segunda-feira, 16 de agosto de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 155

- Legion of Super-Heroes Annual 2 (Julho de 1983)
.
Histórias:
.
* "Whatever Gods There Be" - Escrita por Keith Giffen e Paul Levitz, desenhada por Dave Gibbons

O casamento de Marcial e Princesa Projectra

Mais um grande evento dentro das fileiras de legionários: o casamento de dois integrantes que, verdade seja dita, tiveram o romance mais arrastado na história do supergrupo. Os outros casais, Saltador e Dama Dupla, Relâmpago e Satúrnia, tiveram meio que um casamento a primeira vista.

Praticamente todos os legionários comparecem ao planeta Orando, planeta que vive sob um regime medieval e do qual vem a realeza da PRINCESA Projectra. Até mesmo o Superboy quebra a barreira do tempo para testemunahr o grande evento. E é justamente quando o garoto de aço quebra essa barreira que outros legionários encontram um sério problema!

Superboy atravessa a barreira do tempo sem perceber que surge muito próximo a uma nave com alguns legionários. O "vácuo" temporal causado por essa viagem acaba sugando a nave dos mesmos que, aparentemente, vão parar no passado do planeta Terra, mais especificamente na Grécia Antiga. Lá, os super-heróis do futuro terão que enfrentar ninguém menos que os deuses do Olimpo!

Enquanto isso, Camaleão retorna triunfante após recuperar seus poderes. Algo que acontece em boa hora pois é a pessoa chave para tentar salvar seus colegas... que não se deslocaram para a Grécia antiga, mas para um planeta repleto de durlanianos (alienígenas capazes de mudar de forma assim como o Camaleão, pertencente a essa raça também).

Os legionários derrotam os falsos "deuses do Olimpo" e chegam a tempo de participar da cerimônia de seus estimados colegas de equipe.

Mais uma casamento nos moldes das uniões entre legionários, inclusive com a cena final/cerimonial em uma página dupla bem ao estilo das antigas histórias da Legião. O desenho dessa edição, já que Keith Giffen está em férias (como anunciado nos créditos), fica por conta de Dave Gibbons, pouco antes de cuidar da arte da minissérie Watchmen, escrita pelo inglês Alan Moore e levada aos cinemas, em um estilo bem próximo do que teria na minissérie.

Nenhum comentário: