quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 210

 - Captain America 224 (Agosto de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 33, pela Editora Abril ("Os Perigos de Sábado à Noite")


História:

* "Saturday Night Furor" - Escrita por Peter B. Gillis, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por Mike Esposito

Um casal, correndo a beira do rio Hudson, encontra o Capitão América, inconsciente, flutuando na água. Quando o herói acorda na residência do casal, que o socorreu, descobre que não é seu próprio rosto por trás da máscara! E mais, não se lembra do que aconteceu recentemente.

Retornando a Mansão dos Vingadores (pois sequer consegue lembrar o número do telefone), esconde o estranho rosto dos companheiros de equipe mas, quando descobrem o que lhe aconteceu, o crédito em ser o verdadeiro herói só se deve a legitimidade do escudo e até mesmo a forma como o agarra em pleno ar (algo que só o verdadeiro Capitão América faria). Recebe a ajuda do Homem de Ferro, que mostra que seu "rosto falso" é uma máscara de pele sintética. Perguntando sobre a última vez que foi visto, Vespa lhe diz que participaram de um encontro social, onde o Capitão conheceu Al Avision. Mas o herói não se lembra de ninguém com esse nome. Continuando a investigar sobre o mistério, descobre que foi envenenado (o veneno só não foi eficiente devido a reação com o soro do supersoldado em seu sangue). E, ao pesquisar as últimas ligações na Mansão, pode ter encontrado a resposta.

A resposta está em uma missão onde, juntamente com um amigo militar, tentavam desbaratar um esquema de contrabando de uma bomba de nêutrons. Disfarçados para não serem reconhecidos (daí o motivo da máscara de pele sintética), acabam entrando em confronto com os contrabandistas, quando o Capitão foi desacordado e envenenado pelo Tarântula (que era líder da operação, juntamente com o vilão Senhor Sorte) e jogado desacordado no rio.

Ao voltar a interceptar os contrabandistas, Capitão América descobre que seu amigo de missão foi torturado e morto. Enfurecido, derrota os vilões e o exército chega em seguida para desarmar a bomba.

A+:

* Essa história serve como interlúdio dos acontecimentos recentes na revista do Capitão América.

* Curiosa combinação de vilões em uma trama de espionagem e terrorismo. Afinal, Tarântula e Senhor Sorte (inimigo do herói Luke Cage) são latino-americanos. Em tempos de guerra fria, seria esse algum recado?

* Apesar do Capitão América ter sido envenenado pelo veneno de uma tarântula (graça ao vilão de mesmo nome), essa aranha não é venenosa. Essa má fama se deve a seu aspecto corpulento e um tanto assustador. Para se ter uma idéia de sua passividade, é a espécie de aranha mais criada em cativeiro. No Brasil, também é conhecida como caranguejeira.

* A versão brasileira da história apresenta uma espécie de resumo do que se trata uma bomba de nêutrons, dita pelo próprio Capitão América. Segundo suas palavras: "...não sei se poderei repousar, sabendo que acabo de salvar a pior arma já inventada pelo homem... algo capaz de matar os seres vivos, deixando intactas as construções." De fato, a bomba é uma variação avançada da bomba nuclear, que é capaz de matar apenas organismos, deixando, por exemplo, edifícios inteiros. Uma vantagem estratégica militar.

Curiosamente, essa explicação foi dada apenas na tradução da edição brasileira. No original, sequer é citado "bomba de neutrons", optando-se por fazer referência a Bomba de Pavor, da fase escrita e desenhada por Jack Kirby. Fez-se assim, uma espécie de alerta sobre os perigos de armamento nuclear.

* O personagem coadjuvante Al Avision, que depois se revela o contato militar do Capitão América, é uma homenagem ao desenhista Al Avison, que produziu as primeiras histórias do Capitão América nos anos 40.

* O título da história faz referência ao filme Os Embalos de Sábado à Noite, dirigido por John Badham, em 1977, e que catapultou a carreira do ator John Travolta, em uma história mostrada no universo da música disco, que era de grande sucesso nessa época.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá!!

Essa capa está maravilhosa! Por um instante pensei q Steven estava morto.

Essa estória é bem empolgante, melhor q muito thriller q eu já assisti :)

"Curiosamente, essa explicação foi dada apenas na tradução da edição brasileira" Legal isso, normalmente as editoras retalham as edições e cometem atrocidades na tradução!!

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

A Abril fazia um verdadeiro mosaico no que se referia a editar os originais. E não é que, algumas vezes, eles acertavam o tom?