quarta-feira, 30 de março de 2011

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 330


- Legion of Super-Heroes 0 (Outubro de 1994)

Histórias:

* "Time and Chance" - Escrita por Tom McCraw e Mark Waid, desenhada por Stuart Immonen, finalizada por Ron Boyd

Bem... Vamos começar tudo de novo?

Decorrente da saga Zero Hora - Crise no Tempo, a editora DC Comics nomeou o mês de outubro como Mês Zero. Como a saga onde a linha temporal foi reformulada havia terminado, nada melhor do que começar todas as suas revistas mensais... do zero. Com isso são recontadas, de uma forma aparentemente mais ordenada, as "novas" origens de seus personagens. E a Legião dos Super-Heróis não poderia ficar de fora.

Na verdade, os números zero dos títulos mensais do grupo (Legião dos Super-Heróis e Legionários, que agora eram um único grupo... esqueçam aquela história de clones) recontam a origem de uma maneira mais simples, começando apenas com os três fundadores (Cósmico, Relâmpago e Satúrnia), dando até mesmo um clima de roteiro cinematográfico.

A história começa com os irmãos Garth, Mekt e Ayla viajando escondidos dos pais, quando sua nave sofre uma pane, obrigando-os a pousar em um planeta selvagem para o conserto. Ayla, a insegura irmã mais nova, tem a idéia de usar feras elétricas, criaturas com aparência de rinocerontes que emitem descargas elétricas, para reenergizar a nave. É quando uma dessas feras os surpreende e... Garth acorda assustado com o pesadelo. Ele se apressa para pegar seu vôo para a Terra.

No espaçoporto, há um certo burburinho em cima do astro de magnobola chamado Rokk Krinn, que também está em turnê de viagem. A imprensa local já lhe deu o apelido de "Cósmico".

Também conhecemos a jovem policial Imra, uma garota originária de Titan que tem poderes telepáticos e os usa para revistar mentalmente supostos criminosos.

Garth e Rokk se conhecem dentro da espaçonave e se tornam companheiros de viagem. Eles ficam surpresos com o embarque do multibilionário R. J. Brande, inventor da tecnologia que permite portais dimensionais entre planetas, utilizados em vôos comerciais (como o que estão). Logo, também, a jovem policial Imra chega na mesma espaçonave e sua beleza chama a atenção de Garth. Mas ela o repreende já que consegue ler seus pensamentos libidinosos com seus poderes telepáticos. Aliás, a raça da garota é vista com certo preconceito pelos demais, pela desconfiança de invasão de privacidade em sua mente.

No pouso da espaçonave, na Terra, Imra descobre e alerta sobre assassinos que ali estão para matar Brande. Garth, que adquiriu poderes elétricos, e Rokk, que tem poderes sobre magnetismo, os utilizam para ajudar na captura dos assassinos. Logo viram alvos da imprensa devido ao salvamento de Brande. O milionário, por sua vez, sorri não apenas em agradecimento... mas pela idéia que lhe surgiu diante do ato de heroísmo. Idéia que compartilha com a presidenta da Terra, quando informa da criação de uma nova "marca".

Brande convoca os três jovens para uma conversa. Ao chegarem ao local, ficam surpresos com a sala de hologravuras do milionário, homenageando heróis do passado como Superman, Batman, Mulher-Maravilha e Flash. Lá chegando, ouvem sobre a admiração de Brande diante do espírito heróico que demonstraram, principalmente pelo perfeito trabalho em equipe. E da idéia de serem os primeiros de uma força nesse sentido... já que tencionava unir mais como eles. Uma veradeira legião de heróis... de super-heróis.

Interessante início também por mostrar personagens antigos em nova roupagem. Moça Tríplice, por exemplo, aparece como assistente de Brande e utiliza seus poderes de dividir-se em três corpos diferentes para convocar cada um dos três jovens. Shvaugn Erin, a policial que revelou ser, na verdade, um homem anteriormente, aqui aparece novamente como UMA policial.

Início promissor...

Nenhum comentário: