sexta-feira, 3 de maio de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 365


 - Captain America 358 (Setembro de 1989)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América 167 ("Ossos da Discórdia - Parte 1")

História: 

* "Bones of Contention" - Escrita por Mark Gruenwald e Kieron Dwyer, desenhada por Kieron Dwyer, artefinalizado por Danny Bulanadi

Muito abaixo dos edifícios de Manhattan, descendo além dos canos de esgoto e túneis de metrô, existem catacumbas. Poucos sabem disso, e raros são aqueles que encontram as trilhas que levam a esse reino de trevas perpétuas. Através de uma corda, é por essas trevas que o Capitão América chega ao fundo, respondendo a um sinal de um engenhoso transmissor capaz de transmiti-lo por quilômetros. 

Ao chegar ao fundo encontra ossos que parecem ser das criaturas comandadas pelo vilão Toupeira. Logo, o herói descobre o que pode ter matado as criaturas: espinhos são atirados, provavelmente acionados por alguma espécie de armadilha. O Capitão usa sua agilidade e escudo para ficar fora da linha de fogo. Mas isso não é tudo. Ao escapar de uma armadilha, o herói se depara com outra cada vez mais mortal, de poços de lava até câmaras cheias de afiados espinhos que se fecham a sua volta.

A longa jornada leva o Capitão América até o que parece ser uma câmara cerimonial onde encontra o corpo de dois homens, uma mulher e até mesmo o de um golfinho. No meio da câmara, uma espécie de poço de sacrifícios com ligação a uma fenda no teto. O sinal do transmissor indica que está sendo retransmitido de dentro do poço. O herói constata que o mesmo é profundo demais. Além disso, uma fortíssima corrente de ar parte de dentro dela.

Descendo pelo poço, as botas do herói parecem tocar uma espécie de caixa, que ficou presa em uma das saliências e está sendo escorada pelo forte vento que vem do fundo. Quebrando a caixa, o herói se surpreende com a presença de... Cascavel, que estava presa dentro dela e acionou o sinalizador. A ex-integrante da Irmandade da Serpente explica que foi capturada e jogada pelo poço pelos vilão Batroc e seus capangas. Fala também sobre o esqueleto de Ulysses Bloodstone, nome que o Capitão acha familiar. Com o intento de investigar mais sobre esse nome, o herói decide levar o crânio no caixão com ele.

Chegando à ilha dos Vingadores, o Capitão mostra urgência em descobrir mais sobre o mistério revelado por Cascavel. Estudando mais sobre Ulysses Bloodstone, descobre que era um aventureiro intitulado "Caçador de Monstros" e que uma gema mística, incrustrada em seu peito, foi partida em pedaços em uma de suas aventuras. Já o crânio trazido pelo herói demonstra emitir uma estranha radiação... um sinal que apontava, possivelmente, para os outros fragmentos da joia. Com o novo piloto, o coronel John Jameson, e utilizando seu novo jato, o Capitão e Cascavel partem para o local onde a pedra emite a sinalização: a selva amazônica.

O sinal fica mais forte em uma parte da selva onde é impossível pousar. Por isso, Capitão e Cascavel saltam de paraquedas até o seu alvo (Cascavel, esforçando para ser uma parceira perfeita, até mente que já saltou várias vezes). No meio da selva, o casal se depara com indígenas que usam máscaras incas e os captura. Eles são levados até uma espécie de pirâmide onde o chefe dos indígenas usa uma máscara onde está incrustrada uma joia... a bloodstone. O líder dos indígenas ordena que seja levantada a roda da morte, uma saliência ornamentada onde estão presos Batroc, Zemo, Machete e Zaran. Percebendo que os vilões ainda estão vivos, Capitão decide agir, mas ele e Cascavel são atingidos na nuca por dardos carregados de curare e estarão paralisados em segundos. 
A+:

* Aqui é mostrado o jato personalizado do Capitão América, uma variação dos jatos dos vingadores que agora é exclusivo do então líder e administrador do grupo. Não é explicado na edição brasileira, mas os responsáveis pelo novo design são os wakandianos enviados pelo Pantera Negra.

* O novo piloto do jato do Capitão América é o Coronel John Jameson. O sobrenome não é estranho para os fãs de quadrinhos da Marvel. Trata-se do filho de J. Jonah Jameson, editor do jornal Clarim Diário e um dos maiores opositores contra a atuação do Homem-Aranha (Jameson não sabia que um de seus fotógrafos, Peter Parker, era a identidade secreta do herói). Ao contrário do que o Capitão imaginava, John confirma que seu pai de fato não gosta de heróis, focando seu preconceito contra o Aranha. Dos Vingadores, no entanto, o editor até simpatizava, possivelmente pela presença do Capitão América, herói que atuou na juventude de Jonah quando lutou na Segunda Guerra.

John viria a se tornar um importante coadjuvante dentro do sub-universo dos vingadores, sendo até mesmo o principal interesse amoroso de Jennifer Walters, a Mulher Hulk, integrante do grupo. Seu passado como vilão, no entanto, o assombraria algumas vezes, já que ele foi, involuntariamente, transformado no Homem Lobo, inimigo do Homem-Aranha.

* A saga da Caçada à Pedra de Sangue (a tal bloodstone) tem bem o clima das aventuras cinematográficas de Indiana Jones, provavelmente inspiradas pelo filme "Indiana Jones e a Última Cruzada", sucesso em 1989, ano em que essa história foi lançada.

* Aqui começava a longa parceria do Capitão com a ex-vilã Cascavel. Além da abordagem de seu passado criminoso (tanto sendo lembrada disso por outros heróis quanto perseguida por seus ex-parceiros) também havia a paixão da personagem pelo herói, verdadeiro motivo dela querer estar sempre tão perto.

* Desde a edição passada, a revista americana do Capitão América passou a ser quinzenal, ao invés de mensal, e assim permaneceu por um ano. A revista também se dividia em duas histórias (no caso desta edição, a história secundária foca o Agente Americano, John Walker) tirando uma inevitável sobrecarga de trabalho do desenhista. O escritor Mark Gruenwald, no entanto, permanecida escrevendo ambas.

* Os corpos dos dois homens, da mulher e do golfinho encontrados pelo Capitão América nos subterrâneos da cidade pertencem a uma aventura do próprio Ulysses Bloodstone em aventuras solo do personagem, inédita no Brasil.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá!!!!

"Aqui começava a longa parceria do Capitão com a ex-vilã Cascavel" pensei q isso fosse só nessa minisérie, a mulher é uma inútil! Eu quase duvidei e ela já tivesse sido vilã. Super peso morto na cena da selva (e depois também) e caiu no esteriótipo da típica mocinha em perigo que precisa de um homem forte para salvá-la, aff!!!
Eu ainda não li *todas* as edições dessa saga, então não sei se a Cascável melhora, mas por enquanto ela é uma vergonha para a classe de vilãs (e ex-vilãs).

E ela e Steve vão ter um caso?

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

Bom... Digamos que Capitão e Cascavel ainda terão muita história pra contar... juntos.