domingo, 8 de setembro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 480

 - Captain America 438 (Abril de 1995)
* "The Bombs Bursting In Air" - Escrita por Mark Gruenwald, desenhada por Dave Hoover e artefinalizada por Danny Bulanadi e Scott Koblish

Publicada no Brasil, pela Editora Abril, na revista Marvel 97 n° 1 ("Artilharia Pesada - parte 2")

Seis horas atrás, uma espécie de biochip foi implantado no Capitão América... algo como receptores neurais. Tony Stark montou o exoesqueleto para que o herói pudesse realizar movimentos que sua musculatura não mais podia. Não são movimentos com os quais ele estava acostumado... mas ele precisava se acostumar. Outra novidade é que agora seu escudo obedece à sua vontade tanto quanto seu arremesso. Até mesmo sua voz é amplificada por um vocalizador. Tudo isso é invenção de Tony Stark, para que o Capitão tenha um tempo extra. E, apesar do traje também poder voar, ele aceita uma carona no jato de Hank Pym.

Logo em seguida, o Capitão intercepta uma mensagem do Apátrida e pede para Hank Pym levá-lo até o local. Assim que chega, o herói usa os novos apetrechos da armadura criada por Stark para cuidar de asseclas do Apátrida. Os terroristas disparam mísseis contra a Casa Branca, mas o Capitão também dispara antimísseis para interceptá-los. O herói segue os terroristas restantes. Quando chega ao local, percebe que o Apátrida tem um refém, um dos garotos que ajuda em sua linha direta. O vilão tem dúvidas se aquele realmente é o Capitão. Apátrida utiliza um explosivo e o herói é obrigado a proteger o garoto com sua blindagem. Após a explosão, ele leva o garoto para o solo, aonde Redentora vem ao seu encontro. Logo, o herói volta para o local da explosão.

Na manhã seguinte, o Capitão América reúne sua equipe e os põe a par dos últimos acontecimentos:

"Sei que todos aqui têm muitas perguntas... sobre meu desaparecimento, meu novo visual... Pois bem, o soro do supersoldado fez meus músculos deixarem de funcionar devido ao excesso de uso. Até mesmo meu coração pode parar. A Stark Enterprises produziu esta armadura pra eu me mover apesar da minha musculatura inválida. Não sei quanto tempo de vida tenho, mas quero ser produtivo. Não quero que sintam pena de mim, e, sim, que me ajudem... ou saiam do meu caminho."

Ninguém fala, temendo dizer algo que soe como pena. Apenas Arnie procura pelo Capitão... e diz que quer continuar ajudando. Afinal... ele tem câncer... e quer fazer algo útil no que resta de sua vida. O Capitão entende e conforta o amigo.
A+:

* Além da armadura, o Capitão América assume uma postura mais dura diante da ação. Sinal de novos tempos, onde heróis da velha guarda sentiam a necessidade de se adaptar.

* Essa história foi mesclada com o prólogo na revista do Homem de Ferro. Foi a história que inaugurou a nova revista mensal da Editora Abril: Marvel 97, revista mix com outros personagens e nova casa das aventuras do Capitão América.

Nenhum comentário: