domingo, 9 de dezembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 228

 - Captain America nº 239 (Novembro de 1979)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 41, pela Editora Abril ("A Carícia da Morte")


História:

* "Mind-Stains on The Virgin Snow" - Escrita por Peter B. Gillis, desenhada por Fred Kida, artefinalizada por Don Perlin

Preso pelo guarda do castelo conhecido como Carrasco, Capitão América é observado pelo líder do mesmo através de um painel. Porém, o herói acaba recebendo uma ajuda inusitada. Desde o início dessa aventura, ele tem sido ajudado por uma mulher com poderes mentais, capaz de produzir ilusões e que se chama Nevaska (por quem o Capitão sente uma repentina paixão). Aparentemente é ela quem causa a ilusão que faz com que o líder misterioso veja pelo monitor o seu capanga cumprimentando o Capitão América. Irritado, o líder ordena que Carrasco pare com aquilo. Do lado de fora, sem entender nada, Carrasco "pára com aquilo", que seria deter o Capitão América. O momento de confusão dá tempo suficiente para que o herói se recupere e nocauteie Carrasco.

Entrando no castelo, Capitão América é atacado por uma série de ilusões mentais. A cada porta que se abre, um ambiente impossível se manifesta. Assim ele se vê novamente na sala de Nick Fury (onde iniciou essa aventura), do lado de fora do castelo, em meio a uma nevasca e até mesmo congelado novamente (como na década de 40). O herói só percebe que são ilusões graças a alguns detalhes do "mundo real". Um desses detalhes é bem peculiar. Uma das asinhas de sua máscara foi arrancada por um tiro que pegou de raspão. Percebendo que ainda está sem asa, nota que não foi sua imaginação. Outros detalhes como estar com seu escudo (que ficou em poder dos soldados de Dovecote) e mesmo explosivos plásticos dados por Nick Fury, servem de âncora com a realidade.

Depois de escapar de inúmeras ilusões, chega até o "líder" de Dovecote, que é um vilão com poderes mentais que foi derrotado por Namor, o príncipe submarino. Enfraquecido, o vilão explica que Nevaska está contida em um sarcófago que limita seus igualmente poderosos dons mentais.

Como o herói chega a seu objetivo, é iniciada uma contagem regressiva para que o local vá pelos ares. O vilão, enfraquecido, deixa o Capitão partir e diz que irá permanecer no castelo, pois não há mais pelo que lutar. Capitão América vê o sarcófago onde Nevaska está presa. Ao abrir o sarcófago, uma surpresa: apesar da tampa do mesmo trazer a efígie de uma mulher adulta, dentro dele há apenas uma garotinha... trata-se de Nevaska, uma garota com poderes mentais e que os usou para atrair a atenção do herói. Ingenuamente, a garota criou uma imagem adulta de si mesma e até mesmo manipulou os sentimentos do heróio.

Perdoada pela pequena mentira, Nevaska é levada para fora do castelo, antes que esse exploda. Lá fora, ela revela que também tem poderes de prever o futuro e que pode se tornar uma ameaça em mãos de pessoas inescrupulosas. Contra a vontade do Capitão, a garotinha desaparece em meio a uma tempestade de neve (provavelmente uma ilusão). Quando a tempestade cessa, há apenas um abismo onde ela se encontrava. No céu, porém, o Capitão América pode ver uma nova estrela no céu.

"A única coisa que ele pode fazer é tentar compreender... Tudo que deve acontecer... acontecerá. No céu, brilha mais uma estrela... na terra, lágrimas escorrem pelo rosto de um herói..."
A+:

* Chega a ser divertido ver o Capitão América sem uma das famigeradas asinhas de sua máscara. É interessante notar como, em nenhum momento, o desenhista esquece desse "detalhe". Porém, tudo é explicado quando se mostra que a falta dessa asinha tem importância dentro do roteiro.

Nenhum comentário: