terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 235

 - Captain America nº 250 (Outubro de 1980)
> Publicada no Brasil no especial Os Maiores Clássicos do Capitão América nº 1, pela Editora Panini ("Capitão Para Presidente")


História:

* "Cap For President" - Escrita por Roger Stern e John Byrne, desenhada por John Byrne, artefinalizada por Josef Rubinstein
Capitão América consegue impedir terroristas em uma convenção de partido político. Agradecido, o líder do partido apresenta o herói a sua bancada. É aí que surge uma idéia aparentemente absurda: candidatar o Capitão América para presidente. O herói, obviamente, não leva muito a sério, mas essa simples idéia vai tomar proporções inimagináveis.

Chegando em casa, Steve Rogers se depara com os vizinhos em uma acalorada conversa sobre política... e a possível candidatura do Capitão América. A idéia, pelo visto, vazou para o grande público. Mas o herói começa a ficar preocupado de verdade quando lê a manchete do Globo Diário... confirmando sua candidatura.

Ao chegar na Mansão dos Vingadores, agora cercada pela imprensa, Capitão América tem que lidar com seus próprios colegas de equipe discutindo sua candidatura. Fera e Vespa apoiam a idéia, enquanto o Homem de Ferro e o Visão são contra.

Saindo para espairar, o Capitão América se depara com o prédio no qual ficava a escola onde estudava nos anos 30. Atingido por um saudosismo inesperado, o Capitão decide entrar e, mesmo com o local abandonado, encontra algumas carteiras de sua época. Lembra-se da professora falar sobre a responsabilidade civil e de pedir pra não a decepcionarem no futuro.

O herói comparece a convenção do partido (agora em proporções muito maiores). Seu discurso, porém, lembra os eleitores que um presidente tem que assumir responsabilidades e que ele não é apto ao cargo devido a seu constante combate como super-herói.

O sonho de sua candidatura termina antes mesmo de iniciar.
A+:

* Ao divagar sobre se o jornal Clarim Diário apóia ou não a candidatura do Capitão, o editor J.J.Jameson lembra que o Capitão é um bom homem, um herói lendário... mas que também o país já sofreu com a péssima administração de astros que se tornaram políticos. Pela época da publicação dessa história, essa era uma clara referência ao candidato Ronald Reagan, que era um ator antes de ingressar na política. Curiosamente, Reagan seria eleito presidente no ano seguinte.

* Homem de Ferro é o herói que mais insiste para que o Capitão desista da candidatura. Esse posicionamento tem origem na fase em que o personagem passava nessa época, quando o governo tomou conta das Indústrias Stark, causando certo desconforto a seu proprietário.

* Roger McKenzie e Don Perlin já haviam tido a idéia de uma história onde o Capitão se candidatava a presidente. É possível, porém, que a idéia não tenha sido levada adiante pelo fato da versão dele dar a vitória ao herói. Segundo Roger Stern, escritor dessa versão e editor anteriormente (e que recusou a versão de Mckenzie/Perlin), seria estranho ter um super-herói como presidente, quando a realidade mostrava diferente. O fato é que o povo americano pode até não se lembrar de seus senadores, por exemplo, mas a figura do presidente é algo que se torna popular e reconhecível em qualquer parte do país, assim que é eleito. Dessa forma, seria inviável sobressair a figura do presidente dos Estados Unidos com uma figura fictícia (por mais que a imaginação assim o permitisse). Stern foi digno em explicar esse acontecimento na própria edição, fazendo justiça em creditar a primeira idéia aos escritores originais.

2 comentários:

Anônimo disse...

Cap para presidente?!
Se você pudesse você votaria nele??

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

Eu diria que não votaria no Capitão América, mas votaria em Steve Rogers para presidente.