quinta-feira, 9 de maio de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 371

 - Captain America 364 (Dezembro de 1989)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América 168 ("Luar sobre Madripoor - parte 2")

História: 

* "Man Trap" - Escrita por Mark Gruenwald e Kieron Dwyer, desenhada por Kieron Dwyer, artefinalizado por Danny Bulanadi

Preso por uma armadilha que imobilizou seu pé, o Capitão América é atacado pelo corpulento vilão, que veste uma máscara de caveira, e percebe que ele não é um amador. Conseguindo se livrar da armadilha, constata que o corte foi profundo, mas não pegou o tendão. O vilão, que se identifica como Ossos Cruzados, o domina e está prestes a enfiar uma lâmina na cabeça do herói. Mas o Capitão se recupera e o golpeia com seu escudo, dominando-o. Agora, o herói só quer saber onde está Cascavel. Ossos cruzados concorda em levar o Capitão até sua parceira.

Dez minutos depois, chegam a um prédio abandonado. Desconfiado, apesar de Ossos Cruzados estar imobilizado, o Capitão o faz ir à frente. Mesmo assim, o vilão se aproveita de um momento de distração e pisa no pé ferido do herói, disparando pelas escadas do prédio. O vilão se encontra em um quarto dividido por uma cortina. O Capitão tem cautela ao entrar no local. Quando está no meio do quarto, Ossos Cruzados alerta para que ele não se mova. Acontece que o tapete em que o Capitão está pisando esconde uma placa sensível a pressão conectada a uma bomba. Se tirar o peso de seu corpo da placa, a sala inteira vai pelos ares. O vilão abandona a sala e diz que Cascavel, na verdade, está longe dali.

Sozinho, o Capitão confirma se existe mesmo a tal placa debaixo do tapete. De fato, há uma parte do chão separada do resto. Provavelmente é a placa. Não é possível saber se a bomba está debaixo das tábuas ou só o detonador. Olhando em volta, ele nota uma fresta perto do teto. Possivelmente uma janela de observação. Considerando que Ossos Cruzados tem algum capanga, o Capitão deduz duas coisas. Primeiro, a bomba não é tão poderosa pra que um observador tema pela vida. Segundo, a bomba está perto dele e o mais longe possível da fenda de observação. Mas ainda existe a possibilidade de Ossos Cruzados considerar o suposto capanga... dispensável.

O Capitão América tem uma ideia. É hora de arriscar. Se a bomba estiver debaixo das tábuas, seu escudo deve absorver o impacto da explosão. A ideia é subir em cima do escudo, contar até três e saltar. O herói põe em prática sua ideia e, assim que o escudo sob seus pés atinge o tapete... a sala explode.

Pouco depois, o Capitão América está fora do prédio. Sua ideia deu certo. Nos arredores de onde aconteceu a explosão, o herói encontra alguém aparentemente preocupada... Cascavel. Ela conseguiu se libertar sozinha, afinal. Mesmo assim, o herói ainda quer reencontrar Ossos Cruzados.
A+:

* O vilão Ossos Cruzados é um daqueles casos em que há uma enorme confusão quanto ao local de sua primeira aparição. Há quem diga que sua primeira aparição se deu em Captain America 359, onde o herói está saindo da selva amazônica, escapando de uma tribo que segue o costume dos antigos incas. Na verdade, ali foi mostrado apenas a silhueta de um observador misterioso... e esse observador era Ossos Cruzados. Mas essa foi sua única aparição. Nas edições seguintes, foi se tornando mais evidente. Em uma edição mostrava-o como observador, porém, já mostrando seu visual. Em outra aparecia repentinamente e só dizia uma frase... e assim por diante. A verdade é que seu efetivo embate com o Capitão América se deu no final da edição 363 (nas últimas duas páginas) e a grande batalha se deu na edição 364. Em resumo: o vilão, apesar de surgir apenas como uma silhueta pensante, foi criado na edição 359, pois já estava planejado como um novo vilão.

Nenhum comentário: