terça-feira, 2 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 209




  
- Legion of Super-Heroes 37 e 38 (Agosto e Setembro de 1987)
- Superman 8 (Agosto de 1987)
- Action Comics 591 (Agosto de 1987)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 53 e Super Powers nº 11, da Editora Abril, em Novembro de 1988

.
Histórias:
.
* "A Twist In Time" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque
* "Future Shock" - Escrita e desenhada por John Byrne
* "Past Imperfect" - Escrita e desenhada por John Byrne
* "The Greatest Hero Of Them All" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque


A Morte do Superboy.


Quando a editora DC Comics tocou o projeto Crise Nas Infinitas Terras, além de comemorar os seus 50 anos no mercado, também colocou um pouco de ordem em sua infinidade de personagens e mundos paralelos (com versões dessa infinidade de personagens) para que, assim, iniciasse vida nova praticamente do zero, deixando suas histórias de mais fácil compreensão aos leitores e de forma que os escritores pudessem trabalhar as histórias com uma linha cronológica e lógica mais firme.

Por exemplo... Super-Homem agora tem uma origem mais simples. Não existem trocentos kriptonianos, kriptonitas de várias cores, super isso ou super aquilo. Super-Homem é o único kriptoniano vivo que chega a Terra e tem uma vida aparentemente normal, desenvolvendo seus poderes gradualmente. Chega a plenitude de seus poderes apenas na vida adulta, quando começa a atuar como o herói uniformizado que conhecemos.

Mas manipular cinquenta anos de histórias, com tantos personagens e detalhes em cada um deles é algo que dá uma incrível margem para falhas de planejamento. Em alguns casos, é bem verdade, não se trata nem de ser uma falha, mas uma escolha em que um detalhe é sacrificado pelo bom andamento de outro.

Assim sendo, já que o Super-Homem só viria a se tornar o super-herói na idade adulta, como explicar a existência da Legião dos Super-Heróis, uma vez que o grupo do futuro foi criado inspirado pelas aventuras de um Superboy, o Super-Homem quando adolescente, mas que nunca existiu? A resposta está nessa pequena saga, interligando a revista da Legião com alguns títulos mensais do Super-Homem.

Quem descobre que o passado foi alterado (em parte pelo evento Crise) é o herói Cósmico em sua última viagem pelo tempo. A partir daí, um grupo de legionários viaja até o passado e encontra o Superboy que conhecem, aparentemente sem muita alteração. No entanto, estranhamente, o garoto de aço tenta capturar seus colegas alegando que é necessário para se salvar o universo. Parte dos legionários consegue escapar e vai parar em uma época em que o Super-Homem já é adulto... mas não se trata do mesmo herói que foi Superboy!

A explicação é que o vilão Senhor do Tempo, antes da nuvem de antimatéria gerada pela Crise, encontrou uma espécie de universo paralelo e compacto, onde os únicos planetas importantes eram a Terra e Krypton, e o manipulou de forma que controlasse aquele Superboy. Chantageou o herói livrando o mundo de ser destruído, mas tencionava que esse destruísse os legionários no processo.

Esclarecido que Super-Homem e ESTE Superboy eram heróis distintos, estava explicada a existência da Legião, mas a um preço muito alto. Para deter o maquinário do vilão, Superboy se sacrifica e morre no futuro, na sede da Legião. Era o fim de um herói clássico que, mesmo não devendo ter existido, marcou época e teve um trágico capítulo final em prol das mudanças da editora.

Além do evento em si ter chamado a atenção dos leitores, o envolvimento (óbvio) do escritor e desenhista John Byrne, em um grande momento de sua carreira (sendo o responsável pela reformulação do Super-Homem), ajudou a capitanear a saga que mostrava que, apesar das mudanças, ajustes ainda estavam lá para serem feitos.

Nenhum comentário: