quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 243


- Legion of Super-Heroes 8 (Junho de 1990)
.
Histórias:
.
* "The Origin of the Legion of Super-Heroes" - Escrita por Keith Giffen, Mary Bierbaum, Tom Bierbaum, Al Gordon, desenhada por Keith Giffen e Chris Sprouse


A origem da Legião dos Super-Heróis é recontada com o detalhamento de alguns momentos importantes e também mudanças no que até então era conhecido.

Para entender essa reformulação é importante entender as manipulações temporais pelas quais o grupo passou recentemente. Lembramos que o até então falecido Mon-El ressucitou graças ao vilão Senhor do Tempo ter se escondido em sua mente e explicado que, caso fosse destruído, suas manipulações iriam impedir que a Legião fosse criada e o bruxo Mordru finalmente poderia conquistar o Universo.

Pois bem... Mon-El, mesmo com esse aviso, destrói o Senhor do tempo, o que levou a realidade a ser alterada para um universo onde o bruxo era o Imperador. Rond Vidar, único que se lembrava da realidade anterior e, portanto, apto a tentar reverter a mudança, contatou a esposa de Mordru, Glorith, para que essa realizasse um encantamento no qual traria o Senhor do Tempo (antigo mestre dela, inclusive) de volta e reestruturaria o universo ao que era anteriormente. Porém, havia um detalhe importante... se a realidade voltasse a ser como era, então como ficaria a situação do Mon-El? É a partir desse ponto que os detalhes da origem da Legião são transformados.

Nessa nova realidade, Mon-El agora foi jogado ao passado, para o século 20, onde atua como o super-herói conhecido como Valor. E foi Valor, do século 20, quem inspirou o milionário R.J. Brande a criar a Legião dos Super-Heróis através de seus três integrantes originais, Cósmico, Satúrnia e Relâmpago. (Nota: antes a criação do grupo havia sido inspirada pelo Superboy, que não mais existe).

Fora a salada temporal, é interessante vermos como o trio inicial da Legião, formado por adolescentes, era inexperiente e um tanto desastroso em suas primeiras missões. Financiados por Brande, seus uniformes iniciais causaram estranheza entre eles mesmos. Cósmico por exemplo, não se sentia muito a vontade em uma roupa onde predominava a cor rosa. Satúrnia não achava necessário que seus "nomes de guerra" viessem escritos nos próprios uniformes. Mas estavam sendo financiados, afinal... Vale lembrar que na década de 50, quando o grupo foi criado, esses berrantes uniformes eram aceitos devido aos inúmeros personagens com roupas tão berrantes quanto que surgiam nos quadrinhos. Também é divertido vermos as primeiras (e famosas) seleções de novos integrantes chocarem tanto o trio diante de pessoas com poderes tão diferentes.

Apesar de Keith Giffen ser responsável pela arte (e pelo roteiro), os desenhos que mostram o passado são feitos, em tom nostálgico, por Chris Sprouse.
 

Nenhum comentário: