terça-feira, 18 de janeiro de 2011

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 269


- Legion of Super-Heroes 28 (Abril de 1992)
.
Histórias:
.
* "(sem título)" - Escrita por Mary Bierbaum, Tom Bierbaum, desenhada por Keith Giffen e Jason Pearson, finalizada por Al Gordon

Edição dramática focada no legionário Solar.

Através de lembranças e informações a respeito do supostamente morto Solar, ficamos sabendo de detalhes sórdidos de sua vida. É um dos personagens mais mulherengos da Legião dos Super-Heróis, mas aqui o fato muda de ângulo e transforma o que poderia ser um garanhão em um doentio sexólotra.

Seu pai vivia assediando todas as suas funcionárias e, certa vez, o jovem Dirk Morgna (futuro Solar) o pegou em flagrante. Atormentado sobre o que era certo ou errado (afinal, tratava-se de uma traição contra sua própria mãe) o jovem é levado a acreditar, pelo próprio pai, que aquilo não é errado... pois as mulheres, todas elas, querem mesmo é um homem o tempo todo.

Dada esta informação, acompanhamos a vida de Solar em seus dias na Legião dos Super-Heróis até a sua decisão de apoiar o governo da Terra, controlado pelos domínions. Em seus devaneios, é interessante notar como o herói vê suas colegas de grupo como mulheres desejáveis... mas de uma forma descontrolada e sempre focada para o sexo.

A degradação mental de Solar não é algo que foi manipulada pelos domínions, mas a soma de muitos fatores que o levaram a cair na conversa dos alienígenas. Quando, ainda mentalmente desorientado, procura voltar a ser o herói da Terra e questionar sobre o andamento governamental, cai em uma armadilha e tem o seu corpo totalmente queimado. Para alguém que preza tanto pela beleza física para conquistas amorosas, seu castigo é algo pior que a morte... ver-se totalmente deformado pelo fogo diante de um espelho.

Uma história fechada e marcante que é uma das melhores dessa fase. A arte simples de Jason Pearson se mostra distorcida e exageradamente estilizada em alguns momentos (muito disso graças a idéias de Keith Giffen), mas isso casa muito bem com a degradação mental do herói e é muito eficiente para a narrativa.

 

Nenhum comentário: