terça-feira, 20 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 645

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 1 (Outubro de 2008)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 52, pela editora Panini


História:

* "Book One" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish

O Senhor do Tempo, célebre inimigo da Legião, recupera no espaço-tempo o corpo do Superboy Primordial, versão do Superboy que se tornou amargo e sanguinário após seu universo ter sido destruído na Crise nas Infinitas Terras. No entanto, o jovem vilão aterrisa na Terra do século XXXI, mil anos depois do período em que apareceu pela primeira vez, e percebe que a História não foi generosa com sua passagem, mesmo sendo alguém tão poderoso. Decide vingar-se de todos destruindo os heróis daquele período, conhecidos como Legião dos Super-Heróis.

O plano do Primordial é reunir um time contrário aos legionários, formado por seus mais terríveis inimigos, que ficaram conhecidos como Legião dos Super-Vilões. Para sua surpresa, assim que encontra os fundadores dessa maligna Legião, Lorde Relâmpago, Rainha de Satúrno e Rei Cósmico, percebe que eles o adoram como inspiração para suas maldades, da mesma forma que o Superboy (que se tornou Superman) inspirou a Legião dos Super-Heróis.

Após a prisão dos membros da Liga da Justiça do futuro, liderados pelo racista Terráqueo (que prega que a Terra não deve tolerar a presença de alienígenas), a Legião foi considerada obsoleta e a Federação dos Planetas Unidos pretendem extingui-la. Praticamente todas as raças envolvidas concordam com esse veredito. Para surpresa de Cósmico, Satúrnia e Relâmpago, até mesmo um ex-legionário (Myg, o segundo Karate Kid), expõe os conflitos internos do grupo, alegando certa desorganização em um grupo que se propõe a proteger o universo.

Mas um ilustre visitante consegue chamar a atenção dos conselheiros para a importância do grupo: o bilionário, R.J. Brande, desaparecido a um bom tempo retornando para salvar os pupilos que sua fortuna financiou, em agradecimento por terem salvo sua vida de um atentado. Mesmo aparentemente convencendo o público, por ironia do destino o pior acontece. Leland McCauley o segundo homem mais rico da Terra e rival de Brande nos mundo dos negócio, desfere vários tiros no bilionário, assassinando-o na frente de todos. Leland utilizou uma espécie de elmo que não permitiu Satúrnia de ler seus pensamentos, e balas que não eram de metal, impossibilitando Cósmico de detê-las. Dessa forma, numa inversão da origem do grupo, onde conseguiram salvar Brande, todos vêem sua falha em protegê-lo. Isso diante dos conselheiros da Federação, que agora estão mais do que convencidos pela dissolução do grupo.

Ademais, a Legião tenta se recuperar como pode. Da Zona Fantasma, conseguem resgatar Mon-El, o mais poderoso dos legionários, lançado naquela dimensão invisível pelo Terráqueo. Polar tenta convencer Solar a voltar para o grupo. O legionário se afastou devido a depressão advinda do fato de seus poderes solares terem sido usados por Terráqueo para tornar o Sol vermelho e impedir Superman de ajudar seus amigos do futuro. E o próprio Superman é convocado para auxiliar na crise que se abate sobre o grupo.

Brainiac 5 tem uma idéia quando é informado que o Superboy Primordial pertence a outra dimensão/outra Terra. Consegue contatar as outras versões paralelas da Legião: ao leitor, refere-se a uma Legião mais jovial (que foi publicada nos anos 90) e a uma versão mais adulta (que apareceu na reformulação proposta por Mark Waid/Barry Kitson). Em comum, Superman já se encontrou, contando com a que lhe convocou, com as três Legiões.

É o início da Legião dos Três Mundos, minissérie que se interliga com o período de reformulação da editora DC Comics, conhecida como Crise Final.

A+ :

* Apesar do momento histórico mostrar um planeta Terra xenofóbico em relação aos alienígenas (graças ao preconceiro pregado pelo vilão Terráqueo), 15% do planeta Terra é habitado por seres de outros planetas.

* Myg, o segundo Karate Kid, foi criado em 1985 por Paul Levitz e Steve Leghtle e não tem ligação direta com o primeiro Karate Kid (que havia sido morto pelo vilão Nemesis, anos antes). De gênio explosivo e um tanto rebelde (bem ao contrário de seu "xará"), esse herói participou pouco da Legião dos Super-Heróis, mais entrando em conflito com seus integrates do que colaborando.

* Os três fundadores da Legião dos Super-Vilões, Rei Cósmico, Rainha de Satúrno e Lorde Relâmpago, são uma irônica versão dos três fundadores da Legião dos Super-Heróis, Cósmico, Satúrnia e Relâmpago. No entanto, não eram exatamente contrapartes dos heróis, vindas de outra dimensão (como era comum em se mostrar nas histórias da DC Comics). Eram, sim, renegados dos respectivos planetas dos heróis, sendo considerados criminosos em cada um deles.

Nenhum comentário: