sábado, 19 de dezembro de 2009

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 2

- Adventure Comics 267 (Dezembro de 1959)

Histórias:

* "Prisoner of the Super-Heroes" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por George Papp

A volta da Legião dos Super-Heróis.

Apesar de terem sido criados apenas como personagens coadjuvantes de uma única aventura, tempos depois o trio da Legião dos Super-Heróis reaparece, dessa vez em uma aventura escrita por Jerry Siegel (criador do Superman) e desenhada por George Papp (co-criador do personagem Arqueiro Verde). A aventura tem um clima de suspense, mesmo com sua ingenuidade típica das histórias da época.

Por algum motivo desconhecido, Superboy começa a ser desprezado pela população de Smallville (até mesmo pelos seus pais) e vê a inderença até em seus amigos da Legião. Nem mesmo Kripto, seu supercão, parece dar muita atenção para ele.

Vendo que não há mais lugar para ele na Terra, o herói decide deixar o planeta e se exilar no espaço. Para sua surpresa, encontra uma espécie de planeta criado em sua homenagem, com uma cidade repleta de estátuas suas. No entanto, o que parecia ser uma surpresa dos amigos (daí talvez "fingir" a indiferença), acaba sendo o local de seu julgamento e prisão, dentro de uma cela feita de kriptonita.

Em seu cativeiro, a explicação: os integrantes da Legião dos Super-Heróis, que vieram do futuro, usam uma máquina chamada Futuroscópio, capaz de captar imagens futuras de personagens do passado. Com ela, observam Superboy atacando um navio, destruindo um aeroporto e demolindo um edifício. Julgam que ele irá se tornar um vilão no futuro e decidem prendê-lo no planeta que seria realmente uma homenagem a seus feitos.

Os heróis (e todos aqueles que temiam o que Superboy se tornariam) acabam percebendo que tudo não passou de um terrível engano, pois o próprio presidente dos Estados Unidos interfere no julgamento (além do Superboy salvá-los de uma explosão no próprio planeta). Acontece que o herói, a mando do presidente, descobre uma fábrica de gás venenoso que seria usado para a guerra (o edifício que demoliu era a fábrica) e seria transportado por aviões (do aeroporto que destruiu) e por navios (o navio que atacou).
Após a mancada descoberta, Cósmico, Relâmpago e Satúrnia libertam o Superboy e rendem a devida homenagem com o planeta contruído para ele.
*

Nenhum comentário: