domingo, 7 de abril de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 339



 - Captain America 336 (Dezembro de 1987)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 152 ("Forças da Natureza")

História: 

* "Natural Calling" - Escrita por Mark Gruenwald, desenhada por Tom Morgan e artefinalizada por Dave Hunt

Após ser "exonerado" do cargo de Capitão América, Steve Rogers vaga pelos Estados Unidos em seu furgão. Em um bar de beira de estrada, assiste os noticiários sobre as ações do novo Capitão América (John Walker) contra o grupo Cães de Guerra. 

No mesmo noticiário, toma conhecimento do sabotador ecológico conhecido como Irmão Natureza, que provocou uma violenta queda de produção na indústria madeireira através de numerosos atos de sabotagem. Como está em um local cheio de trabalhadores dessa indústria, tenta conter os ânimos quando eles decidem tomar uma atitude mais radical quanto a essas sabotagens.

Steve tem dormido no furgão e vagado de cidade em cidade. Ele se sente alienado... triste... perdido... Ele até procurou Bernie para desabafar e explicou sua situação. Ela sugere que ele faça um novo uniforme e um novo escudo e que continue sendo o Capitão América, independente deles. Mas ele mostra uma ordem judicial que o proíbe de usar qualquer uniforme com as cores vermelha, branca e azul e de se chamar Capitão América. Steve também não quer divulgar seu caso ao público como se fosse uma vítima. E uma advogada dos Vingadores está cuidando do caso. Ele promete a Bernie que irá lutar... só não sabe como... e já se passaram oito semanas. Também ouviu opiniões de seus amigos Falcão, Nômade e Demo. Mas não surgiu nenhuma resposta de ação. Chegou a pedir demissão de seu emprego de desenhista na Marvel Comics, passou a direção da linha direta para Demo e pediu licença prolongada dos Vingadores. Desde então, tem atravessado os Estados Unidos, tentando entrar em contado com o povo de seu país para ver se uma inspiração lhe dê soluções.

Enquanto dirige pensativo pela estrada, uma fenda se abre no chão e engole o furgão de Steve. Se não fosse o cinto de segurança, ele poderia ter morrido. Sua moto, dentro do furgão, ficou intacta e ele consegue escalar os seis metros da fenda com ela. Um terremoto capaz de causar aquilo naquela região é definitivamente incomum. Ao investigar a fenda, ela parece ser natural. Não há sinais de dinamite ou coisas feitas pelo homem. O curioso é que os danos estão limitados à estrada e não alcançaram a floresta dos dois lados.

De repente, um homem surge da floresta para verificar se Steve está bem. Aliviado, o homem diz que não queria ferir ninguém e aconselha Steve a partir. Steve conclui que este deva ser o tal Irmão Natureza, algo que ele confirma. Quando Steve tenta interrogá-lo, uma ventania forte inicia do nada. Quando diminui, o Irmão Natureza sumiu.

Steve entra na floresta escura de onde o Irmão Natureza surgiu e encontra-o cercado por cervos, protegendo-o. Natureza começa a gesticular e os animais atacam. Usando suas capacidades acrobáticas, Steve consegue escapar e surpreender seu agressor. Natureza usa vários elementos como abrir fendas no chão, corujas, ursos... e se surpreende que seu alvo consiga escapar. Quando Natureza pergunta quem é ele, Steve responde que se chama... o Capitão.

Os dois caem em uma fenda aberta por Irmão Natureza, que quebra o tornozelo. Quando acorda, Steve explica que já foi o Capitão América. Natureza, por sua vez, conta sua história. "Eu já tive um emprego decente antes. Sempre adorei as matas. Por isso, me tornei um guarda florestal. Durante três anos, fui um dos mais dedicados. Então, cerca de seis meses atrás, fiquei sabendo sobre dez mil acres de floresta... que graças a uma legislação federal deficiente, seriam vendidos pra uma incorporadora. Havia árvores lá, muitas delas milenares. Eu tentei impedir através dos canais legais, mas riram de mim no tribunal. Eu nunca fui de desobedecer à lei, mas aquela história toda me deixou furioso. Por isso, certa noite, eu iniciei uma campanha de sabotagem contra a incorporadora. Pus areia nos tanques de gasolina, danifiquei a estrada de acesso... usei todas as técnicas de ecoterrorismo conhecidas. Depois de um mês, eu já havia causado centenas de milhares de dólares de prejuízo pra firma. Então me pegaram. Os assassinos de árvores me espancaram tanto que acreditaram que eu tivesse morrido. Pra se livrarem das provas, jogaram meu corpo numa fenda e me soterraram. Enquanto eu estava no seio da mãe natureza, tive uma visão... a deusa da Terra apareceu diante de mim... e me disse que eu não poderia morrer enquanto ainda houvesse trabalho a ser feito. Ela me designou o guardião da natureza... e pôs todas as forças naturais a meu dispor. Desde então, eu declarei guerra a todos que violentassem a natureza."

Steve percebe que a história do Irmão Natureza se equivale a sua situação. Os dois são devotados a elevados ideais. Irmão Natureza à santidade da natureza e ele a um sonho de liberdade. A diferença é que Irmão Natureza partiu para a ação na ilegalidade. Ele se pergunta se deve se tornar, também, uma espécie de guerrilheiro fora-da-lei.

Quando saem da fenda, Irmão Natureza fica horrorizado com a destruição que seu próprio poder causou. Steve explica que todo mundo é responsável pelas consequências de seus próprios atos, não importa a circunstância. Fazer exatamente o que se tenta impedir é o perigo de cruzar a linha e se tornar um renegado. Este é outro lado ao qual Steve pesa muito bem antes de tomar qualquer atitude.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá!!

O Irmão Natureza é tipo o Capitão Planeta!

"Steve tem dormido no furgão e vagado de cidade em cidade. Ele se sente alienado... triste... perdido..." Aff, pior q eu nem esperava outra coisa, Steve sempre precisa passar por uma fase assim antes de melhorar.

"proíbe de usar qualquer uniforme com as cores vermelha, branca e azul e de se chamar Capitão América" Há outras cores no mundo!!!

"deusa da Terra apareceu diante de mim... e me disse que eu não poderia morrer enquanto ainda houvesse trabalho a ser feito. Ela me designou o guardião da natureza... e pôs todas as forças naturais a meu dispor." Coitado, ele NUNCA, nunca, mas NUNCA mesmo vai descansar. Eu amei a estória dele, mas até a humanidade não explodir a Terra, ele vai continuar.......é trágico. É claro q ele está esperando uma mudança de mentalidade e atitude, mas...................o coitado vai ser eterno.

"Desde então, eu declarei guerra a todos que violentassem a natureza." Não está fazendo um trabalho muito bom.

"Irmão Natureza partiu para a ação na ilegalidade" Quando a própria Terra te abençoa e diz ‘vai nessa’ eu não acho q seja ilegal. (Mesmo com o IN sendo bem relapso na missão divina dele)

Mas ele me lembrou bastante o Corvo Negro, aliás, eles deveriam lutar juntos.

SE o Caveira Vermelha voltasse agora (e sei lá, de repente até volta)e encontrasse esse novo (e fajuto) Capitão América, ele ainda iria se interessar? Afinal, o JW não defende e representa tudo o q o CV antagoniza e quer destruir.

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

É por comentários assim que eu leio e releio um texto. Todas as observações muitos espirituosas, inteligentes e corretas.
Nem tenho muito o que dizer.
Agora... Capitão Planeta foi demais! Nunca eu ia imaginar algo assim. rsrsrsrsrs