segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 547

 - Captain America n° 25 (Janeiro de 2000)
* "Twisted Tomorrows", escrita por Dan Jurgens, desenhada por Andy Kubert, artefinalizada por Dan Green

Publicada no Brasil, pela Editora Abril, na revista Grandes Heróis Marvel n° 15 ("Futuro Incerto")

Investigando sobre o reaparecimento de Nick Fury, Steve Rogers (o Capitão América) e Sam Wilson (o Falcão), designados pela SHIELD, descobrem uma facção nazista em pleno Idaho. O embate inicial mostra que a dupla ainda dá conta de um exército de nazistas. Mas, quando a situação muda e eles são desacordados por uma bomba de gás, descobrem que o líder da facção é o vilão conhecido como... Monge do Ódio.

Continua...
A+:

* Até o momento, grande parte dos personagens da Marvel acreditava que Nick Fury estivesse morto, assassinado pelo Justiceiro. Porém, o maior agente secreto da Marvel demonstrou que esse foi mais um truque para despistar seu paradeiro. Sua volta se deu em uma minissérie conjunta com a Agente 13 (Sharon Carter).

* Steve Rogers demonstra ser um grande fã das músicas de Glenn Miller, um dos maiores nomes das chamadas big bands da década de 40. Durante a Segunda Guerra, na qual Miller serviu, seu avião desapareceu em um voo entre a Inglaterra e a França, provavelmente abatido. Os destroços e os corpos dos ocupantes desse voo nunca foram encontrados. Além de Miller, Rogers também confessa ser um grande fã de Frank Sinatra.

* No passado, em uma reviravolta no roteiro, o Monge do Ódio revelou ser ninguém menos que... o clone de Adolf Hitler.

* Edição com mais páginas devido ao aniversário do título. Apesar disso é uma edição "fluída", com uma ação mais sequencial e pouco texto, o que acaba tornando-a como uma leitura ainda mais rápida do que se tivesse os números de páginas costumeiros.

* Depois de trabalhar uma década com o Superman (sendo um dos principais escritores/desenhista responsável pela comentada morte do personagem), Dan Jurgens passa a escrever para a editora concorrente, a Marvel. Com o Capitão América, Jurgens ficaria até o final do atual volume de sua revista. 

* Andy Kubert, inicialmente, continuou como o principal desenhista do título. Nessa fase, passa a ser finalizado por Dan Green que, até então, era finalista da arte de Ron Garney (desenhista ao qual Kubert sucedeu em Capitão América) na revista do Hulk. Jesse Delperdang, que antes finalizava a arte de Andy Kubert, passaria a trabalhar na editora DC Comics, arte finalizando o desenho de Pete Woods na revista mensal do Robin.

* O escritor Mark Waid também voltaria a trabalhar na DC Comics, retornando em algumas edições de Flash (personagem que ajudou a alavancar) e Liga da Justiça.

2 comentários:

curtidas no instagram disse...

Muito bom o post gostei muito!

Marcos Dark disse...

Que bom. E vem aí a fase desenhada por John Cassaday!