terça-feira, 24 de abril de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 5

 - Captain America Comics 22 (Janeiro de 1943)
> Inédita no Brasil


História:

* "Captain America Battles the Reaper, the Man the Law Couldn't Touch" - Escrita Stan Lee, desenhada por Al Avison, artefinalizada por Al Gabriele

Enviado por Hitler para enfraquercer os Estados Unidos, The Reaper (O Ceifador), um suposto profeta, prega a anarquia contra as leis americanas. O vilão acaba convencendo um grande número de seguidores que realmente se revoltam. Tecnicamente, The Reaper não é exatamente um criminoso, pois se vale da liberdade de expressão, o que o deixa imune até mesmo contra o Capitão América e Bucky. Os heróis até mesmo tem um mandado de prisão expedido contra eles, porque invadiram o escritório do vilão!

Bucky consegue provas de que o Ceifador é um agitador estrangeiro e isso convence a multidão de que ele está tentando dominá-los. Capitão persegue o vilão, que escapa para o metrô. O Ceifador, em pânico, acaba sendo eletrocutado pela eletricidade que corre pelos trilhos.

(Fonte: http://marvel.wikia.com)

A+:

* Interessante notar aqui como as histórias do personagem usam algo tão valioso para os americanos... contra eles mesmos. Não é exatamente uma história crítica, mas mostra como a interpretação da própria liberdade pode ser manipulada.

A liberdade de expressão é um dos itens garantidos pela Constituição dos Estados Unidos, no que é chamado de Primeira Emenda, que rege:

"O congresso não deve fazer leis a respeito de se estabelecer uma religião, ou proibir o seu livre exercício; ou diminuir a liberdade de expressão, ou da imprensa; ou sobre o direito das pessoas de se reunirem pacificamente, e de fazerem pedidos ao governo para que sejam feitas reparações por ofensas."

Ao que tudo indica, O Ceifador usou muito bem o texto para os seus propósitos.

2 comentários:

Anônimo disse...

"O Ceifador, em pânico, acaba sendo eletrocutado pela eletricidade que corre pelos trilhos." ah que pena. Achei uma maneira fácil de se livrar de um personagem que poderia se tornar um incomodo; aliás, o motivo para o mandato de prisão me pareceu fraco _um bom advogado livraria o cara_ uma atitude desesperada.
CONTUDO o cara era um nazista, nesse caso não tem nem o que discutir; afinal era o futuro do mundo livre (capitalista) que estava em jogo; então pode se livrar dele sim. :)

bjos
J.

Dark Marcos disse...

É. De fato, seria um vilão a ser melhor explorado. Tinha potencial.