sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 252

 - Captain America 270 (Junho de 1982)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 67, pela Editora Abril ("Alguém Se Importa")

História:

* "Someone Who Cares" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Mike Zeck

Steve e Bernie finalmente tem a chance de conversar sobre o que está havendo entre eles. Bernie tenta convencê-lo a ter menos medo de se apaixonar, apesar de sua atitude "antiquada" de protegê-la de um relacionamento que pode não dar certo.

De repente, quando estão conversando, um homem se aproxima e deixa Steve estarrecido. Trata-se de Arnie Roth, amigo de infância de Steve Rogers. O espantoso é que a infância dele... se passou na década de 40. Steve pede licença a Bernie e conversa com Arnie reservadamente.

Na verdade, quando os pais de Steve se foram, ele praticamente foi criado pelos pais de Arnie. Com o tempo, o namorador Arnie se distanciava cada vez mais do reservado Steve. O alistamento militar trouxe uma novidade notada por Arnie: Steve desenvolveu-se fisicamente de uma forma anormal. Com a aparição do Capitão América, e conhecendo Steve a tanto tempo, foi uma questão de lógica descobrir a identidade secreta do herói.

Arnie procurou Steve para que ele lhe ajudasse como Capitão América, pois encontrava-se em dificuldades. Pediu desculpas por não procurar o amigo antes, mas ele se tornou um ninguém, enquanto Steve era um famoso herói. O problema é que Arnie se meteu no mundo das apostas em jogos e seu companheiro de quarto fora sequestrado por criminosos que estavam lhe chantageando.

Steve, agora como Capitão América, deixa que Arnie o leve até um prédio onde seu amigo está em cativeiro. Chegando no local, o arrependido Arnie revela que levou o Capitão para uma emboscada, pois disse que conhecia o herói e os criminosos pediram que o levasse até eles. Compreendendo a situação do amigo, Capitão América diz para seguirem em frente, que tudo irá acabar bem.

Arnie encontra seu companheiro amarrado em uma cadeira mas, quando o desamarra, ele vai ao chão... imóvel... sem vida. Ao mesmo tempo, após derrotar alguns criminosos, Capitão se depara com um enorme monstro humanóide. Arnie vai até o Capitão, dizendo que seu amigo está morto. Porém, quando o herói derruba o monstro, este começa e derreter e balbucia o nome de Arnie. Assim que o monstro se desfaz, o amigo de Arnie ressurge... vivo.

Enquanto passa por esse sufoco, Bernie também tem seu dia de heroína. Ela livra uma senhora que está sendo incomodada por garotos. A mulher mora em um prédio decadente e Bernie se voluntaria a acompanhá-la. Chegando ao local, a senhora mostra uma faca e ameaça matar Bernie, pois acredita que ninguém se importa com ela e todos devem pagar. Bernie convence a mulher a largar a faca, que desiste de atacar e se ajoelha, arrependida.

Ao se encontrarem de novo, Bernie e Steve sentem-se exaustos não só pelos acontecimentos, mas pelo mundo cruel a sua volta. O único refúgio do casal é estar um nos braços do outro.
A+:

* Apesar do assunto ser um tanto quanto tabu na época em que essa história é publicada, fica implícito que Arnie e seu amigo, Michael, são gays. Assunto tratado com delicadeza e maestria pelo escritor J. M. DeMatteis, que deixa claro a mensagem até mesmo no título da história. É até interessante notar como Arnie conta sobre seu passado de conquistador de garotas (e Steve era o tímido da turma) e, no decorrer do tempo, cita não ter se casado. Não é exatamente um lamento, mas uma constatação irônica da parte do próprio personagem.

4 comentários:

Anônimo disse...

Tô amando a Bernie, ela tem a atitude certa para lidar com o Steve!!

Aww q fofo, Arnie e Michael serem um casal!! Como eu sou muito fã de slash qdo vc disse q eles moravam juntos eu suspeitei (por diversos motivos), mas não achei q na estória isso fosse verdade. Vamos aplaudir o escritor por ter tido coragem!!

"Apesar do assunto ser um tanto quanto tabu na época" não mudou muito; vc se lembra do escândalo q os fãs fizeram ano passado por causa do Lanterna Verde ser gay???

beijos
J.

Marcos Dark disse...

Eu quis justamente lembrar o caso do Lanterna. Só que foi um caso de polêmica desnecessária que fez vítimas da mídia mais desnecessárias ainda.

Anônimo disse...

Eu concordo! E vc viu as scans da hq? Não tinha nada demais e o namorado dele era super bonitinho.
Mas se esse povo visse fanart do Batman e Asa Noturna q uma amiga me mostrou, eles teriam tido ataques cardíacos!kkkkk

J.

Marcos Dark disse...

Não cheguei a ver a história completa, mas, pelo pouco que vi, não era nada tão chocante quanto o que a imprensa pregou.