domingo, 2 de setembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 139

 - Captain America and The Falcon nº 139 (Julho de 1971)
> Publicada no Brasil na revista Capitão Z Especial nº 7, pela Editora Ebal ("A Insígnia e a Traição")

História:

* "The Badge and Betrayal" - Escrita por Stan Lee, desenhada por John Romita Sr

Para investigar o desaparecimento de sete policiais, o Capitão América é orientado a se infiltrar também como policial, afim de servir de isca para o malfeitor. A idéia, orientada por um comissário, parece agradar mais o herói do que se imaginava. Como ele bem percebe, anda agindo a mais tempo como Capitão América do que como Steve Rogers (sua identidade civil). Encondendo-se na pele de um policial, é possível recuperar a privacidade por trás de uma identidade secreta e, ao mesmo tempo, ocupar-se de uma forma que não seja como um supersoldado.

Na primeira investigação, no entanto, Steve descobre um canteiro cheio de estátuas de pedra, muito parecidas com os policiais desaparecidos. É então que associa os desaparecimentos a um vilão capaz de transformar qualquer coisa em pedra: o Gárgula Cinzento!

Continua...

A+:

* A revista continua se chamando Captain America and Falcon, mas o entendimento entre os dois heróis não é o dos melhores. enquanto o Capitão América ainda tenta encontrar seu lugar no mundo, o Falcão se aproxima dos operativos da SHIELD.

Aqui, é a primeria vez que o Falcão utiliza um peculiar adereço: uma espécie de gancho em forma de garra de falcão, proporcionando que o herói seja capaz de se balançar entre os prédios. A mesma garra, eficiente, é retrátil após seu uso. Curioso notar que o Falcão teve essa idéia depois da aventura com o Homem-Aranha...

* Importante nova fase de transição nas histórias do personagem onde, além de mostrá-lo sobre um novo ponto de vista (pois agora atuaria como policial), também marca a mudança da equipe criativa, onde Stan Lee e John Romita Sr ocupariam mais altos e administrativos dentro da Marvel.

* Surge um interesse romântico para Sam Wilson (o Falcão). O nome da moça é Leila Taylor e aparece como uma amiga que vai dar um leve puxão de orelha no amigo que age como assistente social. Ela dá um toque sobre como agir mais ativamente para a comunidade mais carente do bairro. Sam não perde a oporturnidade de dar uma boa cantada na bela garota. Mas era uma novíssima personagem coadjuvante e muita coisa iria rolar mais pra frente.

* Outro personagem coadjuvante importante introduzido é o Sargento Muldoon, superior de Steve Rogers dentro da força policial, e que faz certa homenagem ao lembra de um velho conhecido do herói em suas histórias publicadas na década de 40: o Sargento Duffy, que vivia pegando no pé do preguiçoso Rogers (no melhor estilo Recruta Zero)

* No início, as histórias do Capitão América eram publicadas, pela editora Ebal, em revistas em branco e preto. A série de edições "em cores" (como eram chamadas), além do colorido, trazia também uma capa cartonada e plastificada e custavam bem mais do que as revistas "normais". Podiam ser consideradas, de certa forma, uma espécie de álbum de luxo da época.

2 comentários:

Anônimo disse...

"Capitão América é orientado a se infiltrar também como policial" eu sou a favor de usarem isso no novo filme do Cap ^//^ Pelo roteiro, é claro.

O Gárgula Cinzento me lembrou o rei Midas, mas entre ouro e pedra o Gárgula está em desvantagem.

A amizade entre Steve e Sam está ameaçada e como sempre ao invés de tentar acertar as coisas o Steven parte para alguma missão. Vou esperar para ver se o novo roteirista conserta isso.

Quanto tempo vai durar o Cap atuando de policial?? E o q o Sam acha disso?

Você acredita q a Marvel não tem uma página para a Leila? Olha só: http://marvel.com/universe/Taylor,_Leila
Mas há outros sites, e ela é linda.
E também é uma jornalista. Você confirma isso ou está errado??

Beijos
Jovie



Dark Marcos disse...

A fase de Steve Rogers policial marcou época e vai durar um bom tempo ainda por aqui.

Quanto a Leila Taylor, confirmo as informações... inclusive que ela é, de fato, linda.