sexta-feira, 5 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 212



- Legion of Super-Heroes 42 e 43 (Janeiro de Fevereiro de 1988)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 63 e Liga da Justiça 11, da Editora Abril, em Setembro e Novembro de 1989

.
Histórias:
.
* "To Sleep A Thousand Years" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque
* "And Wake To Find A Dream" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque


MILÊNIO

A saga conhecida como Milênio interligou todas as revistas com os heróis da editora DC Comics no final da década de 80. A trama trazia a ameaça dos andróides conhecidos como Caçadores Cósmicos, que foram criados pelos Guardiões do Universo para que protegessem o universo. Mas as máquinas acabaram saindo do controle e os Guardiões procuraram outra forma de vigiar os cosmo, criando a Tropa dos Lanternas Verdes.

Pois bem... Centenas de anos depois, os refugos desses Caçadores Cósmicos ressurgem para dominar o Universo do qual foram expulsos/abandonados. A brincadeira editorial aqui é adivinhar quem era o traidor dentre os personagens coadjuvantes dos principais heróis da editora. Esse traidor era sempre um Caçador disfarçado que espionava o herói desde então.

Mas, no caso da Legião dos Super-Heróis, sagas interligando revistas podiam ser um problema a parte. Acontece que as histórias da Legião aconteciam mil anos após os outros heróis da casa. Isso significava que, se um vilão vencesse nas outras revistas, o futuro já estaria dominado por eles. Já que o futuro parecia não estar ameaçado, logo o leitor subentendia que os Caçadores foram derrotados no passado.

No entanto, o escritor Paul Levitz desencanou desse detalhe de planejamento editorial, explorando o fato de que um Caçador Cósmico pode ter se atrasado na conquista... por mil anos!

Seguindo a regra da saga, o Caçador é um coadjuvante próximo aos legionários. No caso, a escolhida foi Laurel Kent, suposta descendente do Super-Homem que, convenhamos, não havia sido aproveitado devidamente... dessa forma sendo ideal para ser sacrificada. A moça se revela uma caçadora cósmica e usou os galanteio de Solar para conseguir informações para seus colegas. Colegas que ela descobre tarde demais que já não mais existem (ou seja, os heróis venceram no passado). Com isso, acaba se autodestruindo. É o fim de Laurel Kent, assim enterrada pelos legionários que a conheceram durante mais tempo como a suposta colega de grupo do que como andróide assassino.

Nenhum comentário: