sábado, 11 de maio de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 373

- Marvel Comics Presents 34 (Dezembro de 1989)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América 139 ("Pecados Passados e Presentes")

História: 

* "Past and Present Sins" - Escrita por Sholly Fisch, desenhada por Jack Sparling, artefinalizado por Randy Emberlin

O Capitão América recebe um misterioso chamado. Ao encontrar-se com quem lhe chamou, descobre que se trata de Thin Man, super-herói dos anos 40. Apesar de ter envelhecido, o herói o reconhece pelo seu uniforme.

Thin Man conta ao Capitão que adquiriu seu poder de tornar seu corpo superfino em um local chamado Kalahia, no Himalaia. Chegando lá, quase morreu com o inóspito clima gelado do local. Mas foi levado para essa cidade e adquiriu este poder. Thin Man ajudou a America durante a guerra, tencionando voltar para Kalahia assim que terminasse. Porém, quando lá chegou, a cidade havia sido destruída pelos nazistas.

Desejando de alguma forma se vingar pela destruição de Kalahia, Thin Man voltou aos Estados Unidos e juntou-se a recém formada CIA. Para eles, seria muito útil um espião capaz de passar por baixo de portas. Em troca, a organização lhe abriria seus arquivos, que lhe ajudou a procurar criminosos de guerra.

Um dos criminosos encontrados foi o Agente Eixo, contra o qual o Capitão América havia lutado na Segunda Guerra. O mais impressionante é que a própria CIA havia negociado com o vilão, assim que a guerra acabou, para que ele revelasse segredos sobre os russos (os inimigos da vez após a grande guerra) e, assim, ganhasse certa imunidade como cidadão americano. Thin Man descobriu onde o vilão mora e leva o Capitão até lá.

Chegando a um apartamento no bairro do Queens, a dupla visita um senhor que tem por volta de oitenta anos. O idoso fica surpreso com a insinuação de que ele seria um criminoso de guerra. Thin Man perde a cabeça e atira no homem... que desvia rapidamente da bala. Trata-se, de fato, do Agente Eixo.

O vilão, ao contrário do que se pode imaginar, convida dos heróis para tomar uma xícara de café em seu apartamento. Calmamente, ele confessa que realmente foi um criminoso, mas agora seus crimes foram esquecidos em troca de favores ao governo americano e que não há mais nada para ser pago. Na verdade, há sim. A massacre de Kalahia. Mas ele desafia o Capitão a matá-lo a sangue frio, única forma de penalizá-lo. 

Thin Man salta no vilão e, com seu corpo fino como uma fita, aperta-o até matar, culpando pela destruição de Kalahia. O velho herói agradece o Capitão América por tê-lo ajudado. O Capitão, no entanto, diz que não sente orgulho do que acaba de ver. Não importa os crimes que o vilão tenha cometido, pois o próprio Thin Man acaba de cometer um: assassinou um homem. O Capitão América sai do apartamento e diz que irá chamar a polícia. Ele alerta o Thin Man para que esteja no local quando os policiais chegarem.

A+:

* De fato, Thin Man e o Agente Eixo eram personagens da Marvel Comics nos anos 40, quando a editora nem mesmo tinha esse nome (chamava-se Atlas). 

* É interessante notar que nos anos 40, chamado de Era de Ouro dos Quadrinhos, haviam tantos personagens novos que confundiam não só o leitor, mas também os autores. O próprio Agente Eixo foi pivô de uma confusão desse tipo. Reaproveitado de uma história antiga por um jovem Stan Lee, só depois de publicado é que notaram uma falha gravíssima: o personagem, então pouco aproveitado, era da editora concorrente, a National Periodical (futura DC Comics). Obviamente, as histórias futuras com o personagem foram descartadas. Porém, mesmo a DC acabou por não aproveitá-lo. Mais de uma década depois, o escritor Roy Thomas, então trabalhando para a Marvel, decidiu reaproveitar o personagem... da versão de Stan Lee. Para não causar mais confusões, mudou sua origem e o incorporou ao universo Marvel. E, mesmo assim, o personagem foi pouco aproveitado. Muito barulho por nada.

Nenhum comentário: