sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 212

 - Marvel Two-In-One nº 43 (Setembro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 63, pela Editora Abril ("A Seita do Cubo Cósmico - parte 2")


História:

* "The Day the World Winds Down" - Escrita por Ralph Macchio, desenhada por John Byrne

Capitão América e Coisa rastrearam e encontraram o Cubo Cósmico, roubado pelo vilão Victorious para que o culto da Entropia invocasse o Homem-Entrópico. O próprio Victorious, explicando sua origem, mostra uma certa ligação com o Capitão. Afinal, ele foi um cientista que tentou duplicar o soro do supersoldado para a SHIELD. Expulso da agência, traiu o governo e continuou seus experimentos juntamente com os terroristas da IMA. Um acidente na elaboração do soro fez com que seu laboratório explodisse, porém, ele sobreviveu graças a absorção do mesmo e ainda teve sua força aumentada.

O Homem-Entrópico, já conjurado, tem poder suficiente para destruir a humanidade. Enquanto a entidade se concentra, Coisa e Capitão América lutam contra Victorious, que mostra ter força suficiente para derrotar o próprio Capitão. Mas, sem que percebam, um outro espectador é atraído pelo brilho do Cubo. Trata-se da criatura de lodo conhecida como Homem-Coisa (sei que é muita "coisa" pra uma história só, mas trata-se de um personagem distinto do herói do Quarteto Fantástico). Enquanto a criatura se aproxima, o Homem-Entrópico hipnotiza o Capitão América e o convence a se entregar.

O Coisa, para salvar o Capitão, se atira dentro do Homem-Entrópico e o resultado é que ele volta a sua forma humana. Porém, isso se torna uma vantagem para Vitorious, que o ataca nessa forma mais frágil. O Homem-Entrópico julga que a humanidade ainda não está preparada para recebê-lo. Dessa forma, sua atenção se volta para Victorious, que está tentando retirar o Cubo das mãos do Homem-Coisa. Quando o Homem-Entrópico o toca, Victorious sente medo... e tudo aquilo que tem medo, queima ao toque do Homem-Coisa. Isso, mais o fato do Cubo estar no meio da ação, causa uma enorme explosão que parece destruir o corpo lamacento do Homem-Coisa e transforma os vilões em uma espécie de cristal.

Capitão e Coisa recuperam o Cubo e retornam ao Projeto Pegasus. Perto dali, o Homem-Coisa reconstitui seu corpo e se aproxima do cristal. Sua mão, ao tocá-lo se torna humana. Não compreendendo que seria sua chance de voltar a ser o homem que foi no passado, a criatura se afasta.

A+:

* A arte-final dessa história foi feita por vários artistas, provavelmente com o intuito de entregá-la a tempo de ser publicada no prazo (mesmo porque, por se tratar de um continuação, não podia ser substituída). Seria uma prova da presença do editor mão de ferro Jim Shooter?

4 comentários:

Anônimo disse...

A 'sombra' na última imagem é o Homem-Entrópico? Amei o visual!

Essa estória foi super divertida. O homem-coisa vai aparecer outra vez? e o homem-entrópico?

Ralph Macchio vai continuar com o Capitão América ou já vão mudar o escritor? (Eu voto para ele ficar, mesmo que com algumas décadas de atraso)

Beijo
J.

Marcos Dark disse...

Sim. Aquele com visual tipo "morte" é o Homem Entrópico. E ele não aparece mais vezes.

Já o simpático Homem-Coisa é personagem coadjuvante recorrente no Universo Marvel, vez ou outra, dá o ar da sua lamacenta graça nas histórias dos heróis.

Ralph Mcchio, na verdade, estava escrevendo o título Marvel Two In One, com encontros do Coisa com outros personagens. Ainda teremos trocas de escritores na revista do Capitão, que começa a se firmar.

Anônimo disse...

Que desperdício de bom personagem! O Homem-Entrópico parece tão perfeito para ser usado outras vezes.

Eu vi q o Homem-Coisa ganhou um filme em 2003 ou 2004 q saiu direto em DVD, vc assistiu???

(O Homem-Coisa me lembrou muito, muito, muito o Mostro do Pântano das estórias de 'Hellblazer'.)

Ahh q pena para o Cap. Mas o Ralph Macchio pegou as estórias do Thor ou dos Vingadores em algum momento?

Beijos
J.

Marcos Dark disse...

Sim, eu vi esse filme do Homem-Coisa e posso dizer que tem pouquíssimo do personagem dos quadrinhos. É um filme B, que tem láaááá no fundo seu charme e trasforma o personagem em uma espécie de VILÃO de filme de terror.

O Monstro do Pântano, personagem em cuja as histórias surgiu John Constantine (e não o contrário), surgiu na mesma época em que o Homem-Coisa. O espaço de tempo entre o surgimento de um e de outro é tão curto, que nem dá pra considerar plágio. Praticamente surgiram ao mesmo tempo. O que se acredita é que, com o trânsito de profissionais dos quadrinhos entre uma editora e outra, houve algum tráfico de informações por algumas das partes.

Ralph Macchio (e não confundir com o ator de Karatê Kid) é um escritor um tanto quanto irregular no que diz respeito a títulos mensais fixos. Porém, trabalhou com personagens como o Demolidor, Thor, Homem-Aranha e títulos onde reunia personagens da Marvel.