sábado, 8 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 583

 - Captain America & The Falcon 7 (Novembro de 2004)
* "Lost in Translation", história escrita por Christopher Priest, desenhada por Joe Bennett e artefinalizada por Jack Jadson

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 23 ("Sonho e Realidade")

"Certa vez, a razão encontrou a sorte numa ponte. A sorte disse: 'Me deixa passar'. A razão era inexperiente, não sabia quem devia passar primeiro e falou: 'Por que eu deveria deixá-la passar? Você não é melhor que eu.' A sorte respondeu: 'Aquela que consegue fazer mais é a melhor'. O pretendente a uma filha do rei desagradou o soberano, que mandou cortarem sua cabeça. A sorte diz à razão: 'Está vendo? Ele não está muito bem com você. Sai da frente pra eu ficar no seu lugar'. Quando a sorte possuiu o pretendente, a espada do carrasco se quebra, dando tempo pra princesa fazer o rei mudar de ideia. A razão vai a cerimônia de casamento. Mas, ao ver que ia se encontrar com a sorte, foge. Desde então, quando a razão se encontra com a sorte, abre caminho pra que ela passe. É preciso tomar certas decisões. Mas, na maior parte, elas são suas decisões."

Essas são as palavras de Wanda, a Feiticeira Escarlate, ao acordar no apartamento de Steve Rogers, o Capitão América, após passarem uma noite juntos.

"Você é um soldado. Acostumado com ordens, cronogramas, parâmetros de missões. E este problema parece ser bem bagunçado, desorganizado. Ontem, talvez pela primeira vez, você me viu como algo mais do que uma criança exótica. Hoje, voltei a ser aquela criança. Hoje, você se preocupa comigo e com Pietro. Se pergunta no que você é diferente do Visão ou de Simon... considerando que devo ser uns 50 anos mais nova. Bom, Capitão, todo mundo é praticamente 50 anos mais novo que você. Aceite isso... e a nossa situação. O amor não é conveniente, lógico ou organizado. O amor... está onde você encontra."

Rogers continua tendo sonhos recorrentes com a morte de Bucky, o termo "guerras demais" e... Wanda. Ele acorda assustado. Alguém bate a sua porta e o chama de Senhor Roper. Quando atende, o homem reclama que a água da suíte onde ocupa está inundando a de baixo e pergunta se estourou algum cano. Steve diz que dormiu na banheira e promete pagar por todos os estragos. Mesmo com o homem tentando entrar no apartamento, Steve fecha a porta alegando que está atrasado para ir trabalhar. Assim que fecha a porta, pede para outro ocupante aparecer, pois não foi visto. Sam Wilson, o Falcão, que lhe pergunta sobre o sofá ao qual Steve fica olhando como se o móvel pudesse contar uma história. Steve se cala, mas revela que acredita estar sendo atacado... ou mesmo enlouquecendo. Ele não pára de ter ilusões sobre Bucky, o garoto que lutava ao seu lado durante a 2ª guerra... e morreu por sua culpa. Na verdade, essa história não é novidade para Sam. Mas Steve explica que os sonhos agora se manifestam fisicamente, lembrando que foi parar em um bloco de gelo dentro de um táxi. Sam acredita que é o caso do supermariner bagunçando a cabeça do herói... desequilibrando-o. Uma espécie de guerra psicológica. O Falcão ainda lembra que, na guerra entre entregar o prisioneiro ou não... muita gente pode acabar se machucando. Eles estão sem saída. Falcão ainda acumula os problemas de estar sendo procurado por traição e metade dos traficantes colombianos em sua cola. Também há o fato de entregarem a amostra de um vírus criado em Cuba.

Steve revela que Wanda estava no sofá. Quando Sam entende que é a Feiticeira Escarlate, alerta o amigo para o que está (ou esteve) fazendo. Analisando a situação, avisa que ela é uma garotinha do leste europeu, afinal. E o povo dessa região é muito religioso. Pra ela, envolver-se é como se eles estivessem casados. Steve está tão confuso... que acredita que sente alguma coisa por ela.

O Capitão América se encontra com a Feiticeira Escarlate nas Nações Unidas, onde Tony Stark, o Homem de Ferro, está prestes a fazer um discurso.

"Pensei muito no que você disse. Nas decisões que preciso tomar. Um grande amigo me ajudou a ver que as decisões não são minhas... mas nossas. Você tem razão... eu estou acostumado à ordem e disciplina. E isso... tem tudo pra ser muito complicado. Mas a grande questão é... e se não vivermos o momento? O que estaríamos perdendo?"

Ela ouve tudo... com total estranheza, apenas alertando que o discurso do Homem de Ferro irá começar. Ainda demonstra que não só não está entendendo aquela conversa, como também a considera inapropriada. Quando ele cita a noite anterior... ela não só diz não saber do que está falando... como pergunta se o herói está bem. Constrangido, ele pede desculpas e os dois partem para assistir o discurso.

Nenhum comentário: