domingo, 22 de julho de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 97

 - Avengers 56 (Setembro de 1968)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 42, pela Editora Abril ("Volta ao Passado")


História:

* "Death Be Not Proud" - Escrita por Roy Thomas, desenhada por John Buscema, artefinalizada por George Klein

Capitão América convoca os Vingadores (então formados por Gavião Arqueiro, Vespa, Golias e Pantera Negra) para explorarem um misterioso castelo abandonado na Europa. O local pertencia ao Doutor Destino e o Capitão se interessou por uma história contada por Reed Richards, também conhecido como Senhor Fantástico, líder do Quarteto Fantástico e principal inimigo do vilão. Reed lhe falou sobre uma plataforma que servia de máquina do tempo e que estaria abandonada no local. A idéia do Capitão é voltar ao tempo, mais especificamente para a época em que seu parceiro, Bucky, morreu.

Deixando a Vespa de vigia no controles, os demais Vingadores voltam ao passado, onde o vilão Barão zemo ataca uma base americana, mas tem que enfrentar Capitão América e Bucky. O vilão se vale de um enorme robô, que chama de Metalon, conseguindo derrotar e prender a dupla em um enorme foguete. Os Vingadores não podem interferir pois estão nessa época apenas como vultos do futuro.

Porém, a Vespa acaba tocando em um botão errado na máquina e os Vingadores começam a ficar tangíveis no passado. Com essa oportunidade, o Capitão América "do futuro" e os Vingadores atacam Zemo e Metalon e ainda contam com soldados americanos que chegam ao local (na verdade, como nunca foram vistos, os heróis tem que explicar o que significa todo aquele tumulto na base).

A Vespa corrige seu descuido e começa a trazer os heróis de volta. Eles ficam, novamente, intangíveis. Antes de se tornar novamente um mero vulto, Capitão América atira seu escudo e liberta seu "eu" passado, assim como Bucky. Para seu horror, no entanto, uma cena se repete. Zemo dispara o foguete e a dupla se agarra a ele para impedir. Capitão América salta, mas Bucky permanece no míssil para desarmá-lo. O míssíl é destruído, mas a explosão mata Bucky e atira o Capitão nas águas geladas, onde seria encontrado apenas no futuro... pelos Vingadores.

Desolado, o Capitão América volta ao presente, agora ainda mais pesaroso e sem nenhuma esperança de encontrar Bucky vivo... uma vez que, ironicamente, foi testemunha da morte de seu parceiro.

A+:

* Vale notar que, para todos os efeitos, o Capitão América nunca soube claramente o que aconteceu com Bucky. Como foi atingido pela mesma explosão que o matou, ficou desacordado e nunca soube, de fato, se o amigo sobreviveu. Além do que... ELE sobreviveu décadas depois. Daí a esperança em encontrar Bucky vivo.

Mas, agora, o herói foi testemunha ocular da tragédia que vitimou seu parceiro.

4 comentários:

Anônimo disse...

Então o Cap que já estava deprecivo (no post 96 e váaaaarios outros), volta ao passado e TESTEMUNHA a morte do Bucky.....hum....se continuar assim ele vai acabar cortando os pulsos!!

Amei a capa dessa edição, com o Bucky morto ao pés do Cap, ficou muito legal.

Beijos
J.

Dark Marcos disse...

É. O Rogers está precisando de ajuda especializada. Ouvi falar de um tal de Doutor Faustus que...

Anônimo disse...

Piadas à parte, ele precisa sim de ajuda. Se ele fosse uma pessoa e não um persoagem essa depressão crônica, sem tratamento, iria terminar muito mal.

Beijos
J.

Dark Marcos disse...

Note que, como representação da América, o personagem acaba sendo uam espécie de crítica social negativista da época.