quarta-feira, 3 de abril de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 335


 - Captain America 332 (Agosto de 1987)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 151 ("A Decisão")

História: 

* "The Choice" - Escrita por Mark Gruenwald, desenhada por Tom Morgan e artefinalizada por Bob McLeod

Capitão América vai até o Pentágono para conseguir mais informações sobre o Tenente Michael Lynch, a Divisão 17 e o G.I. Max, todos envolvidos com o Mercador do Poder. Ele desconfia que dissidentes do exército estejam fazendo experiência para novos supersoldados. Mas o general que o atende não tem nenhuma informação a respeito. Na verdade, o herói é tratado até com certo desdém.

No Pentágono mesmo, o Capitão é encontrado por dois agentes do FBI que estavam a uma semana tentando encontrá-lo. Capitão os segue até uma misteriosa comissão governamental que o esperava. Ele reconhece algumas autoridades ali presentes, inclusive líderes da CIA e do próprio FBI. É explicado que ele está diante da comissão criada pelo presidente para tratar dos Operativos Especiais dos Estados Unidos. Para a surpresa do herói, essa comissão informa que andaram investigando-o e chegaram a algumas conclusões. 

Primeiro: o governo custeou o Projeto Renascimento, o programa para desenvolver um exército de supersoldados em 1941. Segundo: ele, Steven M. Rogers, ofereceu-se como voluntário e assinou um contrato concordando em servir seu país até ser liberado pelo presidente. Terceiro: quando o Projeto foi cancelado após a morte de seu principal cientista, Steve se tornou o único beneficiário do tratamento. Quarto: Steve concordou verbalmente em servir o país como uma espécie de mascote oficial. Quinto: O uniforme que ele usa foi desenhado e confeccionado por funcionários federais. Sexto: Seu escudo foi desenhado e confeccionado pelo governo. Sétimo: o título "Capitão América" foi criado por um funcionário público. Em resumo, a comissão exige que, de acordo com o contrato ainda vigente, ele trabalhe para o governo. O Capitão alega que já vem atuando com os Vingadores e até mesmo com a SHIELD. Em alguns casos, atuou até sozinho. Mas o agente afirma rispidamente que ele não é o Capitão Vingador ou o Capitão SHIELD ou o Capitão Sozinho. Mas o Capitão... América. E seus serviços para agências independentes não constituem alternativas aceitáveis.

Diante da pressão, Capitão América lembra que aquele é um país livre. É quando os burocratas revelam seu trunfo...

A Comissão foi informada de que recentemente o Capitão recebeu quase um milhão de dólares de soldo atrasado, referente ao período de 1945 (quando ele desapareceu nas águas geladas) até a presente data. Porém, por não ter servido oficialmente o país, esse pagamento foi fruto de um equívoco administrativo. O problema é que o Capitão América gastou todo esse dinheiro em sua Linha Direta. Teoricamente, o herói teria que devolver o dinheiro ou... servir ao governo. Caso contrário, além do dinheiro, terá de devolver o uniforme, o escudo e seu nome. O herói pede para pensar. A Comissão lhe dá vinte e quatro horas.

Confuso, Steve tenta desabafar com vários de seus amigos particulares e até entre os Vingadores. Nenhum deles, porém tem uma saída mais imediata, a não ser aconselhá-lo a procurar um advogado. E, mesmo fazendo isso, descobre que suas chances de vitória são muito pequenas. Com o coração partido, Steve liga para Ram, o hacker que se tornou seu apoio, mas não tem coragem de anunciar sua decisão: a Linha Direta terá que ser desativada.

No dia seguinte, antes de seguir para a Comissão, Steve lê em um jornal que o Super-Patriota libertou o monumento Washington de um terrorista, que cometeu suicídio. Ele, inclusive, desarmou uma bomba nuclear. (a verdade era que o Super-Patriota agiu impulsivamente, o terrorista foi derrubado do monumento e a bomba acabou em suas mãos).

Diante da Comissão, Steve anuncia sua decisão: "Cavalheiros, eu ponderei muito sobre o assunto que discutimos ontem. Lamento que, em sã consciência, não possa aceitar seus termos. O Capitão América foi criado para ser um simples soldado, mas eu fiz dele muito mais. Servir o país de maneira que os senhores esperam seria trair minha liberdade pessoal... e me colocar numa posição onde poderia comprometer meus ideais. Eu não posso representar o governo americano. O presidente já faz isso. Minha intenção foi a de representar um sonho... um sonho de liberdade e justiça que não se modifica ao sabor das administrações. No decorrer de nossa história, vários governos agiram de maneira contrária aos ideais que nortearam a criação deste país. Meu compromisso para com esses ideais é maior do que a letra de um documento assinado cinquenta anos atrás. Sinto muito, mas é assim que deve ser. Cavalheiros, creio que isto pertence aos senhores." E Steve entrega seu uniforme e escudo.

Era o fim de uma era.
A+:


* É revelado que o número de Identidade dos Vingadores do Capitão Améria é 39-55-819a

4 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, nem sei por onde começar a comentar.

*Essa* capa está maravilhosa, super dramática; no entanto, seria mais impactante se o Steve já não tivesse abandonado o uniforme antes.
E qual é o motivo do cameo do Abraham Lincoln ali na capa?

Pensei q o FBI estivesse atrás do Steve por causa daquele terrorista morto (ainda mais q ele teve a brilhante idéia de confessar na TV). E pior, o argumento da comissão é muito bom.
Aimeudeus, ONDE está o Tony para ajudar o Steve num momento de crise desses????????????

Leia o discurso do Steve ouvindo 'Do You Hear the People Sing' de 'Os Miseráveis', ficou tão perfeito – foi por acaso, mas combinou.

Isso é tão triste, o que acontece com o Steve agora? Certamente ele não deixará de ser um herói, faz parte da essência dele ajudar outras pessoas.
Mas para o Super-Patriota isso são boas novas.
(Steve podia abrir uma agência de detetives e ir resolver mistérios num clima bem noir)
Mas tudo isso foi muito injusto, ele deveria lutar para ter o uniforme e título outra vez. Steve não pode apenas recuar sem lutar!!!!

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

Muita gente invocou com o Abraham Lincoln no selinho da capa. Fiquei muito feliz com isso, pois mostra que tenho leitores e leitoras antenados!

A explicação é que serve como simbologia para o que está acontecendo ao herói. Uma olhada mais detalhada vai mostra Lincoln triste e até mesmo chorando. É uma metáfora quanto a um símbolo da liberdade e justiça para os americanos estar triste pelo super-herói que tão bem representa esses princípios estar sendo maltratado.

Steve até cogitou pedir ajuda (e dinheiro0 para Tony Stark. Mas não achou justo incomodar o amigo.

E o Steve... bem... ele ainda está vivo. E vendo tudo o que acontecerá seguir. Passivo é que não irá ficar.

Anônimo disse...

Olá!!

DM, você parece surpreso com o fato dos seus leitores e leitoras prestarem verdadeira atenção ao q acontece!!! Pois saiba q vc faz um trabalho maravilhoso, é claro q estamos atentos <3

Mas o Tony é o melhor amigo dele, como ele não sabe o q está acontecendo com o Steve?! Não falo por causa do dinheiro q poderia emprestar, mas pelo apoio e amizade q o Steve precisa agora.

Beijos
J.

Marcos Dark disse...

Surpreso, não. Feliz! É essa interação que realmente me move a querer escrever mais e mais, a contar sobre essas aventuras fantásticas que tanto me divertem. Só tenho a agradecer a todos.

Quanto a ajuda do Tony Stark, na verdade o problema era com o Steve Rogers, que é do tipo que acha melhor não incomodar os outros com seus problemas. De qualquer forma, mesmo devolvendo o dinheiro, ele teria que devolver sua patente para o governo.