quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 236

 - Captain America nº 251 (Novembro de 1980)
> Publicada no Brasil no especial Os Maiores Clássicos do Capitão América nº 1, pela Editora Panini ("O Mercenário e o Louco")


História:

* "The Mercenary And The Madman" - Escrita por Roger Stern e John Byrne, desenhada por John Byrne, artefinalizada por Josef Rubinstein


O vilão Batroc orquestra a fuga da prisão de outro poderoso vilão, Mister Hyde, pois este lhe prometeu uma fortuna pelo serviço. No entanto, Hyde confessa que mentiu para Batroc. Este, apesar de reagir com seus golpes de la savate (espécie de luta corporal com os pés), percebe que não é páreo para força descomunal de Mister Hyde (que é uma versão monstruosa, tal qual seu homônimo do clássico da literatura).

Steve Rogers passa a noite em claro para terminar um trabalho de arte que conseguiu junto a uma agência. Ao amanhecer, é visitado por Bernie, que lhe faz a  gentileza de preparar um café da manhã. A garota se espanta com o gosto musical de Steve, que tem vários discos de Sinatra, Glenn Miller e as big bands (pois ela não desconfia que o "jovem" pertencia a época desses músicos). Outro detalhe que percebe é o retrato de uma loira, provavelmente namorada de Steve. Ele explica que realmente tinha uma relação com a moça do retrato, tencionando até mesmo casar, mas que ela morreu recentemente. Bernie muda de assunto e fala sobre a fuga da Ilha Riker (no qual Batroc e Hyde estão envolvidos).

Steve leva o trabalho para a agência e não pode deixar de ouvir as notícias sobre a fuga. Repara em um detalhe em particular, dois dos envolvidos tinham sotaque francês (Batroc e sua assistente). Junto ao cansaço, a preocupação de ter Batroc a solta deixa Steve um tanto aéreo. Seu agente gosta do trabalho mas recomenda que ele descanse. Ao invés disso, ele decide procurar um promotor público, como Capitão América, para saber mais sobre a fuga.

No escritório do promotor, coincidentemente, o Capitão América fica sabendo que Batroc sequestrou um barco da empresa Roxxon, carregando toneladas de Gás Natural Líquido, e que pede um resgate, ameaçando lançar o navio contra o porto e o explodindo, fazendo várias vítimas. Mais coincidentemente ainda é o fato de Batroc pedir um refém em particular... o próprio Capitão América.

Amarrado ao cais, o herói cumpre as exigência do vilão. No entanto, está preparado para a situação ao acionar uma das tábuas que libera uma espécie de gás, permitindo que ele escape e derrote Batroc. Mas ele não contava com a presença do poderoso Mister Hyde e o desacorda com facilidade (ainda porque está exausto pela noite em claro, trabalhando). Ao voltar a si, Capitão América está amarrado na frente do navio... que se dirige veloz e perigosamente em direção ao porto de Nova Iorque... pronto para explodir.

Continua...
A+:

* O sucesso de fase faz com que as histórias do Capitão América passem a ter mais páginas a partir dessa edição, permitindo que a equipe criativa  tenha mais liberdade em trabalhar com as história.

2 comentários:

Anônimo disse...

AMEI essa capa!

"Steve Rogers passa a noite em claro para terminar um trabalho de arte" Steven vivendo como um cara normal <3

OMG a Bernie levando café para o Cap foi tãaaaaaaao fofo! Tão simples e rotineiro (TUDO o que Sharo e ele não tiveram *chorando*)

"Capitão América está amarrado na frente do navio... que se dirige veloz e perigosamente em direção ao porto de Nova Iorque." Aimeudeus, como ele escapa???
E o Cap deveria se livrar do Batroc, esse homem é sempre um problema (e ele raptou crianças para um ET, como ele ainda está solto????)

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

Acredite: Batroc ainda terá lá sua utilidade.