente estavam ali. Além disso, o transporte dos alemães estava posicionado em uma espécie de rota de fuga caso os americanos contra-atacassem. Se isso acontecesse, seria possível fugir dos americanos e avisar o restante da tropa sobre sua localização. 

Surpreendentemente, alguém contra ataca na posição contrária a dos americanos, dizimando os alemães. Logan, com quem o Capitão América havia se encontrado em Madripoor. Lembrando que o Capitão havia comentado que eles deveriam agir juntos mais vezes, Logan chega a citar essa "parceria". A reação do Capitão América, diferente de anteriormente, é de certo constrangimento. Afinal, ele já tinha uma parceria de batalhas com alguém que diz a Logan que já ocupa esse cargo. James Buchanan Jones, o garoto conhecido como Bucky. Do ponto de vista de Logan, Bucky era apenas um obstáculo entre ele e a missão que, possivelmente, o faria matar o Capitão América.

Continua...
A+:

* De fato, no mundo real, soldados americanos recebiam revistas em quadrinhos com histórias do Capitão América. Um dos motivos da criação do personagem, aliás, foi justamente servir de incentivo para que os soldados que seguiram para o front.

ÂmagoNews


Nenhum comentário: