segunda-feira, 10 de maio de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 109


- Superboy 212 (Outubro de 1975)

Histórias:

* "A Death Stroke at Dawn" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Mike Grell

O novo uniforme de Noturna. Uniforme? Que uniforme?

Dizer que a personagem Noturna estréia um novo uniforme na segunda história dessa edição pode até parecer piada. O mais certo mesmo é dizer que a heroína, na verdade integrante da Legião dos Heróis Substitutos (formada por heróis que foram rejeitados na Legião dos Super-Heróis), estréia um novo (e ousado) visual. De certa forma suas novas vestimentas nada mais são do que um minúsculo biquininho preto.

A Legião dos Heróis Substitutos surgiu meio que por brincadeira, formada pelos rejeitados das divertidíssimas seleções de novos heróis para a Legião. Dessa forma, o grupo era formado por personagens com os mais absurdos poderes e, consequentemente, suas aparições tendiam mais para o lado humorístico da série. Com o tempo, suas participações cômicas foram se tornando mais importantes e os Substitutos mostraram sua utilidade afinal. Esse tom mais sério torna o grupo de segunda mais heróico e o desenhista Mike Grell lhes dá um visual que condiz mais com sua nova diretriz. Os poderes continuam ridículos, mas estão tão bem direcionados e apoiados em um visual tão heróico, que acabam deixando essa impressão de lado.

Noturna teve um destaque especial entre os Substitutos. Apesar de não integrar a Legião dos Super-Heróis, engatou um romance com um de seus principais fundadores, o legionário Cósmico. Sua aparições mostravam que ela se tornou mais do que uma mera heroína rejeitada, vindo a ser uma espécie de coadjuvante de luxo das histórias.

Essa quantidade de inúmeros personagens, já que há diversos na própria Legião dos Super-Heróis e ainda contando com os Substitutos, acaba criando alguns com características bem parecidas. Chega-se ao ponto dos escritores da série se confundirem sobre o poder do personagem que estão escrevendo, talvez até por perceber que, de certa forma, dois personagens podem até mesmo ter poderes IGUAIS. A idéia, então, é direcionar as histórias num esforço de se mostrar a diferença entre poderes tão parecidos.

No exemplo da história aqui citada, duas heroínas tem poderes com temas parecidos. Tanto a já citada Noturna (que adquire força descomunal a noite) quanto Penumbra (capaz de produzir trevas) tem como base de seus poderes a escuridão. O que o escritor Jim Shooter faz aqui é tentar combinar de forma inteligente os dois poderes. Com isso, Penumbra consegue ajudar a colega Substituta lançando trevas sobre ela para lhe dar força, já que a luz do dia diminuia seus superpoderes. O foco em Noturna também serve para desenvolver uma pequena crise de relacionamento com o namorado Cósmico.

E, por falar em personagens parecidas, é de se espantar que a própria Penumbra era uma personagem que também tinha como unifome uma espécie de biquini. O que se fez com Noturna foi tirar um pouquinho mais de pano do que a colega de escuridão... e colocar a corujinha (seu símbolo de heroína) em um lugar mais estratégico.

Nenhum comentário: