sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 297


 - Captain America 298 (Outubro de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 98 ("Memórias do Caveira")

História: 

* "Sturm und Drang: The Life and Times of the Red Skull" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Roy Richardson

História focada na origem do Caveira Vermelha, narrada pelo próprio. Mas é tão focada que o Capitão América não emite um som sequer, nem uma fala. Apenas ouve o que seu pior inimigo tem a relatar. E é bem pior do que imaginava. O herói, apenas com um olhar, impede até mesmo Nômade (vestido como Bucky) de reagir, deixando-o ser levado para a cela onde estão os demais amigos sequestrados de Steve Rogers.

Sentados à mesa de uma réplica de taberna alemã, o Caveira começa sua história para o Capitão.

A mãe do vilão morreu quando deu a luz. Seu pai, enlouquecido e culpando o bebê pela tragédia, tentou afogá-lo em uma bacia, sendo impedido pelo médico que atendeu no parto. Ainda enlouquecido, o pai do futuro Caveira Vermelha cometeu suicídio, cortando a própria garganta com uma navalha. Nesse ponto da narrativa, o vilão demonstra sua natureza cruel, revelando que tentou encontrar o médico que salvou sua vida. Mas não para agradecê-lo, e sim para matá-lo como vingança por tê-lo tirado das trevas do útero de sua mãe para a incômoda luz da vida.

Johann Schmidt (verdadeiro nome do vilão) passou sua adolescência entre fugas de orfanatos, prisões por pequenos furtos e como morador de rua. Uma curiosidade é que se sentia seguro apenas procurando por locais onde a escuridão predominava.

Trabalhou para um comerciante judeu cuja filha foi a primeira pessoa a tratá-lo bem. Apaixonando-se por ela (mas admitindo que se tratava apenas de atração física), Johann tentou aproximar-se, mas a forma como foi criado não lhe deu desenvoltura para demonstrar seus "sentimentos" de forma educada e gentil. Percebendo que a garota se assustou com seu assédio, reagiu da única forma que sua existência ensinou... com violência. Espancou a garota com uma pá até matá-la.

Vivendo sempre em fuga, Johann acabou como rapaz de recados em um luxuoso hotel. Certa vez, nesse mesmo hotel, hospedou-se ninguém menos que Adolf Hitler. Johann testemunhou Hitler gritando com um de seus generais, chamando-o de incompetente e apontando para ele... pois dizia ser capaz de tornar um mero rapaz de recados um comandante muito mais eficaz do que os que já tinha. Por algum motivo, Hitler levou adiante aquela ideia e treinou pessoalmente Johann como um dos integrantes de sua elite militar.

Percebendo um ódio incomum em Johann, Hitler decidiu torná-lo um símbolo de terror para a Europa e, após seu treinamento, deu-lhe uma máscara para se tornar... o Caveira Vermelha.

De fato, o Caveira Vermelha se tornou um terror conhecido e temido. Até que seu caminho se cruzou com o do americano conhecido como Capitão América. Em uma das lutas com o herói, o Caveira foi soterrado em um local onde se produzia um gás experimental. Foi esse gás que o manteve em animação suspensa e conservou-o até os dias de hoje, onde foi acordado por uma organização criminosa.

Após inúmeras batalhas e derrotas contra seu inimigo, o Caveira Vermelha se recolheu em sua ilha para planejar seus próximos passos. Uma das ideias que se passaram por sua cabeça, levava em conta que ele pudesse ter um herdeiro. Nesse mesmo dia, conheceu a faxineira que foi contratada por seus lacaios, tomou-a como mulher e a engravidou. Em uma coincidência macabra, a faxineira faleceu durante o parto. E, para o desespero do vilão, havia lhe dado... uma filha, e não um filho como esperava. O vilão, amaldiçoando a criança, decidiu jogá-la nas águas furiosas do mar. Mas... alguma coisa o impediu de fazer isso. Criando a menina, passou todo o seu conhecimento e ódio para ela. Até mesmo acelerou geneticamente seu crescimento e a criança, com apenas dez anos, já se tornara uma mulher adulta... a vilã conhecida como Madre Superiora.

Apesar de tudo, o Caveira descobriu que o gás que o conservou esses anos todos estava perdendo o efeito. Ele envelhecia dia a dia rapidamente. Estava morrendo. Por isso, elaborou um plano para matar seu maior inimigo, o Capitão América. Apesar de ter treinado a Madre Superiora (e dar-lhe outras meninas como suas discípulas, as Irmãs do Pecado), ainda a considerava incapaz. Chegou a cogitar alguém que fosse eleito seu herdeiro, pensando no Barão Zemo. Mas também o considerava inadequado. (quando relata isso, conquista o ódio da Madre e de Zemo, pois estes assistem à narrativa).

E seus planos o levaram até aquele momento, onde pretende lutar pela última vez com o Capitão América. Ainda mais que, depois de narrar toda sua história, percebe nos olhos do também envelhecido Capitão que ele sente pena e não ódio de seu inimigo, mostrando como os dois são opostos.

Continua...
A+: 

* Várias cenas dessa história são homenagens ao desenhista Jack Kirby, co-criador do Capitão América.

2 comentários:

Anônimo disse...

olá

Okay, o CV teve uma início de vida difícil, mas já dava para notar q ele era um psicopata mesmo.

Num dos capítulos anteriores do Diário (mas eu não lembro qual número, sabe são quase 300 já!) a estória de origem do Caveira não era um pouco diferente?

Espero q a Sin mate ele logo, depois de destruir a vida dela, ainda a trata como incompetente.

Beijos
J.

Marcos Dark disse...

O que acontece nessa atualização da origem do Caveira Vermelha é que ela está recheada de retcons. Seu passado nunca havia sido tão detalhado como aqui.

DeMatteis simplesmente pegou tudo o que sabia do Caveira até então e inseriu dados para cobrir fatos que nunca haviam sido mostrados.