quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 592


- Legion of Super-Heroes (Setembro de 2006)

História:

* "The Man of Tomorrow" - Dirigido por Ben Jones, escrito por Amy Wolfram, com as vozes (no original) de Michael Cornacchia (Saltador), Heather Hogan (Etérea), Yuri Lowenthal (Superboy), Andy Milder (Lightning Lad), Adam Wylie (Brainiac 5) e Kari Wahlgren (Satúrnia)
> Veiculado no Brasil como Legião dos Super-Heróis


A participação da Legião dos Super-Heróis no desenho animado Liga da Justiça Sem Limites conseguiu testar a popularidade do grupo para uma nova empreitada nessa mídia. Como a Legião apresenta uma grande quantidade de diferentes heróis como seus integrantes (algo que é bem o clima de Liga da Justiça Sem Limites), os produtores acharam uma boa idéia contar com esse "elenco" para montar uma nova série animada. Pouco tempo depois, surgia o desenho animado Legião dos Super-Heróis.

Para catapultar a nova animação, a produção optou por colocar o Superboy a frente do grupo. Uma forma de usar o Superman (mesmo que ainda menino) para ajudar na popularização da nova franquia, ao mesmo tempo homenageando a mitologia da Legião, que contou com a presença do jovem herói em suas primeiras aventuras (na verdade, o grupo surgiu nas aventuras do Superboy). A verdade é que a Legião é um grupo cultuado para o público dos quadrinhos, mas um tanto desconhecido do público em geral. Daí, esse apoio no elenco.

Ironicamente, a inclusão do Superboy se tornaria uma dor de cabeça para os produtores. Na época de seu lançamento, o futuro do personagem dentro do universo DC era incerto. Apesar de ser o herói mais icônico e tradicional da editora, há uma ação judicial que devolve os direitos do personagem para a família dos criadores, Jerry Siegel e Joe Shuster, uma vez que a dupla não conheceu a justa quantia que seu personagem renderia em décadas de publicação. Caso as famílias ganhem a causa (o que é muito provável, pois ainda está rolando), um dos primeiros alvos é justamente a criação do Superboy. Para resolver essa situação, o desenho da Legião contou com um Superman do Futuro ao invés do Superboy nas aventuras seguintes.

O episódio piloto conta como os Legionários (com um núcleo formado por Brainiac 5, Saltador, Tríade, Etérea, Satúrnia e Relâmpago) voltam ao passado para recrutar Superman, afim de auxiliá-los a derrotar os vilões do Quinteto Fatal. Mas Brainiac 5 volta tempo de mais no passado e acaba encontrando um jovem Clark Kent, que sequer imaginava em se tornar herói (apesar de já apresentar superpoderes). Levado ao futuro, auxilia o grupo a derrotar os vilões e aprende um pouco sobre o legado que construirá durante sua vida.

A caracterização da animação é um pouco mais infantil do que a mostrada nos desenhos da Liga da Justiça. Algumas adaptações assustaram o público, como a de Brainiac 5, que aparenta ser um andróide capaz de adaptar suas formas a situação. Mesmo assim, o roteiro ajuda a se passar por cima desses detalhes.

Um desenho animado com clima inocente, mas que é competente ao trabalhar tão minuciosamente em um universo vasto de personagem como o da Legião.

Nenhum comentário: