sábado, 25 de agosto de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 133

 - Captain America nº 133 (Janeiro de 1971)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 18, pela Editora Abril ("O poder de Modok")


História:

* "Madness in the Slums" - Escrita por Stan Lee, desenhada por Gene Colan, artefinalizada por Dick Ayers

Modok anda insatisfeito com suas últimas investidas contra o Capitão América. Para tentar consertar esse inconveniente, o vilão cria um robô chamado Devastador, que é solto para atacar o bairro pobre do Harlem. O efeito dessa ameaça, porém, tem um efeito surpreendente na população local, que acredita que o monstro está ali para destruir os velhos prédios do local, como uma espécie de protesto para a situação dos habitantes. Modok, então, transforma um ataque físico em uma espécie de ataque ideológico ao que o Capitão América representa, uma vez que ele pode transformar-se em oposição aos interesses do povo, quando, na verdade, só está querendo impedir uma grande ameaça.

Com a ajuda de um dispositivo criado por Tony Stark (o Homem de Ferro), Capitão América consegue fazer com que a programação do robô comece a agir de forma contrária a já programada. Dessa forma, a criatura o leva até uma velha igreja, onde o vilão está escondido e comandando. O Devastador acaba causando o desabamento do local, onde Modok é soterrado.

Durante toda essa crise, o herói teve a ajuda do super-herói local, o Falcão, e conclui justamente o que foi motivo de sua visita ao amigo: que o Capitão América encontrou um companheiro de aventuras.

A+:

* A parceria do Capitão América e o Falcão, que vinha sendo ensaiada e, aqui, parece ser concretizada, é mais do que um capricho das histórias do herói. Além de ser um representante negro dentro da comunidade de super-heróis, o Falcão também é uma forma de inserir certa crítica social dentro das histórias. O ataque do próprio Devastador, visto como uma forma de acabar com as chamadas favelas do Harlem, é uma demonstração clara disso. Além do que, há o contraponto racial, uma vez que o branco e loiro Capitão América representa os interesses da nação e o Falcão, dessa forma, poderia representar, lado a lado com o herói, os interesses da parte menos favorecida dessa mesma nação.

Idéia similar a essa vinha sendo aplicada na editora concorrente, a DC Comics, onde era apresentada a parceria entre os heróis Arqueiro Verde e Lanterna Verde, aqui com fortes diferenças políticas, apesar de enfrentarem as mesmas ameaças.

2 comentários:

Anônimo disse...

Yay, atualização!!!

Falcão ajudou?!!! <3
"que o Capitão América encontrou um companheiro de aventuras."
Steve finalmente vai ter alguém constante em sua vida!!(ele e a Sharon é complicado, e o RJ eu ignoro) os dias de depressão dele estão contados?????

Beijos
Jovie

Dark Marcos disse...

Sinceramente? Creio que a depressão era do próprio Stan Lee. Aliás, estava se tornando do leitor também. Nada como um novo "cumpádi" para tornar essa coisa de super-herói um tanto quanto mais divertida...