segunda-feira, 30 de novembro de 2009

THOR - Parte 149

- Thor: Blood Oath 1 (Novembro de 2005)

Histórias:

* Blood Oath Part 1 - Escrita por Michael Avon Oeming e desenhada por Scott Kolins

Juramento de Sangue.

A minissérie Blood Oath foi publicada em uma época em que os leitores ficaram sem uma revista mensal do Thor e, ao mesmo tempo, ainda em um clima de saudosismo, também deixou o clima pesado das últimas histórias do personagem, adotando uma linha mais voltada para a aventura. Mais que isso, talvez nunca se viu tanto humor nas histórias do herói quanto nessa minissérie. Ainda assim, não soa forçado, já que a história acontece no passado de Thor, quando ele ainda utilizava a identidade secreta de Donald Blake. Ou seja, bem o clima descompromissado dos anos 60, quando foi criado.

O curioso é que o responsável por essa divertida série é ninguém menos que o escritor Michael Avon Oeming, que também escreveu a última (e sombria) história que fechou a revista do personagem. Para acompanhar a aventura, o desenhista Scott Kolins dá um tom caricato em várias passagens da minissérie. Kolins também foi responsável pela arte de uma minissérie do grupo de super-heróis Vingadores, Avengers: Earth's Mightiest Heroes, contando suas primeiras aventuras do passado. Sua presença e o fato de Blood Oath acontecer também no mesmo passado que a minissérie dos Vingadores, pode levar o leitor a pensar que a idéia tem a mesma abordagem, só que com o Thor. Mas o foco de Oeming é outro, mais voltado para a aventura.

Retornando de Midgard (nome pelo qual os deuses nórdicos conhecem a Terra), após enfrentar o vilão Homem-Absorvente, Thor chega a Asgard a tempo de testemunhar o julgamente dos Três Guerreiros (Fandral, Hogun e Volstagg), que mataram acidentalmente o filho do rei dos gigantes.

Tomando as dores dos amigos, Thor acaba tendo que cumprir a mesma sentença que seus amigos. Ao contrário do que se pensava, não era morte que o rei dos gigantes tinha em mente. Surpreendetemente, mostra que até ficou feliz com a morte de seu filho, que só lhe dava desgosto. A sentença que tem em mente é mais baseada no sadismo. A idéia é mandar os quatro (os três guerreiros e Thor) para missões impossíveis dentro do reino mitológico (e não só de Asgard). Detalhe: Thor não poderá usar seu martelo encantado.

Assim os amigos partem para suas missões. Aliás, "amigos" mesmo! Apesar de Thor ser o príncipe de Asgard, as piadinhas entre eles estão além de qualquer protocolo real. Principalmente pelo naturalmente engraçado e volumoso Volstagg.

Continua...
*

Nenhum comentário: