quinta-feira, 13 de outubro de 2011

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 511

 
 - Superboy's Legion 1 (Abril de 2001)
História:

* "Superboy's Legion - part 1" - Escrita por Mark Farmer, desenhada por Alan Davis
> Publicado no Brasil na minissérie Legião do Superboy nº 1, pela editora Mythos


Uma minissérie (apesar de em apenas dois capítulos), com uma Legião dos Super-Heróis alternativa, imaginando o grupo caso ele fosse criado pelo Superboy.

No futuro, o bilionário R.J. Brande explora o que parece ser um cinturão de asteróides do que antes foi o planeta Krypton. Dentro de um deles, encontra uma espécie de câmara/nave que manteve vivo um bebê dentro dela. Tratava-se da mesma nave preparada para salvar a criança da explosão do planeta e que ia ser enviada a Terra (como sabemos, esse bebê iria se tornar o Super-Homem). Mas, por algum motivo, o lançamento não aconteceu a tempo e a nave ficou presa em um dos pedaços do planeta durante mil anos... até o futuro onde existiria a Legião... mantendo o bebê vivo.

Brande cria o bebê como seu filho e este se torna Superboy. No entanto, diferente do tradicional herói criado por um casal do interior dos Estados Unidos, aqui Brande não pôde lhe dar uma formação moral tão direcionada. Isso não quer dizer que Superboy se tornou mal ou amoral, mas, com um pai sendo um dos principais empresários da Terra, tornou-se um adolescente cheio de dúvidas sobre sua natureza superpoderosa, além de não medir a consequência de seus atos.

Brande está prestes a alistar seu filho na Polícia Científica, aqui dirigida por Universo (sim, o mesmo que seria um vilão no futuro tradicional da Legião). Mas o garoto parece não gostar da idéia.

Em uma de suas fugas para o espaço, Superboy consegue salvar uma nave onde estão Cósmico e Satúrnia, um casal de alienígenas que também estava tentando usar seus poderes para espantar um animal espacial. Ficam amigos e decidem que seus poderes devem ser usados para ajudar. Nascia assim a Legião... do Superboy!

Com o tempo outros heróis são alistados para fazerem parte do grupo. No entanto, a forma de agir do mesmo seguia bem a visão do Superboy, um tanto instintivo e achando que tudo acontecia por diversão.

A diversão, por assim dizer, termina quando o grupo enfrenta O Quinteto Fatal, grupo de vilões que joga pesado contra os jovens. Algumas duras sequelas mostram a essa Legião que salvar o mundo está longe de ser divertido. Colossal é morto. Ástron é deformado e Brainiac 5 é levado pelo Quinteto e entregue para seu financiador: o empresário Lex Luthor!

O desenhista Alan Davis, aqui acompanhado por seu fiel artefinalista Mark Farmer (que também é responsável por escrever essa história), se esbalda no universo futurista da Legião, uma vez que em sua arte sempre mostrou criaturas bizarras tanto no conceito quanto no visual. A sua interpretação do Camaleão, por exemplo, é única. O herói tem um visual parecido com o seu surgimento original, porém exagerando nos ângulos, deixando-o mais alienígena ainda.

Nenhum comentário: