sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 266


 - Captain America 281 (Maio de 1983)
> Publicada no Brasil no Almanaque do Capitão América nº 83, pela Editora Abril ("O Passado Está Sempre Presente")

História: 

* "Before The Fall" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por John Beatty

Bernie leva Steve Rogers para assistir a um documentário sobre a atuação do Capitão América durante a Segunda Guerra Mundial. O filme faz com que Steve sinta um triste saudosismo, uma vez que vê a si mesmo quando atuava com seu parceiro, Bucky, morto durante aquele período.

De volta ao apartamento de Bernie, o casal recebe a estranha visita de... Bucky! A primeira reação de Rogers é dominar e espancar o rapaz, pois desconfia que ele seja uma duplicata criada por algum inimigo. Mas o jovem explica que ele não é Bucky Barnes, o original, mas o rapaz que atuou como Bucky nos anos 50. Em suas palavras:

“Eu era um garoto de quinze anos, apaixonado pelo Capitão América e Bucky. Meus pais tinham morrido um ano antes... e fui morar com uns tios que me puseram em um colégio interno. Lá, eu encontrei um professor que partilhava de minha obsessão pelo Capitão e Bucky... seu nome era Steve Rogers. Mas logo eu descobri que esse não era seu nome verdadeiro. Sua incrível devoção ao herói fez com que procurasse, até descobrir, a Fórmula do Supersoldado. Com isso, ele esperava tomar o lugar do herói que todos acreditavam ter morrido na Segunda Guerra.

Com o fim da Guerra da Coréia, o projeto foi desativado e o professor teve que voltar a lecionar. Porém, a ameaça vermelha continuava. Então Steve e eu injetamos o soro em nós mesmos e... o Capitão América e Bucky estavam de volta. Oh, foram dias gloriosos pra mim. Imagine o que significava pra um mero adolescente lutar ao lado da reencarnação do grande símbolo da liberdade da América.

Mas nem tudo correu bem. Steve e eu começamos a ver inimigos em todo canto que olhávamos. Na verdade, nós tínhamos perdido a noção da realidade. Só que não tínhamos meios de perceber isso. O soro do supersoldado estava destruindo nossas mentes. Então fomos presos e, como a ciência não tinha cura pra nossa condição, fomos congelados em câmaras criogênicas, na esperança de que algum dia pudéssemos ser curados. A cura nunca veio, mas alguns anos depois, fomos reanimados pelo homem que era responsável pela nossa guarda.

Nossa primeira missão foi tentar acabar com VOCÊ, Capitão, pois achávamos que havia manchado o nome do Capitão América. Jamais sonhamos que você pudesse ser o primeiro, o VERDADEIRO Capitão América. Essa descoberta destroçou de vez a pobre mente de Steve e acabamos confinados numa instituição pra doentes mentais. O que ninguém sabia era que o diretor daquele hospital era... o infame manipulador de mentes... Doutor Faustus. Em vez de curar Steve, o crápula controlou sua mente pra transformá-lo no Grande Diretor de uma organização fascista chamada Força Nacional. Pra testar o sucesso de sua lavagem cerebral, Faustus ordenou ao Steve que me matasse. Ele realmente acreditou que tivesse me matado, mas a arma estava carregada com balas de festim, pois Faustus sabia que podia me usar como um trunfo mais tarde. Quando Faustus e a Força Nacional foram derrotados, eu fui parar em um hospital da SHIELD e, depois de vários meses, finalmente encontraram a cura pra minha insanidade. Steve não teve tanta sorte. Faustus o assassinou. Assassinou um homem cujo grande pecado foi amar demais o seu país."

De fato, o Capitão América dos anos 50, que se tornou vilão conhecido como Grande Diretor, morreu graças à manipulação de Faustus, mas já estava enlouquecido antes disso. Sua morte aconteceu na parte 225 do Diário de Steve Rogers: http://quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com.br/2012/12/o-diario-de-steve-rogers-parte-225.html

Envergonhado, o Bucky dos anos 50 pede desculpas pela intromissão e se despede. Steve é quem pede desculpas por sua reação explosiva, explicando que imaginava ser a manipulação de algum inimigo, e promete ajudar o garoto no que puder.

Mais tarde, Capitão América e o novo Bucky (vestido com o característico uniforme e revelando que seu verdadeiro nome é Jack Monroe) estão novamente se exercitando, dessa vez pelos telhados de Nova Iorque. Repentinamente, um helicóptero aborda a dupla e, de dentro dele, surge o vilão Constritor, que consegue subjugar o impulsivo Bucky. Mais experiente, Capitão América resiste contra os tentáculos eletrificados do vilão, mas deixa a guarda aberta para que os ocupantes do helicóptero, que trabalham para a Madame Hidra, o alvejem. Bucky, que estava desacordado devido ao primeiro ataque, só tem tempo de ver os vilões sequestrando o herói.

Continua...
A+:

* O escritor J. M. DeMatteis dá um jeito de trazer o Bucky dos anos 50 de volta, revelando seu verdadeiro nome, Jack Monroe, pela primeira vez.

* A capa da edição brasileira é uma montagem com a arte de Mike Zeck, uma vez que a verdadeira capa dessa história já havia sido utilizada anteriormente, na edição 77 da Editora Abril, onde era recontada toda a história dos homens que se tornaram Capitão América.

Nota aos leitores do blog Âmago:
> Amanhã, 19/01, teremos DUAS postagens do Diário de Steve Rogers, sendo a primeiro à partir das 18:00. Isso se repetirá no domingo, dia 20/01, onde também teremos DUAS postagens, sendo a primeira também às 18:00. Não percam!

Nenhum comentário: