quinta-feira, 24 de março de 2011

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 324


- Legionnaires 17 (Agosto de 1994)
Histórias:

* "End of an Era, Part One: History Lesson" - Escrita por Mark Waid, desenhada por Chris Gardner, finalizada por Dennis Cramer
Quando a saga Crise Nas Infinitas Terras foi publicada, o universo de super-heróis da DC Comics foi colocado em ordem devido ao caos que havia se criado ao longo de décadas. Com isso, abriu-se a oportunidade de recontar a origem de personagens já mitológicos como Batman, Superman, Mulher Maravilha, entre outros.

Nesse período de reinício, a Legião não teve sua origem exatamente contada. Porém, foram os personagens que mais sofreram com a reformulação. Lembre que as histórias do grupo acontecem no futuro, portanto, se o passado era recontado, parte da história e até mesmo da memória dos personagens simplesmente era apagada.

Uma das consequências mais diretas e lógicas foi a retirada do Superboy da mitologia do grupo. Afinal, quando recontaram a origem do Superman, adotou-se a história de que o personagem havia descoberto seus poderes já no início da fase adulta. Logo, nunca foi Superboy. Mas, se aconteceu dessa forma, como explicar que o Superboy (que nunca existiu) inspirou a criação da Legião dos Super-Heróis no futuro? Através de uma adaptação aos novos tempos, ficamos descobrindo que o Superboy pertencia a uma realidade artificial e não era exatamente o mesmo personagem que se tornaria Superman. Em uma outra abordagem, anos depois, até mesmo essa idéia foi deixada de lado e, em seu lugar, foi o personagem Valor (antes conhecido como Mon-El) quem inspirou a criação do grupo futurista.

Confuso, não? Sim, muito. Tão confuso que essas reformulações,com personagens cada qual reescritas por sua equipe de escritores e desenhistas, uma hora iria trazer informações conflitantes, até chegarem ao ponto em que nem mesmo os criadores das histórias teriam criatividade suficiente para explicar as falhas existentes.

Para (tentar) consertar essa bagunça surge a saga Zero Hora, subintitulada Crise No Tempo. As consequência dessa saga na Legião, criou uma subsaga chamada Fim de Uma Era que envolve as revista da Legião dos Super-Heróis, dos Legionários e de Valor (que, voltando ao passado, teve sua própria revista mensal).

A Legião dos Super-Heróis novamente sofre os efeitos dessa nova crise, que mexe também com o futuro, onde suas aventuras ocorrem. A primeira consequência, assim como mostrada em outras revistas dos heróis da editora, éo surgimento de aparições e mudanças relâmpagos bem diante de seus olhos, aparecendo realidades diferentes do que se conhecia até então.

A história começa com os Legionários rendendo o enlouquecido Polestar, que é ninguém menos do que o Cósmico adulto disfarçado para fugir dos Planetas Unidos. Lembrando que o seu clone jovem, juntamente com Satúrnia e Curto Circuito, se perderam recentemente viajando no fluxo temporal.

No funeral de Laurel Gand, os acontecimentos decorrentes do efeito dessa nova crise deixa os ânimos dos heróis um tanto exaltados, a ponto dos clones e adultos chegarem a discutir quem eram os verdadeiros heróis afinal.

No próprio cemitério de Shangalla, onde são enterrados os heróis mortos, acontecimentos estranhos ocorrem a todo momento. Em um dos túmulos, aparece uma estátua em homenagem ao falecido Superboy, que nem mesmo existia nessa continuidade
Essas mudanças repentinas culminam com o surgimento de vilões de um passado desconhecido como Satan Girl e Urthlo, personagens obscuros e que tiveram um única aparição por volta das décadas de 50 e 60 e nem mesmo faziam mais parte da continuidade. Envolvidos na confusão estão Glorith e o renovado Mordru.

E assim como os vilões acabam levando Cósmico com eles, alguns personagens começam a desaparecer, como se estivessem sendo apagados do próprio tempo.
 

Um comentário:

Eduardo Schloesser disse...

Grande Marcos Dark, finalmente consegui passar por aqui. Não é veadagem não, é falta de tempo mesmo! O blog tá muito legal. Caprichado. Quem curte gibis não pode ficar indiferente.
Abraçãoe sucesso sempre.