quarta-feira, 20 de março de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 323


 - Captain America 323 (Novembro de 1986)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 131 ("Surge o Superpatriota")

História: 

* "Super-Patriot is Here" - Escrita por Mark Gruenwald, desenhada por Paul Neary e artefinalizada por John Beatty

Voltando para a Mansão dos Vingadores, Capitão América é abordado por agentes da SHIELD que o levam até um dos diretores, Jasper Sitwell. Jasper explica que um dos reféns salvos do Ultimato decidiu falar com a imprensa, revelando que o Capitão América foi obrigado a matar um terrorista para salvá-los. O problema é que, diferente dos agentes da SHIELD, que tem imunidade para agir dessa forma em outros países, o Capitão está sendo considerado um contraventor de leis internacionais. Por ter assassinado um homem em terras europeias, criou uma espécie de incidente internacional e pode até mesmo vir a ser julgado na Suíça. Uma das saídas para esse problema é se filiar a SHIELD, oficializando-se como agente da organização. O problema é que, dessa forma, estaria limitando sua área de atuação, tendo até mesmo que deixar os Vingadores e sua Linha Direta para responder a organização. O herói promete pensar a respeito.

Mais tarde, Steve se depara com um novo fenômeno da mídia: o Superpatriota, que também veste um uniforme baseado nas cores da bandeira americana, se diz um defensor do país... e prega que o Capitão América já está ultrapassado.

Steve comparece a um dos comícios do Superpatriota e testemunha seu discurso inflamado. De repente, alguns homens vestindo a máscara do Capitão América, e chamando a si mesmo de Buckys, invadem o palco e ameaçam o Superpatriota por difamar o Capitão. Os Buckys, diante de uma plateia assustada, atacam o uniformizado, que os derrota e entrega para polícia. Durante a confusão Steve tentou agir como Capitão América, mas a confusão terminou antes mesmo que ele vestisse o uniforme. Para sua surpresa, descobre que os oficiais de polícia são falsos... assim como os próprios Buckys.

O que o Superpatriota quer, inicialmente, é se promover a qualquer custo. Por isso simulou um ataque para impressionar a plateia. Até mesmo seu caráter é duvidoso. Prometendo proteger os inocentes, se nega a defender uma senhora que é assaltada, pois esse tipo de problema não chama a atenção da imprensa.

Steve se encontra com o John Walker, o Superpatriota, e seu agente em um restaurante. O herói o alerta sobre sua autopromoção irresponsável e que irá agir caso novamente coloque inocentes em perigo. Walker, orgulhoso e dono da razão, desafia então o Capitão para uma luta onde, se vencer, fará com que o herói se aposente. Mesmo seguro de que possa derrotá-lo, o herói não aceita o desafio. Ao sair do restaurante, Rogers é atacado pelos mesmos Buckys que participaram da simulação, obviamente a mando de Walker, mas os derrota facilmente. Mas isso o ajudou a tomar uma importante decisão.

O Capitão América aparece na TV, em uma entrevista coletiva, confirmando que realmente assassinou um terrorista e que não se orgulha disso. Aceita, inclusive, a cumprir qualquer tipo de penalidade que for necessária e justa acerca desse caso. John Walker assiste o ato heroico do Capitão e se remoe de inveja. Promete que irá provar que é melhor que o atual símbolo do país.

2 comentários:

Anônimo disse...

Desgraça pouca é bobagem, né? Cap precisa de um bom advogado (Pena q a Bernie ainda está começando a estudar, seria perfeito ela voltar e arrasar ao defendê-lo no tribunal)

"o Superpatriota, que também veste um uniforme baseado nas cores da bandeira americana, se diz um defensor do país... e prega que o Capitão América já está ultrapassado." O uniforme dele é pior q do Steve! Argh, não gostei deste cara. E ele poderia se chamar Ufanista q daria no mesmo!

Aff, eu deveria terminar de ler antes de me revoltar. É claro q o ‘SuperPatriota’ não presta!

"O Capitão América aparece na TV, em uma entrevista coletiva, confirmando que realmente assassinou um terrorista..." Omg, onde está o Tony para impedir o Cap de cometer esse tipo de bobagem?! A culpa pode estar corroendo-o por dentro, mas....... eu não consigo nem olhar, isso é um desastre esperando para acontecer!

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

É. O Superpatriota é folgado! Isso não resta dúvida. E ufanista é pouco perto do nariz empinado que carrega.