segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 271



- Captain America 286 (Outubro de 1983)
> Publicada no Brasil no Almanaque do Capitão América nº 87, pela Editora Abril ("Em Busca da Identidade")

História: 

* "One Man In Search of... Himself" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por John Beatty

Na Mansão dos Vingadores, Capitão América treina o inexperiente Nômade. Apesar do jovem herói já ter atuado como Bucky no passado, na época ele tinha apenas quinze anos e sua experiência em combate foi nublada pelo uso de uma versão do soro do supersoldado. Apesar de cometer erros primários, o Capitão América vê muito potencial em seu novo parceiro.

Voltando para casa, Steve Rogers está prestes a enfrentar o maior desafio de sua vida, até maior do que os supervilões que já enfrentou: ele será apresentado aos pais de Bernie. De fato, o herói se sente nervoso com a expectativa desse encontro. No carro de Bernie, Steve pensa na ironia da situação, já que, pouco tempo atrás, trabalhava a insegurança de Nômade e, agora, é ele quem se sente inseguro em uma situação corriqueira.

No caminho para o compromisso do casal, próximo a uma fábrica abandonada da Corporação Brand, Bernie quase atropela um homem que aparece repentinamente em frente a seu carro. Quando Steve sai para ver se está tudo bem, vê o homem invadindo a fábrica e murmurando um nome que lhe é familiar: Deathlock. Steve sabe que este é um nome de um ciborgue e que a Corporação Brande, por ser uma subsidiária da Petróleo Roxxon (com a qual já teve problemas no passado) pode estar envolvida em algo perigoso. Pede desculpas a Bernie e veste o uniforme, seguindo o invasor.

Dentro da fábrica, Capitão América encontra o invasor que está estranhamente enfraquecido. Sem poder fugir, ele explica que veio do futuro, mais especificamente do ano 1999 (a história foi publicada em 1983), onde a América é decadente a ponto da população estar se habituando ao canibalismo e estar cercada de miséria. No futuro, já não existem heróis. O invasor, que se chama Luther Manning, tem como missão encontrar o ciborgue Deathlok. Apesar da história absurda, os instintos do Capitão dizem que Manning é de confiança.

De fato, nos laboratórios aparentemente abandonados da Brand estão vários homens uniformizados e armado que atacam a dupla. Eles facilmente dominam a situação, mas, quando Manning pergunta sobre o paradeiro de Deathlok... é atingido por um disparo fatal. E o atirador é ninguém menos que... Deathlok, o matador.

Continua...
A+:

* Na capa da edição brasileira, a imagem do Capitão América que aparece na mira da arma de Deathlok não é a mesma do original americano (que foi desenhado totalmente por Mike Zeck).

* Hoje em dia, as realidades paralelas da Marvel são identificadas por uma numeração. Isso se estende até mesmo para a realidade onde ocorrem os filmes cinematográficos (por isso as origens dos personagens são levemente diferentes do que são nos quadrinhos) e até mesmo o mundo real, onde você, leitor, acompanha as aventuras dos seus heróis, é considerado uma realidade numerada. A realidade de onde Luther Manning surgiu é a decadente Terra 7484.

* A música Psychotron, da banda Megadeth, foi criada com base no personagem Deathlok : Clique para ouvir a música e conferir a letra, inclusive traduzida

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu estou amando o DeMatteis no comando das estórias. Olha só: o Cap não vive deprimido, o relacionamento dele com a Bernie é super saudável, O Sam vive aparecendo, e agora ele tem um novo parceiro no Nômade. E as estórias são envolventes.


"até maior do que os supervilões que já enfrentou: ele será apresentado aos pais de Bernie." OMG, já?!!!! Boa-sorte, Steve!

Ah, um futuro tipo Mad Max, mas o robô nem era de um futuro assim tãaaaaaao distante, 16 anos é pouco tempo para a sociedade se destruir de tal forma (ou eu q sou muito otimista), e para TODOS os heróis terem desaparecido.

Mais algum personagem de hq inspirou alguma outra música?

Jovie

Marcos Dark disse...

DeMatteis é um excelente escritor.

Já quanto as bandas e músicas inspiradas em heróis, há diversos exemplos. O que me faz lembrar da banda The Wolverines.

Anônimo disse...

Oi, eu encontrei váaaaaarias músicas inspiradas, e olha só essa lista: http://whiplash.net/materias/melhores/156567.html

A música do Ramones todo mundo conhece (mas eu nemmmmmm lembrei) e o Thor também tem uma <3

Beijos
J.

Marcos Dark disse...

HQ N' Roll!!!!